Benefícios dos exercícios de Kegel para homens

14 de julho de 2019
Há uma condição que pode ocorrer com todos os homens e que pode ser bastante incômoda: a incontinência urinária. Os exercícios de Kegel ajudam a lidar com os efeitos desse problema.

A incontinência urinária afeta milhares de pessoas. Ela está associada à entrada na idade avançada, bem como à impotência sexual em alguns homens. Pensando em resolver esses problemas, os exercícios de Kegel são uma ótima opção.

Na prática, uma vida saudável implica em ter tranquilidade nos momentos do dia a dia. Certamente é desconfortável e desagradável quando um pouco de urina escorre sem que isso possa ser evitado.

Isso pode ser um problema principalmente quando estamos na rua ou em uma reunião de trabalho. Essas são situações que podem ocorrer quando os músculos do assoalho pélvico estão enfraquecidos.

Também conhecidos como exercícios de contração do músculo pubocoxígeno, os exercícios de Kegel foram especificamente projetados para ajudar as mulheres após o parto. Seu nome se deve ao Dr. Arnold Kegel, um ginecologista americano que desenvolveu esse método na década de 1940.

Resultados tangíveis em homens

As pessoas que exercitam os músculos sob o útero, a bexiga e o intestino grosso obtêm bons resultados. Isso ajuda não só a superar as dificuldades de controle da urina, mas sua ação positiva também favorece o trânsito intestinal.

Além disso, o fortalecimento dessa área ajuda na função sexual masculina, permitindo um maior suprimento de sangue ao pênis inteiro. Isso resulta em uma melhor sustentação da ereção.

Os exercícios de Kegel para homens também trazem outros benefícios. A cirurgia de próstata com extirpação geralmente é a principal condição que faz com que a prática desses exercícios seja recomendada.

Essas operações na próstata são realizadas, entre outros motivos, a fim de prevenir e tratar a incontinência urinária. Inclusive, alguns urologistas afirmam que adotar esse treino de exercícios de Kegel durante os seis meses anteriores à entrada na sala de cirurgia é muito benéfico.

Resultados tangíveis em homens

Exercícios de Kegel para homens: passo a passo

Primeiramente, é necessário identificar os músculos corretos nos quais trabalhar. Para isso, a área do assoalho pélvico deve ser tateada, mantendo as pernas, glúteos e o abdômen completamente relaxados. Ao mesmo tempo, o esfíncter urinário deve ser tensionado.

Uma maneira muito comum de fazer essa sondagem é interromper o fluxo de urina abruptamente. Uma vez que essa primeira fase tiver terminado, procede-se da seguinte forma:

  • A bexiga deve ser esvaziada completamente.
  • Durante um período de oito segundos, todos os músculos do assoalho pélvico devem ser tensionados. Nesse ponto, é importante cuidar da respiração. É um erro relativamente comum acreditar que, enquanto a tensão é aplicada, a inspiração e expiração de oxigênio devam ser suspensas. Entre outras coisas, isso impede que a área abdominal fique relaxada.
  • Relaxar por 10 segundos antes de iniciar o processo novamente, que deve ser repetido entre 10 e 12 vezes.

Para aqueles que começarem esse treino, é sugerido que ele seja feito estando deitado em uma superfície confortável e em ciclos de três segundos. Os resultados serão visíveis após várias semanas de prática contínua e disciplinada.

Riscos e precauções

Há muitos benefícios que são obtidos com a prática dos exercícios de Kegel. No entanto, não é recomendado executá-los durante a micção, já foi comprovado que, a longo prazo, isso pode acabar enfraquecendo ainda mais os músculos do assoalho pélvico.

Outro aspecto a ser levado em consideração é que, ao desistir de sua prática diária, há um alto risco de que a incontinência urinária reapareça. Essa é outra razão pela qual a maioria dos especialistas argumenta que, uma vez iniciado esse treino, ele deve ser mantido durante a vida toda.

exercícios de Kegel

Sempre sob supervisão médica

Qualquer atividade que afete o corpo acarreta um risco para a saúde. Tanto para que os seus efeitos sejam realmente positivos, quanto para evitar complicações desnecessárias, é vital realizar os movimentos corretamente.

A supervisão deve começar desde o momento em que é necessário identificar os músculos a serem trabalhados. Na maioria dos casos, os especialistas explicam os procedimentos didaticamente, tentando esclarecer todas as dúvidas que possam surgir, evitando assim confusões e complicações.

Finalmente, também é possível sugerir o uso de técnicas complementares, como o biofeedback. Isso é feito com o objetivo de regular e treinar o grau de tensão que será usado e também para localizar, com precisão milimétrica, o ponto sobre o qual a descarga de força será aplicada.