Síndrome de déficit de atenção com hiperatividade e o esporte

· 8 de março de 2019
Se o seu filho tem síndrome de déficit de atenção com hiperatividade, você deve saber que ele está mais do que capacitado para fazer algum esporte. Nós apresentaremos todos os aspectos que você deve levar em consideração.

A síndrome de déficit de atenção com hiperatividade é um transtorno que pode ser encontrado em crianças e adultos. Ela se caracteriza por 3 principais sintomas: hiperatividade, impulsividade e falta de atenção.

O tratamento das pessoas que sofrem dessa síndrome requer intervenção médica, psicológica e educacional, assim como a gestão do comportamento.

No entanto, as crianças que sofrem de síndrome de déficit de atenção com hiperatividade estão capacitadas para o esporte. Na verdade, realizar atividades esportivas pode ajudar a melhorar as habilidades sociais, demonstrar os pontos fortes e aumentar a autoestima.

Além disso, uma pesquisa apontou que o exercício ajuda no desenvolvimento dos recursos de atenção, influencia no córtex pré-frontal dorsolateral e está envolvido também na liberação de dopamina, que é normalmente induzida pelo exercício.

A síndrome de déficit de atenção com hiperatividade e o esporte

Uma das melhores maneiras para ajudar as crianças com déficit de atenção com hiperatividade é incentivá-las a praticar as atividades de que mais gostem e que mais as motivem, valendo qualquer esporte.

De fato, o esporte é uma parte fundamental da vida de muitas crianças, e não há nenhuma razão pela qual não deve ser praticado por crianças que têm a síndrome.

basquete desenvolvimento das crianças

Apesar de haver pouca pesquisa a respeito da relação entre quais esportes combinam mais com as crianças, alguns estudos têm demonstrado que o tai chi chuan ajuda os adolescentes a ter menos ansiedade. Fora que melhora o comportamento, produz menos emoções negativas e menos episódios de hiperatividade.

Além disso, os esportes oferecem muita interação social, além de uma boa forma física. Por isso, as crianças com síndrome de déficit de atenção com hiperatividade podem interagir com seus companheiros.

Tenha em mente que, em alguns casos, as crianças com déficit de atenção se sentem isoladas ou com dificuldades para se relacionar com os seus colegas.

Sendo assim, o esporte pode ser utilizado como um vínculo saudável para fazer amigos. Portanto, o esporte tem a capacidade de ajudar os jovens a ganhar confiança e elevar a autoestima.

Como escolher o esporte ideal?

Nem sempre é fácil encontrar o esporte ideal. Por isso, recomenda-se que as crianças com síndrome de déficit de atenção com hiperatividade vejam ou experimentem muitas atividades esportivas diferentes, seja na escola ou fora dela, com o fim de ter a oportunidade de decidir qual delas lhes gera mais interesse e motivação.

Como regra geral, as crianças com déficit de atenção aproveitam mais da atividade quando recebem muita atenção individual dos treinadores. É por isso que é mais provável que tenham sucesso com esportes individuais, como natação, mergulho, luta, artes marciais e tênis.

No entanto, os esportes de equipe como o futebol, o polo aquático ou o basquete também podem ser adequados. Entretanto, não se esqueça que a maioria desses esportes requer que as crianças prestem atenção constante aos outros jogadores e estratégias.

Infelizmente, a adaptação não é fácil para todas as crianças com essa síndrome. Mas não deixe de encorajar o seu filho a experimentá-los, se esse for o seu desejo. Além disso, recomendamos que, se ele for muito competitivo, é melhor que não escolha uma atividade que enfrente outra criança.

Nossa proposta: a natação

A natação é um esporte ideal para as crianças com síndrome de déficit de atenção com hiperatividade.

Entre outras coisas, o objetivo principal de trabalhar na água é, por um lado, fazer com que a criança se divirta. Por outro lado, a ideia é clara: desafiar as suas capacidades, fortalecer o sistema imunológico, a força e a sua autoestima. Dessa maneira, ele estará mais capacitado a enfrentar os desafios do futuro.

Criança na aula de natação

Entre outras coisas, você deve saber que a água tem uma surpreendente capacidade de relaxar em um curto período de tempo, o que contribuirá para que a criança coloque toda a sua atenção no que está acontecendo na piscina.

Na verdade, você pode começar verificando os limites de atenção da criança, da força e da coordenação. Por exemplo, você pode pedir que a criança se sente à beira da piscina e faça círculos com os braços na água.

O objetivo é colocar à prova as suas capacidades, e ir mudando os exercícios. Dessa forma, você irá incrementar o limite de concentração para que a criança possa realizar exercícios mais complexos durante um período de tempo mais longo, de acordo com os objetivos que tenha definido anteriormente.

Por outro lado, os pulmões também desempenham um papel-chave na concentração. Tenha em conta que ao nadar, a água exerce pressão sobre os pulmões, o que faz com que a exigência seja maior em comparação a quando estão em terra.

Dessa forma, isso faz com que os pulmões trabalhem mais do que ao realizar exercícios aeróbicos, como correr ou andar de bicicleta. Quanto mais oxigênio chega ao cérebro, mais concentrados estamos e durante mais tempo.

Por último, não esqueça que, assim como acontece com todas as crianças, as que têm síndrome de déficit de atenção devem liberar energia. Neste sentido, consideramos que a água pode regular a energia e canalizá-la para o sucesso, além de aperfeiçoar as habilidades de movimento.

Além disso, lembre-se que o prazer, a participação e a vinculação entre pares é muito mais importantes a longo prazo do que o aspecto competitivo. Em suma, o impacto real dos esportes se refletirá na autoestima, na confiança e na vida social da criança.