As 10 melhores dicas para treinar crianças

30 de setembro de 2019
Você já se perguntou como as estrelas do esporte mundial são formadas? A resposta está na fase infantil e juvenil, e um bom desempenho por parte dos treinadores é essencial.

Treinar crianças requer um conjunto de regras e códigos claros. No âmbito esportivo, um treinador também é um educador e, portanto, o seu trabalho é muito complexo. O esporte é um espaço de integração social, onde as crianças internalizam normas de relacionamento e cooperação.

As crianças vivenciam os esportes com grande entusiasmo, e isso é muito importante para o seu desenvolvimento cognitivo e social. Então, além de ensinar os fundamentos básicos do esporte, o treinador também será uma referência em outras áreas, como no nível psicológico, por exemplo.

Como consequência, ele também deve fornecer orientações para que a dinâmica permita um desenvolvimento saudável. A seguir, vamos nos aprofundar nos aspectos essenciais que fazem parte do trabalho dos treinadores esportivos em relação à formação de crianças atletas.

10 chaves para treinar crianças

Como já mencionamos, além dos exercícios físicos, é interessante ter um conjunto de regras ou diretrizes para que o grupo seja dinâmico. É aconselhável e eficaz deixar as regras claras desde o início e, acima de tudo, destacar a natureza lúdica do esporte.

1. Trabalho em equipe

Este fundamento procura enfatizar o funcionamento do grupo. Em crianças entre 5 e 10 anos, as atitudes individualistas ainda persistem, pois elas ainda estão incorporando muitas normas sociais. Destacar a importância do grupo pode facilitar a comunicação entre os membros da equipe.

2. Competitividade e coragem

Este princípio pode ser adaptado para qualquer esporte e destaca a coragem para a competição. Esse é um valor muito necessário, mas que deve ser transmitido juntamente com os outros, já que a competitividade por si só não deve ser a base da motivação.

3. Competitividade saudável, essencial para treinar crianças

Este conceito está especialmente ligado ao segundo. A competitividade e a coragem sempre devem ter um componente de respeito e companheirismo com o rival. Não há nada de errado em tentar superar o outro, mas a cooperação e a lealdade sempre devem prevalecer.

Competitividade saudável, essencial entre as chaves para treinar crianças

4. Comunicação

As dicas para treinar crianças têm um forte componente de comunicação. Em ocasiões de competição, as crianças muitas vezes ficam com vergonha e não conversam com os rivais, ou até mesmo entre si.

Os treinadores geralmente não promovem a interação entre as crianças de equipes diferentes, e isso é um grande erro. Nunca podemos nos esquecer de que elas são apenas crianças e que devem ter uma boa memória dos momentos competitivos.

5. Comportamento exemplar

A cordialidade e a boa imagem são fundamentais em uma equipe de qualquer esporte. É necessário ensinar às crianças que elas devem tratar os outros como gostariam de ser tratadas.

“O futebol dá oportunidade aos fracos contra os mais fortes”.
—Óscar W. Tabárez—

6. Respeito pelos mais velhos

Ensinar o respeito pelos mais velhos é fundamental, para que as crianças internalizem corretamente os papéis que aparecem no esporte. Além disso, é essencial promover o respeito pelos árbitros, já que eles são uma parte essencial do jogo.

7. Responsabilidade, uma das chaves para treinar crianças que não pode faltar

Além de estimular o sentimento de pertencimento à equipe, a responsabilidade também deve ser incentivada. Muitas vezes são os treinadores que recolhem o equipamento e os materiais. Mas é importante que as crianças cuidem dessa ou de outras tarefas de maneira proativa.

8. Esforço e comprometimento

Em geral, as crianças buscam uma recompensa imediata, mas é tarefa do treinador reforçar o valor do esforço e da perseverança para atingir os objetivos. Essa é uma parte fundamental da motivação nas crianças: as vitórias estão no trabalho de cada dia.

9. Espírito esportivo

Este é outro fundamento que pode ser adaptado a qualquer esporte. As atividades esportivas não podem representar um castigo ou uma tortura para as crianças. O espaço de treinamento deve incentivar que o esporte seja associado a sensações boas.

As atividades esportivas não podem representar um castigo ou uma tortura para as crianças

10. O público nos jogos

A última dessas dicas para treinar crianças é baseada na famosa frase do jogador uruguaio Obdulio Varela, na final da Copa do Mundo do Brasil de 1950. Nos minutos anteriores ao jogo e diante de um avassalador público brasileiro, a frase “Os de fora são de pau” foi usada pelo capitão uruguaio como uma mensagem motivadora.

Mas, infelizmente, o comportamento do público em jogos infantis não é exemplar atualmente. Nesse sentido, pais e treinadores não contribuem para um clima amigável, o que acaba afetando as crianças. Principalmente por essa razão, este fundamento procura transformar essa situação em um ponto forte.

Muitas vezes questionamos o comportamento dos atletas de elite quando ele não é exemplar. No entanto, o que devemos nos perguntar é como esses comportamentos são desenvolvidos. De fato, o clima excessivamente competitivo e sem valores básicos de cooperação muitas vezes é a resposta.

Então para que isso mude, é necessário educar as novas gerações sob um novo paradigma, cultivando a competitividade a partir da cooperação e do espírito esportivo, por exemplo. E, sem dúvida, todos nós devemos fazer parte dessa mudança!

  • Brasil 1950 en MARCA.com | La leyenda de Obdulio Varela. (s. f.). Recuperado 17 de junio de 2019, de https://www.marca.com/reportajes/2010/02/brasil_1950/2010/02/20/seccion_01/1266702265.html
  • De 2018, 19 De Junio. (s. f.). El «Maestro», cuando era maestro: la educación, la otra pasión de Oscar Washington Tabárez, entrenador de Uruguay. Recuperado 17 de junio de 2019, de Infobae website: https://www.infobae.com/america/deportes/mundial-rusia-2018/2018/06/19/el-maestro-cuando-era-maestro-la-educacion-la-otra-pasion-de-oscar-washington-tabarez-entrenador-de-uruguay/
  • Gjesdal, S., Stenling, A., Solstad, B. E., & Ommundsen, Y. (2019). A study of coach-team perceptual distance concerning the coach-created motivational climate in youth sport. Scandinavian Journal of Medicine and Science in Sports, 29(1), 132-143. https://doi.org/10.1111/sms.13306
  • Mossman, G. J., & Cronin, L. D. (2019). Life skills development and enjoyment in youth soccer: The importance of parental behaviours. Journal of Sports Sciences, 37(8), 850-856. https://doi.org/10.1080/02640414.2018.1530580
  • Ryuh, Y., Choi, P., Oh, J., Chen, C.-C., & Lee, Y. (2019). Impact of Inclusive Soccer Program on Psychosocial Development of Children with and without Intellectual Disabilities. Journal of Developmental and Physical Disabilities. https://doi.org/10.1007/s10882-019-09670-8