Sergio Agüero: você conhece esse cidadão ilustre?

· 7 de janeiro de 2019
O atacante argentino já é um dos jogadores sul-americanos com maior experiência no continente europeu, e sempre deixa bons resultados temporada após temporada

O histórico goleador do Manchester City chegou à Inglaterra para ficar na história.Depois de liderar a equipe na sua primeira Premier League depois de mais de quarenta anos, ele vai tentar conquistar a Europa pelas mãos de ‘Pep’ Guardiola. Sergio Agüero tem sido, desde o início, um homem capaz de fazer mágica.

Sergio Agüero, mais conhecido como ‘Kun’, tinha apenas quinze anos quando estreou na primeira divisão do futebol argentino. Ele fez isso com a camisa do Independiente de Avellaneda, clube do seu coração.

Assim, ele quebrou o recorde detido até então por Diego Maradona: ele foi o jogador mais jovem a estrear na mais alta categoria argentina.

Apesar de ser uma das maiores equipes do país (tem sete Copas Libertadores entre suas conquistas), Agüero não conseguiu aproveitar um Independiente organizado. Afundado em uma crise econômica que o levou a cair em 2012, o ‘Rojo’ teve que vender a sua joia em 2006.

Assim, ele foi transferido para o Atlético de Madri no final de maio, no período que antecedeu a Copa do Mundo de 2006 na Alemanha, para a qual foi chamado pelo técnico José Pekerman. Sua transferência foi feita por 20 milhões de euros; quantia recorde para ambos os clubes naquele momento.

Seu começo na Europa

Ao contrário do que se imaginava, sua adaptação ao ‘colchonero’ foi muito rápida. De fato, na sua primeira temporada, ele jogou os 42 jogos oficiais de seu clube: 27 deles como titular.

Ele jogou cinco temporadas pelo Atlético: ganhou uma UEFA Europa League (2010) e uma Supercopa da Europa (2010). Sua próxima parada seria Manchester: o City pagou 45 milhões de euros para obter os seus serviços.

Além de seus dribles, jogadas e assistências, ele deixou um saldo de 101 gols em 234 jogos com a equipe madrilenha.

Jogadores em campo pós recuperação muscular

O cidadão Kun

Em 2011, Sergio Agüero enfrentou um novo desafio na sua carreira profissional. Mais uma vez, ele mostrou que não tem nenhum problema com mudanças. Em sua primeira temporada, ele liderou a equipe campeã dirigida por Roberto Mancini.

De mãos dadas com Kun e seu gol histórico contra o Queen Park Rangers, o clube arrebatou a Premier ao seu rival histórico, o Manchester United, e se consagrou após 44 anos. Nessa competição, ele marcou 23 gols em 34 jogos.

Os anos seguintes no clube inglês foram igualmente produtivos: ele sempre superou a média de ‘meio gol’ (0,50) por jogo. Seu melhor desempenho foi na temporada 2013-14: nela ele comemorou 28 gols em 34 partidas com a camisa azul.

Com o Manchester City, Agüero tem dois títulos da Premier League; também um Community Shield e duas Copas da Liga Inglesa. A equipe comandada por Josep Guardiola parece ter a liga novamente como objetivo e sonha em ser capaz de surpreender a Europa de uma vez por todas.

Como Sergio Agüero joga?

O estilo de jogo de Agüero foi mudando ao longo dos anos. Ele passou de um jogador ‘pequeno’, descarado e desequilibrador para um poderoso, letal e capaz de lutar contra os marcadores centrais.

O football’chega à Inglaterra, diversas bandeiras

Se tivéssemos que destacar três características de ‘Kun’ atualmente, seriam as seguintes:

  1. Goleador: desde sua chegada ao City, Sergio Agüero se tornou um verdadeiro goleador. Motivado por sua mudança de posição (ele joga mais perto do gol rival), suas conquistas e sua semelhança no futebol valeram muitas comparações com o brasileiro Romário, que sabia bastante sobre fazer gols. Suas definições são tão variadas quanto precisas.
  2. Técnica: ter adicionado potência ao seu jogo não significou de forma alguma diminuir as virtudes técnicas. Pelo contrário, seu controle da bola permite que ele se livre dos rivais em espaços muito pequenos. Assim, ele não perdeu a sua alma de ‘jogador de várzea’.
  3. Potência e antecipação: estas duas qualidades, definitivamente melhoradas desde a sua chegada à Europa, lhe permitem marcar muitos gols de cabeça. Este é um fato notável se considerarmos a sua baixa estatura; pois ele mede apenas 1,73 metro.

Uma dívida celeste e branca

Embora isso seja algo que ele compartilha com seus companheiros de seleção, Agüero é um dos mais visados pelos torcedores argentinos devido aos maus resultados da seleção nos últimos anos.

Lionel Messi fica excluído dessas críticas, mas tanto Sergio Agüero quanto Ángel Di María e Gonzalo Higuaín sabem que devem dar mais de si para conquistar o afeto do seu público. Apesar de ter tido temporadas formidáveis no seu clube, jogando com a seleção sua forma física e desempenho não foram os melhores.

  • Na Copa de 2014 no Brasil; ele passou grande parte do torneio lesionado (fez um único gol, contra a Nigéria) e jogou a final em um nível muito baixo (entrou no intervalo no lugar de Ezequiel Lavezzi).
  • Na Copa América do Chile em 2015; Gerardo ‘Tata’ Martino confiou a ele a titularidade como centroavante. Também não funcionou: 3 gols em 5 jogos, nenhum em circunstâncias decisivas; acabou perdendo a posição para Higuaín.
  • Na Copa América Centenário em 2016; nos Estados Unidos, onde a Argentina também foi vice-campeã; marcou apenas um gol em quatro partidas.

De fato, isso contrasta fortemente com seus dois títulos juvenis com a equipe nacional (em 2005 juntamente com Messi e em 2007), bem como com sua medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de 2008.

Porém dizem que o futebol sempre dá uma nova chance; e certamente tudo indica que Sergio Agüero terá a sua. Essa seria a cereja no bolo de uma carreira ilustre.