Muitas doenças cardíacas são causadas por dietas ricas em gordura

· 19 de janeiro de 2019
Ao longo dos anos, avançamos no campo tecnológico de uma maneira incrível, no entanto, pioramos consideravelmente nossa dieta, tornando-a muito menos saudável e perdendo nossas raízes na nutrição; saiba como a gordura pode afetar, positivamente ou negativamente, a saúde cardiovascular.

Muitos colocam as gorduras como as principais “vilãs”, mas a questão é quanto e que tipo de gorduras consumimos no que diz respeito à existência de uma forte relação entre o aparecimento de doenças cardíacas e ingestão excessiva de certas gorduras. Vamos descobrir essa conexão no artigo de hoje.

As gorduras são responsáveis ​​pelas doenças cardíacas?

Há uma frase que afirma que “nós somos o que comemos”, e poderíamos acrescentar que também ficamos doentes dependendo de como cuidamos da nossa alimentação.

Embora, neste caso, existam vários fatores que influenciam nossa saúde (atividade física, tabagismo, álcool ou histórico familiar) e que também estão relacionados a doenças cardíacas, nossa dieta tem uma grande influência.

Tábua com algumas proteínas magras

Mas, embora geralmente se pense que as gorduras são as inimigas número um da saúde, vários estudos afirmam que, na realidade, o problema está na qualidade e na quantidade em que são ingeridas.

Se pensarmos em todas as gorduras como sendo de um mesmo grupo, deixaríamos de lado os benefícios que certos tipos de gorduras trazem para nós. As gorduras trans ou saturadas são aquelas que podem realmente causar doenças, por isso devemos controlá-las muito bem e, se for o caso, reduzir sua ingestão.

Por outro lado, as gorduras monoinsaturadas ou poli-insaturadas, presentes em muitos alimentos da dieta mediterrânea, são responsáveis ​​pela redução das doenças cardíacas na sociedade atual.

Além disso, não podemos ignorar os ácidos graxos poli-insaturados, conhecidos como Ômega 3, presentes principalmente nos peixes e que são essenciais nas dietas saudáveis ​​de hoje.

“Dieta rica em gordura é igual a doença cardíaca”

Embora essa “fórmula” pareça bastante adequada para definir o risco da ingestão das gorduras hoje, ela não é inteiramente verdadeira. Os efeitos das dietas à base de gordura para a saúde cardiovascular têm sido investigados há anos.

Basicamente, tentamos saber qual é a relação entre esses componentes e o colesterol, pressão alta ou ataques cardíacos. Até recentemente, pensava-se que o risco de doença cardíaca tinha a ver com a ingestão total de gordura. Hoje sabemos que comer gorduras “ruins” é uma das causas, mas não a única.

Homem no médico vendo uma veia entupida no computador

Nas últimas décadas, mudamos – infelizmente para pior – nossa dieta e acrescentamos muitas gorduras trans aos alimentos que compramos e consumimos regularmente.

Isso tem um impacto direto na saúde de nossa geração e nas futuras, uma vez que o hábito de comer frituras e fast food foi instalado na sociedade sem pensar nas suas verdadeiras consequências.

Devemos ter muito cuidado com o que comemos ou o que damos a nossos filhos para o jantar. Desde a introdução de alimentos feitos com óleos ricos em gorduras saturadas (por exemplo, óleo de palma) e a grande oferta de produtos feitos artificialmente, as doenças cardíacas e a obesidade aumentaram, inclusive nas crianças.

Os óleos parcialmente ou totalmente hidrogenados, usados ​​em panificação, cremes, manteigas, congelados, pré-cozidos, doces ou cereais matinais, também são os responsáveis ​​por cada vez mais pessoas sofrerem de um alto nível de colesterol.

Isso ocorre porque o processo de hidrogenação converte os óleos em ácidos graxos, que, quando ingeridos pelo organismo, são transformados em lipídios. Como consequência, além de aumentar o colesterol “ruim” e os triglicerídeos, a quantidade de colesterol “bom” ou HDL diminui.

Menina com luva de box golpeando hambúrguer gigante

E não podemos deixar de fora as gorduras saturadas de produtos de origem animal, como carne, laticínios ou ovos. Isso não seria ruim para o organismo se eles fossem consumidos crus ou cozidos, mas o problema é que, para cozinhá-los, usamos óleos a uma temperatura muito alta, o que faz com que eles se tornem hidrogenados.

O que causa as doenças cardíacas?

Poderíamos então indicar que a ingestão excessiva de gorduras trans e saturadas é responsável pelas doenças cardíacas. Mas isso seria colocar a culpa toda neles, quando eles são apenas parte do problema.

Existem outras causas importantes que merecem destaque. Os diferentes fatores de risco para doenças cardiovasculares são:

  • Pressão alta (que pode ser devido, por exemplo, ao consumo excessivo de sal ou a problemas emocionais)
  • Obesidade e excesso de peso
  • Sedentarismo
  • Tabagismo
  • Falta de atividade física
  • Fatores hereditários
  • Idade
  • Estresse
  • Consumo de álcool
Menina fumando

Portanto, dizer que as gorduras são responsáveis ​​pelas doenças cardíacas seria uma falácia. Eles são um dos fatores de risco e, felizmente, podemos corrigir sua ingestão de maneira a controlar seu risco. Tenha um coração saudável!

Castro-Martínez, M. G., Bolado-García, V. E., Landa-Anell, M. V., Liceaga-Cravioto, M. G., Soto-González, J., & López-Alvarenga, J. C. (2010). Ácidos grasos trans de la dieta y sus implicaciones metabólicas. Gaceta Medica de Mexico.