Quais são os benefícios de priorizar as carnes magras na alimentação?

· 8 de abril de 2019
Em geral, podemos diferenciar dois tipos de carne: carnes gordas e carnes magras; substituir a primeira opção pela segunda vale a pena, pois nos ajudará a melhorar a nossa saúde e até mesmo a perder peso

A carne é um alimento fundamental na dieta uma vez que fornece proteínas e vitamina B12. Mas lembre-se que escolher as carnes magras entre a enorme opção de cortes tornará a alimentação mais saudável.

Quais são as carnes gordas?

A carne gorda é aquela que contém mais de 10h de gordura para cada 100 gramas de produto. Essa carne, além de fornecer proteínas, tem uma grande quantidade de gordura, o que não é muito recomendado para o organismo.

É por isso que é preferível escolher as carnes magras para se beneficiar desses alimentos sem ter que ingerir um excesso de gorduras pouco saudáveis.

As carnes gordas dependem do animal e da parte do corpo de onde são cortadas. Exemplos desse tipo de carne e que, portanto, não são recomendadas, estão principalmente as seguintes:

  • Carne de cordeiro
  • Preparações, como a linguiça ou o chouriço
  • Frango com pele
  • Costeleta de vitela

Uma maneira de comê-las mais frequentemente é remover o excesso de gordura e a pele. Além disso, se as cozinharmos na grelha, na brasa ou no forno, parte da gordura será eliminada. De qualquer forma, sempre devemos priorizar o consumo de carnes magras.

O que são as carnes magras?

A carne magra é aquela que contém menos de 10 gramas de gordura para cada 100 gramas de produto. Isso ocorre porque praticamente toda a sua composição é de fibra muscular. Por conter pouca gordura é mais saudável, já que fornece as proteínas necessárias com menos calorias.

Mulher comendo carne

Dentre as carnes magras, temos dois tipos. Trata-se da carne branca e da carne vermelha. Certamente você já ouviu falar sobre essas duas denominações, mas você realmente sabe qual é a diferença entre as duas? Nós explicamos para você!

  • Carnes vermelhas: são a carne de boi, de vaca, de cavalo e de caça, e algumas partes da carne de porco ou de cordeiro. Ela contém níveis maiores de gordura e de ferro. O seu consumo deve acontecer, no máximo, duas vezes por mês.
  • Carnes brancas: é a carne de frango, de peru ou de coelho e algumas partes da carne de porco ou de cordeiro. Elas contêm menos gordura e sabor. Esse tipo de carne pode ser consumido até três vezes por semana.

Benefícios das carnes magras

Como você pôde ver, o ideal para realizar uma dieta equilibrada é comer carnes magras. Isso não quer dizer que tenhamos que eliminar as gorduras da nossa alimentação, mas sim comê-las somente em momentos pontuais.

Além de comer carnes magras é importante cozinhá-las de maneira saudável. Não serve para nada comer uma carne com baixo índice de gordura se a empanarmos ou a acompanharmos de molhos pouco saudáveis.

É necessário dizer também que devemos evitar comer uma quantidade excessiva de pão com a carne. A seguir, diremos alguns dos mais importantes benefícios do consumo de carnes magras.

Carnes magras

  • Baixo teor de gordura. A principal vantagem de trocar as carnes gordas por carnes magras é a diminuição dos níveis de gordura que ingerimos. A gordura está associada ao ganho de peso e, mais especificamente, ao sobrepeso e à obesidade. Isso ocorre porque o consumo excessivo de gordura adiciona muitas calorias à nossa alimentação. Na verdade, o seu consumo em excesso leva a muitos mais problemas, como o risco de sofrer um ataque cardíaco ou uma trombose.
  • Não contém açúcar. Quase todos os alimentos contêm açúcar e esse é um verdadeiro suplício para as pessoas diabéticas, mas não é o caso das carnes magras, que além de terem baixo teor de gordura não contêm açúcar. Isso faz com que ela seja um produto ainda mais saudável.
  • Alto índice de fibras. O consumo de carnes magras melhora o trânsito intestinal e impede problemas como a constipação. Além disso, contribui para o perfeito estado da flora intestinal. Uma dieta rica em frutas, verduras e em carnes magras é fundamental para acabar de uma forma natural com os problemas digestivos. Recorra aos remédios somente quando estiver com problemas muito recorrentes e que não melhoram mesmo com uma variação da alimentação.