As consequências do overtraining e a importância do descanso

· 8 de julho de 2018
Um dos muitos riscos que existe quando nos exercitamos é o de cair no overtraining, algo realmente prejudicial tanto para nossos objetivos como para nossa própria saúde, bem-estar físico e mental.

Sem dúvidas, a motivação é uma atitude fundamental que todo atleta com o desejo de melhorar deveria ter. No entanto, ela também pode causar alguns problemas. Se não fizermos as coisas devagar e dedicarmos ao descanso o tempo que ele merece, podemos sofrer algumas consequências do overtraining.

Por que é necessário descansar entre os períodos de treino? Para começar, essa necessidade deve-se ao fato de que, quando treinamos, certos fenômenos ocorrem no organismo. Para que eles sejam positivos, o corpo requer um tempo de recuperação adequado. Quanto mais exigente o exercício, maior a importância deste descanso.

Por exemplo, quando treinamos na academia, quebramos componentes dos músculos, fibras e tecidos. Então, a contrapartida desse processo deve ser um ciclo de recuperação, que é quando o crescimento muscular ocorre.

Mulher fazendo leg press na academia

O descanso não é necessário só quando buscamos aumentar a massa muscular; processos semelhantes também acontecem ao executarmos outros tipos de exercícios. Se não tivermos esse período de descanso, estaremos cometendo um erro extremamente comum, além do risco de overtraining.

Sintomas que podem indicar overtraining

  • Cansaço ou fadiga: consequência direta da falta de descanso entre as sessões de treinamento.
  • Desmotivação e falta de concentração: fazer algo repetidamente, especialmente se exigir esforço, pode pesar em nossa mente. Portanto, seria normal sentir desânimo ou dificuldade de concentração.
  • Baixo desempenho: como resultado dos dois pontos anteriores, o nível de desempenho não será o mesmo se cairmos no overtraining.
  • Distúrbios do sono: Já aconteceu com você de não poder dormir porque está muito cansado? Embora pareça contraditório, pode ser difícil descansarmos se treinarmos demais.
  • Doenças ósseas: o overtraining provoca uma diminuição nos níveis de estrogênio, o que pode afetar a saúde dos ossos e articulações pelo aparecimento da osteoporose. Isso também pode causar alterações hormonais e o desaparecimento da menstruação durante a adolescência.

Além dos sintomas acima, que costumam aparecer com mais frequência, o overtraining também pode nos levar a perder muito peso, sofrer de falta de apetite, ansiedade e até depressão. Ao mesmo tempo, o sistema imunológico é afetado e isso favorece o aparecimento de doenças e lesões.

Dicas para não sofrer as consequências do overtraining

Realizar um treinamento progressivo

Em primeiro lugar, é essencial aumentar as cargas lentamente e tentar não ultrapassar os limites do corpo. Mesmo durante a semana de treino é aconselhável intercalar os dias de maior demanda física e os de carga moderada.

Além disso, levar uma dieta saudável de acordo com o tipo de treinamento

Vários alimentos saudáveis como salmão, peixe, brócolis, amêndoas, abacate, tomate, alface, abóbora...

Isso porque uma dieta deve garantir sempre a ingestão dos nutrientes necessários.

Nesse sentido, a alimentação, como sempre, desempenha um papel fundamental. É muito importante fornecer para o corpo o ‘combustível’ necessário para repor a energia perdida, bem como oferecer as ferramentas para reconstruir os músculos e tecidos.

Uma das consequências do  overtraining é uma produção exacerbada de cortisol, um hormônio gerado pelas glândulas suprarrenais diante de situações de estresse e pressão.

A função do cortisol é mobilizar a mente e os músculos para responder em momentos de alta demanda; para isso ele aumenta a queima de energia e gorduras. Entretanto, quando é produzido cronicamente, o cortisol leva a um estado de desintegração muscular que predispõe à fadiga e à lesão.

Saber quando parar

Logo, se você já sentiu algum dos sintomas acima ou se você sente que não consegue lidar com o ritmo de treino que você quer, deve parar para evitar uma lesão. Para isso, você pode reduzir a frequência, duração e intensidade dos treinos para evitar as terríveis consequências do overtraining.

Comece aos poucos

O overtraining e suas consequências são comuns em pessoas que praticam esportes há pouco tempo. Normalmente, o desejo de melhorar faz com que a noção dos limites se perca; é quando os problemas aparecem.

Mulher malhando e controlando o tempo pelo cronômetro

Você não pode pedir ao seu corpo para atingir seu máximo em uma semana. Isso é algo que é alcançado lentamente. Portanto, uma das primeiras lições que um atleta iniciante deve registrar em sua mente é que o descanso é uma parte indispensável do treinamento.

Finalmente, tenha em mente que os riscos do overtraining não são exclusivos de um único esporte, nem dos atletas profissionais. Na verdade, podem acontecer com qualquer um, é claro, considerando o potencial e condição física de cada indivíduo.

Portanto, é necessário ser moderado e mover-se progressivamente em termos de cargas e objetivos. Além de cuidar do nosso corpo, também estaremos ajudando a manter nossas mentes motivadas e satisfeitas com a realização de conquistas realistas e de curto prazo.