O que as desculpas para não fazer exercício escondem?

20 de janeiro de 2020
Você quer praticar um esporte ou alguma atividade física e algo está te impedindo? O problema não está no ambiente, mas sim na sua mente. Veremos quais são as desculpas mais comuns para não fazer exercício e como eliminá-las.

Absolutamente todo mundo já se sentiu tentado a faltar no treino do dia. Às vezes, existem razões convincentes para não cumprir com a obrigação. Porém, em outras ocasiões, faltamos aos treinos sem uma causa prioritária que nos impeça de fato. Para isso, criamos falsas desculpas para não fazer exercício.

Todas as pessoas neste mundo têm o direito de decidir como encaminhar as suas vidas. No entanto, o problema aparece quando elas decidem encarar um desafio pessoal, seja ele qual for, e não são capazes.

No que diz respeito ao treinamento, existem centenas de razões para que defendem a sua prática. Porém, algumas pessoas encontram muitas razões para não fazer isso.  

O poder da mente

Os seres humanos são catalogados pela filosofia como ‘às vezes racionais’. Essa definição nos leva a pensar que, embora todos possamos realizar um processo de raciocínio, esse processo nem sempre leva a uma resolução correta.

Há muitas pessoas que conhecem a realidade e, no entanto, vivem em negação. Elas criam uma estrutura mental para se proteger daquilo que não é do seu interesse ​​ou que acreditam que não possam suportar.

Assim, elas aplicam modelos de desculpas para continuar com as suas vidas sem sair de suas zonas de conforto ou assumir desafios pessoais. No caso que vamos examinar nas linhas a seguir, o desafio é a prática esportiva.  

Por trás das desculpas para não fazer exercício

Todo comportamento tem a sua origem nas conexões neurais e em seus sinais elétricos. A mente é uma entidade tão maravilhosa que possui até mesmo mecanismos para a teatralidade e a farsa. Veremos o que se esconde por trás de uma desculpa para não fazer algo:  

Queremos recompensas de curto prazo

Muitos dos atletas de hoje em dia pertencem à ‘geração Y’, que atualmente é conhecida coloquialmente como millennials. 

Esse subgrupo social geralmente busca altos níveis de dopamina cerebral – neurotransmissor responsável pelas recompensas diante de um esforço – em atividades rápidas e de baixa dificuldade. Dessa maneira, eles se esquivam de processos duradouros e difíceis, ainda que eles levem a uma recompensa maior.  

Desculpas para não fazer exercício

No entanto, é claro que não são apenas as pessoas dessa geração que se comportam dessa maneira. De fato, este é um tipo de pensamento que ocorre na grande maioria dos indivíduos atualmente.

Adiar em vez de enfrentar

Geralmente recorremos ao caminho fácil e medroso: ‘deixar para amanhã’. Com essa medida, uma paz interior momentânea é alcançada, mas quando o ‘amanhã’ chega, o medo de executar a atividade será ainda maior. Quanto mais adiarmos a execução de qualquer tarefa, mais difícil será enfrentá-la quando chegar a hora. 

Medo do fracasso

Possivelmente promovido por eventos negativos na infância, por erros educacionais, ou até mesmo por nunca ter lutado pelas coisas, vemos o objetivo tão distante que achamos que ele é impossível de ser alcançado. Dessa forma, nem sequer começamos a corrida e abandonamos o desafio assim que o processo começa.

Desculpas típicas para não fazer exercício

Você certamente vai se identificar com alguma das seguintes desculpas que vamos listar. A lista total seria infinita, mas temos aqui algumas com a sua correspondente réplica moral:

  • ‘Estou cansado’: todo mundo está cansado depois de um dia de trabalho ou de estudo. Então, descanse um pouco, tome um café ou simplesmente vá para o centro de treinamento e se exercite da forma que puder.
  • ‘Estou com dor’: se esse realmente for o caso, após a avaliação de um profissional médico, você está certo em não treinar. Caso contrário, pode ser um exagero desnecessário não realizar uma atividade.
  • ‘Os atletas só pensam no próprio corpo’: os entusiastas do treinamento geralmente são atacados dessa maneira. No entanto, graças aos seus exercícios, eles terão uma saúde de ferro e um corpo estético.
  • ‘Não gosto de consumir suplementos para poder treinar’: é um erro falar sem ter conhecimento do assunto e, ainda pior, acusar um grupo de hábitos praticados apenas por algumas pessoas. Na verdade, não é obrigatório recorrer a esse tipo de produto se você não precisar deles.
Desculpas para não fazer exercício

  • ‘Hoje não dá, vou amanhã’: então, ‘amanhã’ se tornará ‘depois de amanhã’ e assim por diante. Encare o medo de uma vez e pare de se enganar.
  • ‘Eu já encontrei um parceiro, não preciso me exibir’: é lógico que a atração física não é tudo, mas não negligencie a sua imagem, ou o seu amado se perguntará por que você praticava esportes antes, mas agora não pratica mais.
  • ‘Meu amigo não pode ir, não vou sozinho’: você depende dos outros? Aprenda a enfrentar os seus desafios por conta própria, sem depender de nenhuma outra pessoa.

Derrube a parede mental de desculpas

Para concluir, lembre-se sempre de que querer é poder. Se você realmente quiser, coloque energia e força de vontade para conseguir e lute pelo objetivo. Com perseverança, você se acostumará a participar das suas sessões de treinamento.

A perseverança é essa vontade inabalável e contínua na determinação de fazer uma coisa ou na maneira de fazê-la. Busque-a com todas as suas forças e deixe de lado as desculpas para não fazer exercício!

  • Contreras-Pulache, Hans; Mori-Quispe, Elizabeth; Lam-Figueroa; Gil-Guevara, Enrique. (2011). Procrastinación. Revista Peruana de Epidemiología15(3), 1–5. https://doi.org/10.5944/educxx1.17.1.10708
  • Alonso, J. M, (2006). La adicción al gimnasio: vigorexia o complejo de adonis.
    Recuperado de
    https://www.google.es/?ion=1&espv=2#q=http%2F%2Fwww.mifarmacia.es%2Fco
    ntenido%2Farticulos%2Farticulo_ef_vifgorexia.htm
  • Arbinaga, F. (2005). Ansiedad física social en varones que se inician al entrenamiento
    de musculación: un estudio exploratorio. Revista Brasilera Ciencia y Movimiento,
    13 (1), 51-60.