Giro d’Italia, uma das Grandes Voltas do ciclismo

4 de janeiro de 2020
O Giro d'Italia é um evento bastante esperado por ciclistas profissionais e fãs desse esporte.

Ao lado do Tour de France e do Tour de Espanha, o Giro d’Italia é uma das três Grandes Voltas do ciclismo. Gostaria de saber mais sobre essa competição internacional? Então não deixe de ler o artigo a seguir!

História do Giro d’Italia

A criação dessa competição, assim como o Tour de France, está ligada a um jornal esportivo. O Gazzetta dello Sport foi o responsável por organizar o Giro d’Italia em bicicleta, em contraste com o realizado pelo Corriere della Sera, que organizou outra volta, mas de carros.

A primeira edição do Giro d’Italia ocorreu em maio de 1909 com 127 participantes, oito etapas e quase 2.500 quilômetros de percurso. O vencedor foi o italiano Luigi Ganna.

As edições seguintes sofreram várias alterações quanto à quantidade de etapas, ao sistema de pontos e até mesmo quanto ao pontos de largada e chegada.

A competição teve que ser suspensa entre 1915 e 1918 devido à Primeira Guerra Mundial e entre 1941 e 1945 devido à Segunda Guerra Mundial. Desde 1946 até hoje, foram realizadas todas as edições. Em 2019, ocorreu a de número 102.

Em 1931, foi incorporado o símbolo de identificação das grandes voltas: a camisa para reconhecer os líderes. Foi assim que surgiu a “la maglia rosa” devido à cor das páginas de La Gazzetta. O primeiro a vestir essa camisa foi Learco Guerra, que venceu a etapa entre Milão e Mantova na edição daquele ano.

O grande domínio italiano das primeiras décadas se viu um pouco ameaçado pela presença de vários ciclistas estrangeiros a partir dos anos cinquenta. O luxemburguês Charly Gaul ou o francês Jacques Anquetil (cinco vezes campeão do Tour de France) por exemplo, apresentaram boas performances.

História do Giro d'Italia

A década de setenta foi, sem dúvida, do belga Eddy Merckx, que venceu cinco das sete edições em que participou. O Giro d’Italia foi marcado pelo duelo entre Giuseppe Saronni e Francesco Moser nos anos 80.

Posteriormente, com a chegada de Gianni Bugno, Claudio Chiapucci e Franco Chioccoli nos anos 90, os ciclistas nacionais voltaram a demonstrar a superioridade italiana na competição.

As maglias

As maglias atuais da competição são a rosa para o líder da classificação, a azul — desde 2012, antes verde — para o líder da classificação da montanha, a maglia rosso passione ou ciclamino (púrpura) para o líder da classificação por pontos e a maglia branca para o líder entre menores de 25 anos.

Uma das características do Giro d’Italia é que ele possui outros tipos de classificações, conhecidas como secundárias, mas sem camisas distintivas, devido às regras da União Internacional de Ciclismo (UCI).

Entre essas classificações, podemos destacar a do Intergiro, a de equipes, a de mais quilômetros em fuga, a de Fair play e a de combatividade.

A última edição do Giro d’Italia

A 102ª edição do Giro d’Italia ocorreu entre 11 de maio e 2 de junho, mesmo período em que todas as corridas aconteceram desde o princípio. Começou na cidade de Bolonha com um prova contrarrelógio individual e terminou com a mesma prova em Verona.

No total, o Giro d’Italia 2019 teve 21 etapas e uma distância de quase 3.500 quilômetros. O vencedor foi o equatoriano Richard Carapaz (maglia rosa) e em segundo lugar ficou o italiano Vincenzo Nibali.

A maglia ciclamino(por pontos) ficou com o alemão Pascal Ackerman, a maglia azurra(da montanha) com o italiano Giulio Ciccone e a maglia bianca (jovens) com o colombiano Miguel Ángel López.

A competição passou pelos seguintes locais:

  • Santuário de Nossa Senhora de San Luca
  • Fucecchio
  • Vinci
  • Orbetello
  • Frascati
  • Terracin
  • Cassino
  • San Giovanni Rotondo
  • Vast
  • L’aquila
As maglias no Giro d'Italia

  • Tortoreto
  • Pésaro
  • Riccione
  • Rávena
  • Módena
  • Carpi
  • Novi Ligure
  • Cuneo
  • Pinerolo
  • Ceresole Reale
  • Saint-Vincent
  • Courmayeur, Ivrea
  • Como
  • Lovere
  • Ponte di Legno
  • Comezzadura
  • Rasun Anterselva
  • Valdaora
  • Santa María di Sala
  • Treviso
  • San Martino di Castrozza
  • Feltre
  • Cocre d’aune

Por fim, vale ressaltar que a competição também contou com uma etapa por San Marino e que, na prova, foram prestadas várias homenagens. Uma delas foi a Leonardo da Vinci, pelo 500° aniversário de sua morte. A outra foi ao ciclista Fausto Coppi, por seu feito na competição de 1949.

  • Carreño, M. Recorrido, etapas y perfiles del Giro de Italia 2019. Marca. Mayo de 2019. https://www.marca.com/ciclismo/giro-italia/2019/05/10/5cd59bd7268e3e76128b4584.html
  • Diario As. Las etapas claves que pueden decidir el Giro de Italia 2020. Octubre de 2019. https://as.com/ciclismo/2019/10/25/giro_italia/1572012809_284271.html