Ferimentos e cicatrizes que limitam o treinamento

26 de novembro de 2019
Os ferimentos e cicatrizes de uma pessoa podem ter sido causados por um acidente, uma operação ou pelo uso repetitivo. Eles limitam o treinamento e podem até mesmo causar distúrbios posturais.

Os ferimentos e cicatrizes de lesões ou operações podem interferir no nosso treinamento. É muito importante aguardar até que eles estejam curados quase completamente e, se necessário, modificar o nosso treino. Saiba mais sobre os cuidados relevantes neste artigo.

Ferimentos e cicatrizes: o que devemos saber

As células da pele têm muitas funções. Uma delas é a de reparar os tecidos que foram danificados por diferentes razões. A derme é um dos maiores órgãos do corpo humano e, por estar exposta ao meio ambiente, ela é a responsável por ‘trocar’ informações entre o exterior e o interior.

Quando surgem ferimentos e cicatrizes, podemos experimentar certos distúrbios em termos posturais, sensoriais ou motores até mesmo em outras partes do corpo.

Por exemplo, se tivermos um corte na palma da mão, provavelmente sentiremos dor ao pegar um objeto como um haltere e não poderemos fechar os dedos adequadamente, sobrecarregando outra parte do corpo para manter o equilíbrio.

As cicatrizes aparecem após uma cirurgia, um corte, um trauma ou uma queimadura. O processo que a pele executa para curá-las é mais complexo do que podemos imaginar.

Para começar, o sangramento transmite diversos elementos, tais como plaquetas sanguíneas, glicoproteína ou fibrina e tenta produzir a vasoconstrição.

A partir desse momento, o corpo trabalha incansavelmente para curar o ferimento e, acima de tudo, para impedir que bactérias e outros organismos entrem através dele.

A última fase da cicatrização também é conhecida como remodelação e pode levar dias, semanas ou até mesmo meses. Tudo depende do tamanho e das características do ferimento.

Quando os ferimentos e cicatrizes se tornam um problema

Se a derme e a fáscia (estrutura interna da pele, com receptores de dor) são afetadas por ferimentos e cicatrizes mais profundos, as suas estruturas são alteradas. Isso pode ter como resultado uma menor interação interno-externa.

Ferimentos e cicatrizes que limitam o nosso treinamento

As fibras da fáscia ficam menos elásticas durante o processo de cicatrização. A tensão é o principal problema quando queremos treinar, pegar um objeto ou fazer certos esforços.

Além do risco de que o ferimento se abra ou infeccione, há também a sensação de dor. Com isso, também há mudanças nos nossos hábitos ou movimentos.

Sem dúvida, se tivermos uma cicatriz no pé e quisermos nos exercitar, provavelmente vamos transferir o peso do corpo para a outra perna. Isso pode causar dor no joelho ou no quadril sobrecarregado, entre outros problemas.

Outro exemplo é ter um corte na mão e, em vez de usar esse lado para levantar pesos, usarmos a mão oposta. Mudanças na postura ou no exercício podem trazer muitos problemas, não apenas para o treinamento, mas também para a vida cotidiana.

Como tratar e evitar ferimentos e cicatrizes?

Primeiramente, devemos ter muito cuidado quando nos exercitamos para não que não haja algum corte, bolha ou atrito que possa piorar depois ou então nos impedir de treinar adequadamente.

Dependendo do tipo de atividade física que praticamos, devemos proteger a pele ou as áreas mais propensas a lesões. Por exemplo, as palmas das mãos durante a musculação, os calcanhares durante a corrida ou a virilha durante o ciclismo.

Para isso, as bandagens de tecido são um excelente método para evitar o aparecimento de ferimentos, mas não o único. Também podemos hidratar a derme com cremes e até mesmo usar talco ou farinha para evitar que o suor e o atrito prejudiquem a pele.

Outra questão importante: não use roupas ou calçados novos durante um treino árduo ou em uma competição. Primeiramente, devemos garantir que o corpo se adapte a esses elementos, dando a eles uma certa ‘quilometragem rodada’ para, dessa forma, aliviar as consequências do atrito ou da pressão inicial.

evitar ferimentos e cicatrizes

Como agir diante de problemas de pele

Caso apareçam ferimentos e cicatrizes por causa do exercício ou por outra situação externa, é essencial consultar um especialista para que ele nos indique quando podemos retornar à atividade e também como cuidar da área.

Provavelmente, um curativo ou gaze já será o suficiente para evitar o contato com as bactérias. No entanto, em termos de dor ou desconforto, talvez tenhamos que esperar um pouco mais para nos sentirmos em perfeitas condições para voltar aos treinos.

Se o ferimento tiver sido causado por uma operação, não basta apenas tirar os pontos. Existe um procedimento subsequente que deve ser seguido para que não ocorram aberturas e complicações indesejadas. Portanto, é preferível esperar um pouco para não precisar de uma operação de emergência.

 

  • Montequin, F. (2012). Heridas de difícil cicatrización. I Revista Cubana de Angiología y Cirugía Vascular.