Eletroestimulador: vantagens e desvantagens

25 de agosto de 2019
A tecnologia nos oferece muitas ferramentas para nossas atividades do dia a dia. O eletroestimulador, por exemplo, pode nos ajudar a melhorar os resultados do exercício se usado corretamente.

Você pode ter ouvido ou lido sobre o eletroestimulador, um dispositivo que garante aumentar os resultados e reduzir o tempo de exercício. Como se costuma dizer nos anúncios: “perfeito para o homem e a mulher de hoje”. Descubra quais são as vantagens e desvantagens dessa novidade no artigo a seguir.

O que é um eletroestimulador?

Primeiramente, vamos falar sobre o que para muitos é uma revolução no mundo fitness e para outros é um complemento ao treinamento. Tudo muda de acordo com a sua perspectiva, como usualmente podemos perceber.

A eletroestimulação muscular (ou EMS, siga em inglês) foi lançada há alguns anos e se tornou bastante popular entre as pessoas que não têm muito tempo para ir à academia. Também fez sucesso entre aqueles que não desejam ocupar suas agendas se exercitando demais, mas também buscam resultados.

A técnica de eletroestimulação utiliza uma corrente elétrica para contrair os músculos, criando um efeito semelhante aos impulsos enviados pelo sistema nervoso central para controlar os movimentos.

Um eletroestimulador é um dispositivo com eletrodos, que são colocados em diferentes áreas do corpo. Através de vários programas que variam em velocidade e intensidade, atinge a profundidade das fibras musculares. Essas são as mais difíceis de serem ativadas com o exercício convencional.

É muito importante saber que o uso desses eletrodos não permitirá que você perca peso deitado no sofá, como alguns acreditam. Embora seja verdade que uma parte dos músculos trabalha quando usamos um eletroestimulador, não haverá resultados tangíveis se não for acompanhado por uma boa rotina de treinamento.

Ao contrário dos dispositivos usados ​​na reabilitação de lesões, o eletroestimulador não age passivamente. Você precisa realizar movimentos para que funcione!

Embora qualquer um possa tirar proveito da eletroestimulação, a verdade é que para ver efeitos devemos estar fisicamente condicionados. Isso significa que o sistema é projetado para aqueles que já treinam ou vão à academia e procuram aumentar os efeitos do exercício.

Eletroestimulador

Vantagens do eletroestimulador

Agora que você sabe um pouco sobre o uso do eletroestimulador, é apropriado que você saiba quais são seus principais benefícios:

1. Economiza tempo

Você pode gostar de treinar, mas não tem duas horas por dia para se dedicar à academia. O eletroestimulador ajudará a reduzir o tempo que você precisa se exercitar para atingir resultados.

2. Trabalha de forma localizada

É recomendado após lesões, porque ajuda a fortalecer a área específica sem comprometer os músculos ou a estabilidade.

3. Não gera impactos nas articulações

Um dos efeitos negativos de certos exercícios é que, por exemplo, os joelhos ou tornozelos têm que suportar todo o peso do movimento. Nesse caso, podemos treinar sem impactar as articulações.

4. Facilita a recuperação muscular

Se depois de se exercitar você sente os músculos cansados ou câimbras, o eletroestimulador é ideal para você. Ele serve para acelerar a recuperação muscular após o treinamento e, além disso, não produz a sobrecarga típica dos exercícios cardiovasculares.

5. Ideal para a hipertrofia

Se o seu objetivo for aumentar e definir os músculos, você pode usar um eletroestimulador. Esse dispositivo funciona nos músculos e permite defini-los em menos tempo do que se você apenas treinasse.

Ideal para a hipertrofia

Desvantagens do eletroestimulador

Além de todos os itens acima, e como é popularmente dito, nem tudo são flores. Esse dispositivo também tem suas desvantagens, incluindo:

1. Custo do eletroestimulador

Por ser um sistema relativamente novo, ainda é caro. Por esse motivo, não está disponível em muitas academias.

2. Não permite a coordenação intramuscular

Como os estímulos são externos, os músculos param de se conectar uns com os outros. Isso significa que a interação fibra-músculo-neurônio é reduzida. Por sua vez, isso pode levar a uma descompensação funcional, trabalhando apenas o músculo e não os ligamentos, ossos ou fáscia.

3. Não é adequado para algumas pessoas

Algumas pessoas não devem utilizá-lo. Por exemplo, aqueles que têm problemas cardíacos ou circulatórios, ou pessoas com marca-passos e mulheres grávidas não devem fazer uso do aparelho.

Alguns afirmam que o eletroestimulador acostuma o corpo e ameaça o esforço físico. Você pode experimentar usá-lo apenas esporadicamente e analisar os resultados que ele proporcionará.

Em suma, não devemos pensar nesse instrumento como uma solução milagrosa. Ele é, antes de qualquer coisa, um complemento que devemos usar com responsabilidade. Não esqueça de solicitar autorização médica.

  • Benito, E; Lara, A; Martinez-Lopez, E. (2010). Efecto del entrenamiento combinado de pliometría y electroestimulación en salto vertical. Revista Internacional de Ciencias Del Deporte. https://doi.org/10.5332/ricyde2010.02106