Como controlar a respiração e os benefícios que isso pode trazer

· 22 de setembro de 2018
Se nós gostamos de praticar algum esporte, controlar a respiração é um fator importante tanto para ter o melhor desempenho quanto para não passar mal.

A respiração é uma das muitas respostas automáticas do organismo. Assim como piscar, podemos aprender como controlar a respiração de forma consciente. Como ela está em um momento é um claro indicativo do estado de ânimo e até do estado de saúde que atravessa uma pessoa.

A técnica correta para respirar

A forma que os recém-nascidos respiram, salvo em casos com complicações excepcionais, é normalmente utilizada para ilustrar como alcançar a perfeição nesse processo. De forma totalmente automática, os pequenos bebês pegam em cada inalada todo o oxigênio que necessitam, com um ritmo e uma frequência ideais.

Nas diferentes etapas seguintes à infância, durante o crescimento e o desenvolvimento, esse hábito natural da respiração começa a ser substituído por maus costumes. Mas podemos aprender como controlar a respiração novamente.

Bocejos e suspiros: um sinal de alerta

O cérebro requer 20% da carga de oxigênio que entra para os pulmões em cada inalação para o seu bom funcionamento. Se a quantidade de ar não for a adequada, “o computador central” do organismo entra em déficit.

Mulher e homem respirando em postura de yoga

Com o objetivo de corrigir eventuais erros na respiração, aparecem os bocejos e os suspiros. São respostas involuntárias que de forma temporária aumentam os níveis de oxigênio e permitem que o cérebro siga operando. Mas funcionam apenas como paliativos temporários.

Primeiro passo: tomar consciência de como se respira

Antes de realizar qualquer exercício que tenha como objetivo aprender como controlar a respiração, é importante esperar alguns minutos e observar e avaliar como estamos respirando.

O melhor método para realizar esse diagnóstico sobre a respiração é o seguinte: deitado de barriga para cima, sentado com as costas retas ou de pé, coloque uma mão sobre a parte alta do peito. A outra mão deve ser levada até o diafragma ou a área superior do abdômen.

Se ao inalar, da forma mais natural possível e sem forçar a entrada de ar, somente percebemos a mão que está na posição mais alta se movendo, então existe um problema. O ideal é que ambas as mãos se movam: a princípio, a mais baixa, e, depois, a que está sobre o peito.

Tipos de respiração

Superficial

Também chamada clavicular ou alta, na respiração superficial o ar inalado não excede para além da parte superior dos pulmões. Já que o sangue recebe uma quantidade menor de oxigênio, além do cérebro, todos os tecidos podem ser comprometidos.

Apesar do problema anterior, essa modalidade tem a sua vantagem: ao fornecer ao organismo o oxigênio de forma rápida, esse tipo de respiração pode ser útil no momento de realizar exercícios de alta intensidade por curtos períodos de tempo

Mulher fazendo natação

Abdominal ou profunda

É a respiração na qual todo o diafragma entra em ação (por isso, também é conhecida como diafragmática). Deve-se inspirar lentamente pelo nariz e dirigir toda a carga para o abdômen.

Para expulsar o ar, deve ser utilizado o mesmo tempo que foi utilizado durante a inalação. A respiração de forma profunda facilita o relaxamento e a concentração, além de diminuir os níveis de angústia, de ansiedade e de estresse. Com a prática, esse tipo de respiração pode chegar a ser automatizado.

Intercostal

O objetivo é dirigir a carga de ar até a parte média do tórax e os lados dos pulmões. Durante esses exercícios, a inalação e exalação devem ser feitas da forma mais pausada possível. O benefício mais importante de respirar dessa forma está em que ao expandir a caixa torácica, aumenta-se a capacidade dos pulmões.

Completa

Como o seu próprio nome indica, a respiração completa ocorre quando os pulmões alcançam o máximo da sua capacidade. Fornece, quase de forma imediata, um estado de relaxamento e de concentração. Da mesma forma, diminui a frequência cardíaca e a pressão arterial.

Mas, ao contrário da respiração profunda, a automatização dessa forma de respirar é praticamente impossível.  Até mesmo a realização de exercícios com o objetivo de trabalhar todo o potencial dos pulmões pode ser um pouco difícil no início.

Considerações finais sobre como controlar a respiração

Os exercícios para alcançar uma respiração profunda, intercostal ou completa, podem ser executados de pé, sentado com a coluna reta ou deitada de barriga para cima. De preferência em ambientes tranquilos e longe de temperaturas extremas para podermos aprender como controlar a respiração de modo confortável.

Para os atletas, uma respiração correta é tão importante quanto se hidratar adequadamente e manter uma dieta equilibrada. Portanto, dedique-se a aprender como controlar a respiração para tornar as formas mais benéficas de respirar automáticas e aproveitar todos os seus benefícios.