Recursos ergogênicos na atividade física

· 4 de dezembro de 2018
Antes de começarmos a tomar suplementos ergogênicos, devemos consultar um especialista na área que nos aconselhe e nos indique, de uma forma personalizada, o que é melhor para cada situação em particular.

O termo ‘ergogênese’ inclui todos os processos fisiológicos pelos quais o organismo obtém energia. Ser mais ou menos eficiente no que diz respeito à obtenção de energia pode ser um curinga durante uma competição esportiva. Assim, existem diversos recursos ergogênicos que podem nos dar uma energia extra.

Embora possa parecer óbvio, a energia que você precisa para fazer uma corridinha não é a mesma de um maratonista. Dependendo do exercício que vamos realizar os recursos energéticos podem ser totalmente diferentes.

Recursos ergogênicos naturais ou artificiais?

É necessário ter em mente que esses recursos devem ser usados no contexto de uma preparação correta do atleta. A nutrição deve ser adaptada ao tipo de atividade, treinamento e competição. Uma vez que esta tríade esteja consolidada, é possível considerar o uso de recursos ergogênicos.

Mulher colocando queijo ralado no macarrão

Se te oferecerem um suplemento alimentar, você sempre deve pensar: quais são os possíveis benefícios? E os riscos associados?

O Instituto Australiano de Esportes desenvolveu uma classificação na qual os recursos ergogênicos eram categorizados de acordo com as evidências científicas que haviam sido produzidas a seu respeito. Neste artigo, vamos verificar os suplementos da Categoria A, cujo efeito foi comprovado cientificamente.

Nível A: evidência científica consolidada

Carboidratos

O suplemento que não parece um suplemento. Embora não o consideremos como tal, o consumo de carboidratos durante uma competição é um recurso ergogênico que impede que os estoques de glicose se esgotem. Desta forma, conseguimos atrasar o aparecimento da fadiga e, assim, melhorar o desempenho.

Eles podem ser encontrados em diferentes formatos, como por exemplo barrinhas, géis, bebidas para hidratação… E cada formato é indicado para um tipo específico de exercício.

Por exemplo, se você pretende participar de uma competição do tipo maratona, o uso dos géis seria mais recomendado do que o das barrinhas ou das bebidas, já que sua absorção é rápida e é menos afetada pelo movimento do exercício, o que significa menos desconforto gastrointestinal.

Cafeína

A melhor amiga de muitos atletas e nem tão atletas assim. Seus efeitos foram demonstrados empiricamente e ela tem um mecanismo de ação múltipla. Estes são alguns dos efeitos mais marcantes da cafeína como um recurso ergogênico:

  • O sistema nervoso central diminui a percepção de dor e estresse físico ao qual o corpo está sendo submetido.
  • Aumenta a mobilização da gordura e sua oxidação para obter energia.
  • Faz com que o glicogênio (reserva de glicose) seja sintetizado novamente após o exercício, repondo assim as reservas.
  • Melhora a liberação do cálcio para uma melhor contração muscular.
Mulher tomando um shake

Em qualquer caso, o consumo de bebidas com cafeína deve ser moderado.

“As coisas nunca serão perfeitas. A questão é como você se adapta às circunstâncias e aprende com os erros” Michael Phelps

A dose para obter o efeito máximo é de 6 mg por quilo de peso, mas podemos variar a dose entre 2 a 9 mg por quilo de peso. A partir de 9 mg/kg, o que seria equivalente ao consumo de 6 xícaras de café, estão associados efeitos negativos:

  • Limita a absorção de ferro
  • Aumenta a azia
  • Aumenta a diurese (eliminação de água)
  • Produz nervosismo, insônia, irritabilidade, ansiedade, arritmias, alucinações. O quadro piora quanto maior for a dose em relação ao indicado
  • Síndrome de abstinência. Se seu consumo é habitual e for interrompido, aparece um quadro de sintomas de dependência: fadiga, irritabilidade…

Podemos encontrar suplementos que contêm vários recursos ergogênicos em diferentes quantidades e formas de administração, de forma que eles podem ser indicados para diferentes modalidades esportivas.

Beta-Alanina

É indicado como recurso ergogênico para esportes de caráter anaeróbico ou explosivo, uma vez que melhora a capacidade anaeróbica pela sua função como um amortecedor intracelular.

Isto significa que mantém um pH ideal e diminui a acidez causada pelos compostos que são formados nas reações de obtenção de energia.

Creatina

Útil no treino de musculação, e não só para fisiculturistas e halterofilistas. O consumo de creatina ligado ao treinamento de força produz um aumento na massa corporal.

Assim, é possível aumentar a carga de trabalho à qual o atleta é submetido. Mas isso implica continuar a consumir a creatina rotineiramente para a manutenção.

Homem preparando um suplemento

Minha recomendação é que, se você estiver determinado a usar esses ou outros recursos ergogênicos dos quais tenha conhecimento, primeiramente peça uma opinião profissional e se informe sobre os benefícios e riscos envolvidos.

Além disso, você deve sempre colocar seu corpo em movimento, e ter um período de adaptação durante a fase de treinamento.

Se você começa a consumir algo que você não sabe muito bem como vai interagir com o seu organismo, isso pode levá-lo diretamente ao pódio ou, ao contrário, deixá-lo fora de jogo antes mesmo de começar.