A Copa Conmebol Libertadores 2018

18 de fevereiro de 2019
A Copa Conmebol Libertadores é o torneio de clubes de futebol mais importante das Américas. Nesta edição, 17 dos seus 25 campeões participaram.

O torneio de clubes mais importante da América do Sul sempre envolve uma expectativa enorme. Dezessete times que já foram campeões participaram, algo inédito na Copa Conmebol Libertadores. O poder dos argentinos foi ratificado.

Das 25 equipes que já detiveram este precioso troféu, 17 estiveram presentes nesta edição. Como se isso não bastasse, muitas delas já se enfrentaram na fase de grupos, e apenas oito delas puderam ser cabeças de chave.

Assim, o sorteio teve como resultado oito grupos quase em completa paridade, algo que vêm caracterizando a Copa Conmebol Libertadores, disputada pela primeira vez em 1960.

Embora o poder econômico e futebolístico dos times brasileiros e argentinos ameace sempre monopolizar o centro das atenções, sempre há uma porta aberta para uma surpresa.

Exemplos disso são: o Guaraní do Paraguai em 2015, o Independiente del Valle do Equador em 2016 ou o Barcelona de Guayaquil, também equatoriano, em 2017.

1.- Grêmio

O último campeão das Américas baseou suas esperanças na permanência de seus quatro destaques: Luan, Arthur, Geromel e Marcelo Grohe. Nesse sentido, eles, especialmente os dois primeiros, foram as peças-chave para a conquista consumada na Argentina contra o Lanús.

Porém, o fato de ser o campeão anterior acaba sendo geralmente uma faca de dois gumes para todas as equipes sul-americanas, já que isso implica a perda de muitos de seus jogadores.

Para o Grêmio, esse foi o caso de Fernandinho, autor do primeiro gol do jogo de volta da final de 2017; Lucas Barrios, que marcou seis gols no torneio de 2017; Edílson Mendes e Rafael Thyere.

O Tricolor compartilhou o grupo 1 com o Cerro Porteño, o Defensor Sporting e o Monagas.

2.- Boca Juniors

Com reforços de luxo no ano de 2017, a equipe comandada por Guillermo Barros Schelotto e liderada em campo por Carlos Tévez tentou conquistar o continente depois de quinze anos, e quase conseguiu.

O Xeneize tem muitos jogadores de nível Copa do Mundo: Wilmar Barrios, Frank Fabra e Edwin Cardona pela Colômbia, Nahitan Nández pelo Uruguai e Cristian Pavón, pela seleção argentina.

Integrou o grupo 8 juntamente com Palmeiras, Alianza Lima e uma equipe que virá da repescagem, que poderia ser o Olimpia do Paraguai, campeão em 2002.

Grêmio, o último campeão das Américas

Foto cortesia de: Revista Estadio.

3.- River Plate

Ainda ferido pela improvável derrota na semifinal frente ao Lanús em 2017, o River de Marcelo Gallardo chegou à Copa Conmebol Libertadores 2018 com uma imensa sede de vingança.

Assim como os seus eternos rivais, confiou em jogadores de grande hierarquia para repetir a conquista de 2015. Leonardo Ponzio, Jonathan Maidana, Enzo Pérez, Gonzalo Martínez e os recém-chegados Lucas Pratto e Franco Armani mostraram no campo o que esses nomes são capazes.

O River integrou o grupo 4 deste torneio juntamente com Emelec, Flamengo e uma equipe da repescagem. E se consagrou campeão!

4.- Flamengo

A equipe carioca, rival do River no grupo 4, terminou em segundo lugar na Copa Conmebol Sul-americana de 2017. De acordo com as cotações do site Transfermarkt, teve o elenco mais caro da competição: 111 milhões de dólares.

Com o retorno do experiente goleiro Julio César e a contribuição fundamental de Paolo Guerrero (suspenso por doping até maio), bem como a jovem estrela Vinicius Junior, o Flamengo tinha um time forte mas não conseguiu sua segunda conquista continental. A primeira aconteceu em 1981.

5.- Independiente

Depois de ter sido coroado campeão da Copa Sul-Americana de 2017 no estádio do Maracanã, o time mais vitorioso da Libertadores tentou um retorno triunfal. A última vez que ele jogou esta competição foi em 2011, imerso em uma profunda crise institucional.

Agora os ventos estavam um pouco melhores: o time perdeu Hernán Barco, sua principal figura no último título, e Nicolás Tagliafico, seu capitão. Mas contou com um elenco de qualidade, embora um pouco  restrito.

Martín Campaña, Fernando Amorebieta e Maximiliano Meza, entre outros, eram seus melhores jogadores de 2018. Ele esteve no grupo 7, juntamente com Corinthians, Millonarios e Deportivo Lara.

6.-Corinthians

Sem dúvida, o clube paulista, campeão das Américas pela última vez em 2012, é sempre um sério candidato a ficar com o título. De fato, naquela ocasião, ele também venceu o Chelsea na final do Mundial de Clubes e o São Paulo na final da Recopa Sul-Americana.

Teve uma equipe avaliada em quase 81 milhões de dólares. No seu elenco estavam jogadores de muita trajetória e renome, como por exemplo: Cássio, Fagner, Jádson, Danilo e Rodriguinho, que comandaram o Timão durante o campeonato.

7.- Atlético Nacional

Certamente a equipe colombiana passou por uma das etapas mais bem-sucedidas da sua história.

No entanto, em 2018 enfrentou uma grande renovação; começando pelo banco: Jorge Almirón, vice-campeão da Copa Conmebol Libertadores com o Lanús em 2017 substituiu Juan Manuel Lillo. Além disso, também teve que se despedir de sua referência, Franco Armani.

Em relação aos reforços, estiveram Camilo Zúñiga, vindo do Watford; também os argentinos Diego Braghieri e Fernando Monetti, que chegaram do Lanús. Seu grupo foi o de número 2; enfrentando o Bolívar, Colo Colo e Delfín.

Quem vai ganhar a Copa Conmebol Libertadores

Imagem cortesia de: Valentinlgs10

8.- Palmeiras

O vice-campeão do Brasileirão disputou esta taça com um elenco avaliado em 94 milhões de dólares. Esteve no mesmo grupo de Boca e Alianza Lima, e prometia ser um dos melhores grupos do torneio.

Seu elenco? Embora logicamente ressentido com a saída de Yerry Mina para o Barcelona e com a aposentadoria de Zé Roberto, contou com os experientes Felipe Melo e Michel Bastos, bem como com Miguel Borja.

Quem vai ganhar a Copa Conmebol Libertadores?

Na verdade, como poucas vezes, a Copa Conmebol Libertadores 2018 teve confrontos históricos e colocou em campo excelentes jogadores de renome internacional. De fato, em um ano de Copa do Mundo, todos quiseram se destacar para subir ao topo do continente americano.