Por que o sono é indispensável para quem pratica esporte?

7 de fevereiro de 2020
O metabolismo do esportista vai funcionar de maneira correta se ele teve um sono reparador. O estresse e outras consequências derivadas de dormir mal não são recomendáveis para o bem-estar.

O desenvolvimento humano depende do sono desde a infância. Durante a fase adulta, entretanto, as horas de descanso continuam sendo importantes. Isso é verdade principalmente para quem pratica esporte, pois o sono é essencial para o crescimento físico e a saúde do sistema imunológico e nervoso.

O metabolismo também está relacionado com o repouso noturno. Dormir mal gera estresse, problemas digestivos e alterações no peso, entre outros efeitos negativos. Assim, parece que toda a nossa existência está fundamentada pela forma como dormimos.

O sono e o desenvolvimento humano

Um bebê recém-nascido dorme de 16 a 18 horas durante as suas primeiras semanas de vida. Hoje em dia, os especialistas entendem que o repouso permite os trabalhos de desenvolvimento dos tecidos, do cérebro, da estrutura óssea e da musculatura.

A relação desenvolvimento-descanso é evidenciada ainda mais quando os pequenos reduzem as suas horas de sono conforme crescem. Isso não muda na infância, na juventude e na fase adulta. Em outras palavras, até as últimas etapas da vida, dormir é uma atividade fundamental.

Algumas opiniões médicas sugerem que a falta de descanso pode gerar doenças graves. De fato, ao afetar o ciclo circadiano e a recuperação dos tecidos, os processos celulares se alteram de forma pouco apropriada.

Repousar permite que nos recuperemos por completo

Aqueles que pensam que dormir bem é apenas um processo de descanso da atividade física e mental se equivocam. O ser humano não dorme apenas para repor energias: no sono, a restituição ocorre de modo geral. Os tecidos e as fibras se regeneram, o que envolve processos celulares em todos os níveis.

Por isso, dormir é muito importante para o condicionamento físico, o desenvolvimento muscular e o desempenho esportivo. Basicamente, nós dormimos como parte do nosso treinamento. Pelo contrário, aqueles que não descansam bem estão mais propensos a problemas metabólicos e de desenvolvimento muscular.

Estudos realizados por pesquisadores de Murcia já demonstraram que os níveis de insulina e o efeito dos carboidratos variam no metabolismo do esportista dependendo da qualidade do sono.

o sono é indispensável

Não é só dormir: é dormir bem

Tudo isso faz com que a nossa forma de realizar o repouso noturno seja a chave para o nosso desenvolvimento integral. Por exemplo, acredita-se que as pessoas que dormem pelo menos oito horas diárias têm o metabolismo ótimo. Só o fato de ir para a cama tarde poderia gerar mudanças nesse processo.

Nesse sentido, um sono reparador seria fundamental para evitar a propensão à obesidade e à diabetes. Da mesma forma, o descanso insuficiente costuma estar associado a problemas cardíacos com o passar dos anos.

A inconveniência é que o ritmo de vida atual limita as nossas horas de sono. Um adulto médio está dormindo no máximo seis horas e meia por dia. Por outro lado, até os anos setenta, as pessoas repousavam uma média de nove horas contínuas. O aumento da vida noturna também afeta o nosso organismo.

Esporte e sono: uma relação necessária

Como todos os processos mencionados anteriormente, a qualidade das nossas atividades físicas e mentais depende da nossa capacidade de dormir bem. Esportistas e treinadores sabem disso e, portanto, os ciclos de descanso são respeitados rigorosamente num cenário profissional.

Todos os esportistas prestam atenção nos seus hábitos de descanso. Além de repousar pelo menos oito horas à noite, eles realizam descansos diurnos. Em esportes como o futebol, por exemplo, fomenta-se um cochilo completo, duradouro e reparador.

O descanso não envolve somente uma recuperação muscular. A sua importância é tanta que o desempenho esportivo poderia ser afetado após uma noite de sono ruim.

O estresse, a sonolência e os demais efeitos da insônia impedem o rendimento máximo.

Muitos sistemas de treinamento e rotação esportiva entendem essa realidade e se focam na relevância de cumprir o descanso apropriado. Afinal, a eficiência tem a ver com a plenitude das capacidades mentais.

Algumas recomendações sobre o sono e o esporte

Para conciliar de uma forma correta sono e esporte, estas seriam as dicas a serem levadas em consideração:

  • Fazer repousos diurnos: um cochilo de pelo menos meia hora à tarde melhora a nossa recuperação muscular. Além disso, fazer isso pode ser visto como prudente caso seja difícil descansar à noite.
o sono é indispensável

  • Exercite-se conforme o seu descanso: se não tivermos dormido o suficiente, o melhor é não empreender treinos de alta intensidade. Inclusive, se estamos muito esgotados, é mais recomendável investir as horas em repousar do que em trabalhar no condicionamento físico.

Como última recomendação, considere também treinar para pegar no sono: se para você é difícil dormir, tente realizar os seus treinos à noite.

Chegar esgotado e fazer um jantar saudável facilitará entrar em um estado de serenidade. Isso, porém, não funciona igualmente para todas as pessoas, e você também não deve se exercitar muito tarde.

  • Dirección General de Deportes-CARM. 2011.  Facultad de Psicología, Uiversidad de Murcia. Sueño y deporte. Extraído de: https://digitum.um.es/xmlui/bitstream/10201/34983/1/Sue%C3%B1os%20y%20Deporte.pdf
  • Barbalho Da Cunha, George Klinger. Sueño y deporte. Extraído de: https://www.aacademica.org/000-015/7.pdf
  • Alarcón López, F.  y Ureña Ortín, N . Universidad Católica San Antonio, de Murcia. 2006. OPTIMIZACIÓN DE LAS INGESTAS REALIZADAS
    DURANTE EL PERIODO COMPETITIVO EN DEPORTES DE INVASIÓN. Extraído de: http://cdeporte.rediris.es/revista/revista24/artingesta35.pdf