Diferença entre ambiente competitivo e cooperativo

2 de setembro de 2019
Você já esteve em um ambiente esportivo carregado de competição? Vamos mostrar as diferenças entre essa abordagem e uma de cooperação, bem como os resultados de se concentrar em apenas uma delas.

A diferença entre um ambiente competitivo e um cooperativo fica acentuada quando há um clima polarizado. Sem dúvida, esses dois tipos de ambiente podem coexistir, mas isso exige muito trabalho e conhecimento.

Muitas vezes, quando um ambiente é apenas competitivo ou apenas cooperativo, os atletas não se sentem apoiados o suficiente para atingir os seus objetivos.

Parece que falar em competição e cooperação é falar de dois polos opostos, mas, na verdade, o caminho para o sucesso está em combiná-los. No entanto, esses dois tipos de ambiente têm características muito distintas, e a sua compreensão e integração são de extrema importância.

Competição e cooperação: em que consistem?

Primeiramente, podemos dizer que essas são duas maneiras de ver o esporte e a vida em geral. Essas perspectivas podem ser aplicadas a qualquer área da vida e são definidas como uma maneira de agir em um grupo.

Assim, dependendo da dinâmica, essas abordagens podem influenciar uma equipe de trabalho, uma família e até mesmo um grupo de amigos.

Competição

A competição funciona como a alma sagrada do esporte. É um conceito que engloba a rivalidade e o desejo de superação. Inclui a intenção de vencer, de atingir um objetivo primeiro e de conseguir derrotar um adversário.

Essa habilidade está intimamente ligada ao esporte e diz-se que uma equipe é competitiva quando consegue lutar de igual para igual. Não é à toa que os atletas são competitivos desde a infância e a integram essa característica na sua personalidade como um mecanismo de superação, tanto dentro quanto fora de suas equipes.

Cooperação

A cooperação, da mesma forma que a competição, abrange qualquer atividade que não seja individual. Cooperar é a capacidade de unir esforços com outras pessoas para alcançar uma meta.

Portanto, a cooperação é um pilar fundamental da nossa espécie, uma vez que, no nível filogenético, viver em sociedade implica, de forma inerente, ter a capacidade de interagir de forma eficaz.

Diferenças entre um ambiente competitivo e um cooperativo

Nos ambientes esportivos, existem habilidades que são marcadamente competitivas, enquanto outras são cooperativas. Por exemplo, em um grupo, sempre pode haver uma pessoa extremamente competitiva e outra que tenta unir a equipe, atribuindo funções que permitam criar uma estrutura.

Por mais que seja difícil englobar os traços distintivos, uma vez que as dinâmicas são muito diferentes entre os esportes, podemos listar certas diferenças fundamentais:

  • Equipe: a competição interna sempre é boa, mas para que uma equipe seja competitiva como um todo, é necessário que exista um certo grau de cooperação. Portanto, a cooperação e a competição diferem de acordo com o nível em que se manifestam.
O papel do treinador em um ambiente competitivo e cooperativo

  • Individualidades: os atletas sempre devem ter o desejo de superação, seja para ganhar uma posição dentro da equipe ou para ser melhor do que os rivais. Da mesma forma, a qualidade cooperativa de um atleta também é essencial, já que a maioria dos esportes é praticada em equipe. Assim, um atleta exclusivamente competitivo é aquele que só se preocupa com os seus objetivos pessoais. Enquanto isso, alguém cooperativo busca as metas do grupo.
  • Tipo de ambiente: falamos de ambiente quando descrevemos as diretrizes ditas e não ditas de uma equipe de trabalho. Em um ambiente extremamente competitivo, certamente haverá indivíduos que se destacam acima do restante. De uma forma antagônica, em uma equipe muito cooperativa, o grupo alcançará bons resultados, embora poucos indivíduos se destaquem.

O papel do treinador em um ambiente competitivo e cooperativo

O corpo técnico geralmente transmite as diretrizes operacionais, mas como isso pode afetar o tipo de ambiente? De uma forma muito simples: se apenas as atitudes competitivas forem premiadas pela direção, os atletas vão internalizar que esta é a forma correta de agir ou de ganhar uma posição.

Da mesma forma, se o técnico premiar as habilidades de cooperação, isso promoverá essa característica nos seus atletas.

Ambientes extremamente competitivos ou cooperativos: efeitos

As consequências são variadas, embora muito previsíveis. Em suma, podemos dizer que, quando um ambiente está polarizado, ele adquire todos os benefícios da sua abordagem, mas perde os do outro lado. Vamos apresentar alguns exemplos ilustrativos:

  • Ambiente unicamente competitivo: quando os padrões são muito altos e nos concentramos apenas na competição, alguns atletas podem ficar muito motivados enquanto outros podem perder o gosto pelo esporte. Tomemos o exemplo de um time de futebol: se for colocada muita ênfase na ideia de que os titulares são os melhores, isso vai desvalorizar os reservas. Há casos frequentes de burnout esportivo e de perda da natureza lúdica do esporte nessas situações.
  • Ambiente apenas cooperativo: um ambiente cooperativo é aquele em que todos se sentem como uma parte fundamental da engrenagem, independentemente de suas habilidades. O problema ocorre quando a cooperação excessiva desativa a motivação competitiva. Vamos continuar com o exemplo do futebol: se uma equipe nunca premiar o desenvolvimento pessoal e todos jogarem durante a mesma quantidade de tempo, independentemente de suas habilidades, os bons resultados também não serão obtidos.

Ambiente competitivo e cooperativo: a chave para combiná-los

Quando falamos de competição e cooperação, não estamos falando de abordagens que não podem ser misturadas, como se fossem água e óleo. Os treinadores enfatizam que um ambiente agradável é o que fortalece as metas do grupo.

Esse ambiente agradável é alcançado quando os atletas competem por uma posição, mas quem ganha ou perde apoia o parceiro incondicionalmente porque o que importa são os resultados do grupo. Dessa forma, tanto o desenvolvimento pessoal quanto o do grupo são premiados.

Esportes individuais

Esportes individuais

Os esportes individuais não são uma exceção à regra. A cooperação é um aspecto fundamental entre a equipe de trabalho.

Deve-se considerar que, embora apenas uma pessoa vá para o campo, há toda uma equipe por trás. Da mesma forma, a competição excessiva entre rivais também faz com que os sentimentos fiquem polarizados após uma derrota ou uma vitória.

É necessário entender as características de ambas as abordagens para alcançar bons resultados. A rivalidade é um aspecto intrínseco do esporte e eliminá-la não é a solução. A qualidade mais importante é a de saber aproveitar a competição sem que ela se torne uma tortura para o atleta.

  • Gjesdal, S., Haug, E. M., & Ommundsen, Y. (2019). A Conditional Process Analysis of the Coach-Created Mastery Climate, Task Goal Orientation and Competence Satisfaction in Youth Soccer: The Moderating Role of Controlling Coach Behavior. Journal of Applied Sport Psychology, 31(2), 203-217. https://doi.org/10.1080/10413200.2017.1413690
  • Gjesdal, S., Stenling, A., Solstad, B. E., & Ommundsen, Y. (2019). A study of coach-team perceptual distance concerning the coach-created motivational climate in youth sport. Scandinavian Journal of Medicine and Science in Sports, 29(1), 132-143. https://doi.org/10.1111/sms.13306
  • Ryuh, Y., Choi, P., Oh, J., Chen, C.-C., & Lee, Y. (2019). Impact of Inclusive Soccer Program on Psychosocial Development of Children with and without Intellectual Disabilities. Journal of Developmental and Physical Disabilities. https://doi.org/10.1007/s10882-019-09670-8