O sistema imunológico e a atividade física: qual a relação?

· 20 de dezembro de 2018
Os hábitos saudáveis são a melhor maneira de permanecer saudável: uma boa alimentação, a atividade física regular ou o descanso suficiente são medidas que você pode implementar para se sentir melhor. Saiba como você pode garantir o bom funcionamento das suas defesas naturais a seguir.

As defesas naturais do corpo contra as infecções são conhecidas como sistema imunológico. Através de uma série de reações, o corpo combate e destrói organismos infecciosos invasivos com o objetivo de evitar que eles causem maiores danos. Descubra as relações entre o sistema imunológico e a atividade física a seguir.

É necessário ter em mente que nossas defesas podem ser afetadas por diferentes fatores. Entre eles, há fatores internos e fatores externos.

  • Fatores internos: dentro desta categoria encontramos doenças ou até mesmo a idade. Eles são fatores incontroláveis.
  • Fatores externos: neste caso, podemos sim controlá-los; alguns deles podem ser o estilo de vida sedentário, a alimentação, o tabagismo ou o consumo de cafeína, por exemplo.

A atividade física melhora o funcionamento do sistema imunológico, desde que seja feita de forma moderada. Por outro lado, um exercício muito intenso pode ter um efeito negativo, já que ele pode fazer com que, devido ao estresse e fadiga a que submetemos o corpo, o sistema imunológico seja afetado. 

Mulher cansada no trabalho

Sistema imunológico e a atividade física: efeitos benéficos

  • Se você se exercita, é menos provável que você pegue gripe ou resfriados, pois isso ajuda a eliminar as bactérias dos pulmões e das vias aéreas.
  • Anticorpos e leucócitos ficam mais ativos com a prática regular de atividades físicas, de tal forma que eles podem detectar doenças mais rapidamente, bem como combatê-las de uma forma mais eficiente.
  • O aumento na temperatura ajuda o corpo a combater melhor uma infecção, de modo que um breve aumento na temperatura corporal durante e imediatamente após o exercício pode impedir o crescimento bacteriano.
  • Quando nos exercitamos, secretamos menos hormônios do estresse, o que reduz as chances de ter uma infecção.

Sistema imunológico e a atividade física: efeitos negativos

Assim como dissemos anteriormente, se a intensidade da atividade física for muito alta, o sistema imunológico será prejudicado.

Se antes vimos que a prática de atividades físicas moderadas faz com que menos hormônios do estresse sejam liberados, podemos dizer que, com uma intensidade muito alta, pode acontecer o efeito contrário.

Além disso, se gerarmos grandes quantidades de hormônios devido a esse estresse, a produção de citocinas é inibida, aumentando assim a probabilidade de contrair infecções, entre outros problemas.

Mulher assoando o nariz em um lenço

Se você não sabe muito bem quando está excedendo o limite do seu corpo, então preste atenção aos sinais que ele envia, tais como:

  • Ter infecções repetidamente; especialmente se forem respiratórias.
  • Cansaço contínuo; mesmo após acabar de levantar da cama.
  • Ferimentos que demoram mais para cicatrizar.
  • Dores musculares, lesões contínuas, taquicardias…

Fatores que ajudam a melhorar a imunidade do atleta

Alimentação

A alimentação tem uma relação direta com o sistema imunológico. Quando a alimentação é inadequada ou deficiente, ocorre uma queda das defesas.

Se uma dieta é equilibrada e completa, ela ajuda a manter ou até mesmo fortalecer as defesas. Por isso, é conveniente manter uma dieta variada e com uma distribuição proporcional de todos os nutrientes na medida certa, de acordo com as necessidades de cada metabolismo e da atividade física.

Tente fazer com que sua dieta não seja rica em gorduras saturadas; principalmente porque elas reduzem a resposta imunológica. Ao invés disso, introduza gorduras saudáveis que vêm dos peixes azuis ou das oleaginosas.

Por outro lado, encontramos os probióticos, que são microrganismos vivos que, quando administrados em quantidades adequadas, promovem benefícios para a saúde do organismo hospedeiro ou de quem os consome.

E eles fazem isso, acima de tudo, mantendo ou restabelecendo o equilíbrio da nossa flora bacteriana, que é toda a colônia de microrganismos que habitam o nosso corpo. Eles têm uma função muito importante na defesa contra agentes externos. Assim, consuma-os em laticínios fermentados; tais como o iogurte ou o kefir.

Mulher fazendo um alimento com leite

Há também os prebióticos, que não são microrganismos vivos, mas sim alimentos que estimulam o crescimento da flora; tais como certas fibras vegetais.

Outros fatores que influenciam as nossas defesas são:

  •  O descanso e o sono: tanto a quantidade quanto a qualidade.
  •  O frio e/ou mudanças de temperatura: é necessário se vestir adequadamente de acordo com a temperatura ambiente durante os treinos e competições; principalmente se forem ao ar livre.

Assim, como podemos ver, o sistema imunológico e a atividade física intimamente relacionadas; mas lembre-se de que há algumas outras coisas que você também pode fazer para permanecer forte; por exemplo descansar adequadamente ou cuidar da sua alimentação.