Hábitos saudáveis para um bom metabolismo

· 23 de maio de 2019
Ter um metabolismo eficiente é uma prioridade para atingir o peso ideal e, da mesma forma, para garantir um bom estado de saúde em geral. Mas como podemos melhorar este processo?

Um metabolismo lento pode causar acúmulo de gordura no corpo; dessa forma, é recomendável melhorar os seus hábitos a fim de ter um bom metabolismo. Vamos te mostrar como mudar os seus hábitos positivamente neste artigo!

Metabolismo é um termo usado para descrever muitas das reações químicas que mantêm o corpo vivo e funcionando. No entanto, na maioria das vezes, quando se fala em metabolismo estamos nos referindo à forma como o corpo queima calorias e produz energia.

Desta forma, as pessoas que eliminam calorias facilmente e têm altos níveis de energia são caracterizadas por terem um metabolismo rápido. Além disso, ter um bom metabolismo é benéfico para a saúde de forma geral.

Para ter um metabolismo rápido, é essencial manter hábitos saudáveis que permitam que o nosso corpo trabalhe da melhor maneira possível. Por isso, preste atenção às dicas que vamos compartilhar a seguir e, dessa forma, melhore esse aspecto do seu bem-estar apenas com algumas alterações.

Hábitos adequados para um bom metabolismo

1. Durma o tempo necessário

O ciclo de sono é um aspecto de grande valor para o metabolismo funcionar corretamente. Isso ocorre porque, durante o sono, o corpo repara as células e se recupera de todo o esforço feito durante o dia, além de gerar novamente a energia que foi gasta.

Além disso, a falta de sono tem muitos efeitos negativos no metabolismo. Entre eles, destacam-se um maior risco de ter excesso de peso, o aumento dos níveis de açúcar no sangue e o aumento dos níveis do hormônio da fome (grelina).

Portanto, você precisa descansar bem todas as noites. Não só é necessário ter um horário definido, como também ter um período saudável de sono a fim de manter o metabolismo e os processos hormonais equilibrados.

2. Beba água o suficiente

Beber água constantemente é um hábito que traz muitos benefícios, tais como uma pele mais saudável, a eliminação de toxinas, uma melhor oxigenação do cérebro e, certamente, um bom funcionamento do metabolismo.

Beber água é muito mais conveniente do que consumir refrigerantes ou sucos processados. Os refrigerantes pioram o desempenho do seu metabolismo por causa da quantidade de açúcar, corantes e substâncias químicas nocivas que eles contêm.

Usos da água além da hidratação

Desta forma, beber água em vez de outras bebidas ajuda a aumentar a velocidade do seu metabolismo, principalmente se for água gelada, pois assim o seu corpo terá que usar mais energia para ajustar a temperatura da água ao corpo. Dessa forma, o efeito de queima de calorias será muito mais eficaz.

3. Não pule refeições

Se você quiser ter um bom metabolismo, evite, tanto quanto possível, pular refeições. O mais aconselhável é ter um horário fixo para o café da manhã, o almoço e o jantar, bem como para os lanches entre as refeições.

Isso é extremamente importante pois, se o seu corpo não tiver certeza de quando a próxima refeição chegará, o seu metabolismo diminuirá. Ao mesmo tempo, mais calorias serão armazenadas como gordura ao invés de serem queimadas para gerar energia.

4. Evite ficar sentado por muito tempo

Ficar sentado por muito tempo é realmente negativo para o organismo. Ficar sentado não requer o uso de nenhum músculo. Em contrapartida, o simples fato de ficar em pé requer a ação de vários grupos musculares para a estabilidade, o que aumenta o metabolismo.

Da mesma forma, ficar sentado durante várias horas está relacionado ao ganho de peso, uma vez que menos calorias são queimadas. Portanto, se você trabalha sentado, tente fazer intervalos nos quais você se movimenta ou fica em pé.

5. Consuma mais fibras

O consumo de mais alimentos ricos em fibras terá como resultado uma maior queima de calorias uma vez que o corpo precisa trabalhar mais para quebrar esse nutriente. Desta forma, as fibras também ajudam a combater a constipação e a reduzir o colesterol.

Consuma mais fibras

Se você quiser incluir mais fibras na sua dieta, você pode consumir alimentos como, por exemplo, grãos integrais, aveia, maçã, abacate, pistache, leguminosas, brócolis, framboesas e amêndoas.

6. Evite o óleo vegetal

O óleo é muito mais prejudicial do que parece. Entre os seus efeitos negativos estão os problemas cardiovasculares, o aumento do colesterol e o risco de obesidade.

Por isso, em vez de consumir alimentos preparados com óleo vegetal, é muito mais saudável substituí-lo por óleo de coco ou azeite de oliva extravirgem. O óleo de coco é rico em gorduras de cadeia média, que ajudam a acelerar o metabolismo.

Em suma, esses pequenos hábitos que você pode mudar na sua rotina realmente vão fazer a diferença; e não apenas no seu metabolismo. Na verdade, a sua saúde em geral será significativamente melhorada; por isso, não hesite em aplicar esses hábitos.

  • Brown, C. M., Dulloo, A. G., & Montani, J. P. (2006). Water-induced thermogenesis reconsidered: The effects of osmolality and water temperature on energy expenditure after drinking. Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism, 91(9), 3598–3602. https://doi.org/10.1210/jc.2006-0407
  • Stookey, J. J. D. (2016, January 2). Negative, null and beneficial effects of drinking water on energy intake, energy expenditure, fat oxidation and weight change in randomized trials: A qualitative review. Nutrients. MDPI AG. https://doi.org/10.3390/nu8010019
  • Stookey, J. D., Constant, F., Popkin, B. M., & Gardner, C. D. (2008). Drinking water is associated with weight loss in overweight dieting women independent of diet and activity. Obesity, 16(11), 2481–2488. https://doi.org/10.1038/oby.2008.409
  • Vij, V. A., & Joshi, A. (2014). Effect of excessive water intake on body weight, body mass index, body fat, and appetite of overweight female participants. Journal of Natural Science, Biology and Medicine, 5(2), 340. https://doi.org/10.4103/0976-9668.136180
  • Biswas, A., Oh, P. I., Faulkner, G. E., Bajaj, R. R., Silver, M. A., Mitchell, M. S., & Alter, D. A. (2015, January 20). Sedentary time and its association with risk for disease incidence, mortality, and hospitalization in adults a systematic review and meta-analysis. Annals of Internal Medicine. American College of Physicians. https://doi.org/10.7326/M14-1651
  • Scheen, A. J., Byrne, M. M., Plat, L., Leproult, R., & Van Cauter, E. (1996). Relationships between sleep quality and glucose regulation in normal humans. American Journal of Physiology, 271(2 Pt 1), E261-70.
  • Chokroverty, S. (2010, February). Overview of sleep & sleep disorders. Indian Journal of Medical Research.
  • Smith, M. R., Perreault, L., Wright, K. P., Eckel, R. H., Markwald, R. R., Melanson, E. L., & Higgins, J. (2013). Impact of insufficient sleep on total daily energy expenditure, food intake, and weight gain. Proceedings of the National Academy of Sciences, 110(14), 5695–5700. https://doi.org/10.1073/pnas.1216951110
  • Assunção, M. L., Ferreira, H. S., Dos Santos, A. F., Cabral, C. R., & Florêncio, T. M. M. T. (2009). Effects of dietary coconut oil on the biochemical and anthropometric profiles of women presenting abdominal obesity. Lipids, 44(7), 593–601. https://doi.org/10.1007/s11745-009-3306-6