Analisamos o alimento ecológico e suas vantagens para a saúde

· 14 de março de 2019
Os regulamentos sobre o alimento ecológico abarcam todo o processo; desde a produção do alimento e sua elaboração até a embalagem do produto final; este procedimento tem como objetivo obter um produto natural e sem substâncias tóxicas

O alimento ecológico ou orgânico é aquele produzido com base em certas regulamentações que buscam o cuidado e a proteção do meio ambiente. São também produtos mais saborosos e nutritivos.

Cada país tem estabelecidos quais são os requisitos essenciais que um produto deve atender para poder ter um selo que o certifique como ecológico.

Como reconhecer um alimento ecológico

Para saber se um alimento é ecológico, é preciso verificar o selo que certifica sua condição de produto ecológico. Esta informação deve estar sempre à vista do consumidor, para que dessa forma não exista confusão.

Como reconhecer um alimento ecológico

Além dos selos concedidos pelos órgãos certificadores e de controle de produtos ecológicos, existem outras formas alternativas de garantir que você está comprando um produto sem substâncias tóxicas, saudável e, além disso, sem efeitos negativos para o meio ambiente.

Mais saudáveis e naturais

Os alimentos ecológicos são mais saudáveis, visto que são livres de resíduos tóxicos persistentes provenientes de pesticidas, antibióticos, fertilizantes sintéticos, aditivos e conservantes, muitos deles usados na agricultura convencional a fim de eliminar insetos ou pragas.

Por não conter substâncias artificiais, os alimentos da agricultura ecológica são devidamente assimilados pelo organismo, sem alterar as funções metabólicas. Uma grande parte das doenças degenerativas tem sua origem na alimentação.

Além disso, eles não contêm aditivos, os quais podem causar problemas de saúde, como por exemplo insuficiência cardíaca, osteoporose, enxaqueca e hiperatividade.

Agricultura ecológica

Este tipo de alimento não usa agrotóxicos, portanto não há resíduos deles nesses alimentos. Diferentes estudos toxicológicos mostram a relação existente entre pesticidas e certas patologias, como por exemplo o câncer, as alergias e a asma.

Agricultura ecológica

O uso de pesticidas também é prejudicial para a saúde do trabalhador agrícola, um problema sério especialmente nos países em desenvolvimento, onde o uso de pesticidas é mal regulamentado.

Na agricultura ecológica, os organismos geneticamente modificados (OGM) não são autorizados. O cultivo de OGM pode ter consequências negativas para o meio ambiente e, além disso, faltam pesquisas sobre as consequências a longo prazo do cultivo transgênico.

Atualmente, não há resultados científicos que demonstrem que o cultivo de OGM e de alimentos transgênicos sejam inofensivos para o meio ambiente e para a saúde humana, e, além disso, não se sabe se a ingestão de plantas geneticamente modificadas consiste em um perigo direto para a saúde.

Proibição de antibióticos

Os padrões de controle do regulamento de muitos países proíbem o uso de antibióticos na pecuária ecológica, fato este que beneficia a saúde dos consumidores.

O tratamento veterinário que é dado ao gado, salvo exceções muito específicas, é muitas vezes homeopático, ou seja, os animais são cuidados preventivamente, evitando assim a administração de antibióticos, tranquilizantes ou hormônios, muito presentes na pecuária.

Mais saborosos e nutritivos

Os produtos ecológicos, por terem sido elaborados de forma mais artesanal e cuidadosa, recuperam os gostos originais e têm um sabor melhor.

Uma vez que as plantas são fertilizadas organicamente, elas crescem mais saudáveis e por isso se desenvolvem de uma maneira melhor, preservando assim o aroma, cor e sabor autênticos.

Mais saborosos e nutritivos

Por essa razão, muitos consumidores preferem os alimentos ecológicos. Eles preservam o verdadeiro sabor de cada ingrediente e permitem recuperar o sabor tradicional dos alimentos. Além disso, os alimentos ecológicos são melhor conservados do que os convencionais.

Finalmente, vários estudos mostraram que os vegetais ecológicos apresentaram maior concentração mineral do que os normais, 25% mais potássio na alface, 14% mais cálcio nos ramos de erva-doce e 16% mais ferro no feijão.