Dick Fosbury e sua técnica para o salto em altura

30 de setembro de 2019
Pode-se dizer que há um antes e um depois de Dick Fosbury no atletismo. Esse americano mudou o salto em altura para sempre com apenas 21 anos

Quando vemos os atletas saltando nos Jogos Olímpicos, ficamos impressionados com a técnica que eles utilizam. Que tal saber quem a inventou? O nome dele é Dick Fosbury e ele foi um atleta que, sem dúvida, revolucionou o seu esporte para sempre. Vamos falar sobre ele no artigo a seguir.

Como era o salto em altura antes de Dick Fosbury?

Antes de Fosbury Flo, tanto nos Jogos Olímpicos, quanto nos campeonatos e no mundial de atletismo, os saltos eram feitos de uma maneira muito diferente. Até 1968, havia três técnicas diferentes para o salto em altura:

1. Técnica da tesoura

Depois de uma corrida leve, passava-se de lado pela barra, primeiramente com uma perna e depois com a outra.

2. Técnica do rolamento de costas

Também conhecida como ‘rolamento californiano’, essa técnica inclui uma meia tesoura e um ‘rolamento de costas’ ao chegar ao ponto mais alto, ou seja, sobre a barra. Seria como ‘dar uma volta no ar’ evitando a barra… Não era nada fácil!

3. Técnica do rolamento ventral

Essa terceira técnica do salto em altura começou a ser usada em 1936. Consiste em pular da mesma forma que na técnica anterior, mas de frente para a barra.

Dick Fosbury e o seu salto para a posteridade

As técnicas usadas até então eram bastante naturais para o movimento humano. Se precisarmos pular uma cerca ou qualquer outro obstáculo, provavelmente usaremos a ‘tesoura’. No entanto, isso não significa que elas sejam as mais eficazes se estivermos falando em termos esportivos.

Era assim que Dick Fosbury pensava, e por isso deixou todo mundo boquiaberto nos Jogos Olímpicos do México, em 1968, competição à qual ele chegou após ser campeão na sua universidade de origem (Oregon, Estados Unidos).

Mas não havia nem um pingo de improvisação no seu salto. Na verdade, ele começou a praticá-lo quando tinha 16 anos, em 1963.

Dick Fosbury

Imagem: GlobalSports Matters.

Em que consiste a sua técnica? Basicamente, em correr em direção à barra com uma trajetória curva e, ao chegar à barra, saltar de costas para ela, estendendo o braço mais próximo. Dessa forma, o espaço entre o centro de gravidade (o corpo do atleta) e o obstáculo a ser superado (a barra) é reduzido, ganhando assim em altura.

Sem dúvida, algumas alterações nas provas tiveram que ser feitas, tais como colocar um colchão do outro lado da barra, por exemplo, para evitar lesões ou acidentes infelizes. Até então, utilizava-se areia, já que os atletas caíam em pé.

O dia em que Dick Fosbury ganhou o ouro

Os Jogos Olímpicos do México de 1968 tiveram vários marcos importantes a serem destacados. Para começar, eles foram os primeiros organizados na América Latina. Eles também foram os jogos da famosa “saudação black power” e, sem dúvida, da revolução de Dick Fosbury no salto em altura.

O atleta americano tinha apenas 21 anos quando chegou à capital mexicana, disposto não apenas a ganhar uma medalha, mas a mudar o mundo do atletismo para sempre. Na final, ele saltou 2,24 metros e conquistou o tão esperado ouro.

Embora Fosbury nunca tenha conseguido passar os 2,28 metros do soviético Valeri Brumel (recorde mundial) na técnica do rolamento ventral, a verdade é que a sua contribuição para o esporte é inegável. De acordo com estudos, a sua maneira de saltar dá aos atletas cerca de 40 centímetros a mais de altura.

técnica para o salto em altura

Imagem: The Associated Press.

Atualmente, todos os atletas do salto em altura usam o Fosbury Flop, principalmente porque a sua eficácia já foi totalmente demonstrada – ainda que, no início, atletas e especialistas olímpicos tenham duvidado dessa técnica.

Até mesmo zombavam de Dick, dizendo que ele era um ‘maluco’ enquanto treinava na faculdade. Em seu retorno triunfante, no entanto, ele foi transformado em ‘herói’ por aqueles que riram da sua técnica.

Dick Fosbury se aposentou muito jovem, depois de não se classificar para os Jogos Olímpicos de Munique, em 1972. Sem ser o saltador mais talentoso da época, a sua inovação permitiu que ele não apenas ganhasse uma medalha de ouro, mas também mudasse para sempre a maneira de competir no salto em altura.

Com o salto de Dick Fosbury, marcas realmente impressionantes foram alcançadas, tais como a ostentada pelo cubano Javier Sotomayor (2,45 metros) ou a da búlgara Stefka Kostadinova (2,09 metros). Isso sim é que é deixar uma marca em uma modalidade esportiva!

  • Dapena, J. (1980). Mechanics of rotation in the Fosbury-flop. Medicine & Science in Sports & Exercise. https://doi.org/10.1249/00005768-198021000-00010