Saiba quais são os efeitos colaterais da dieta cetogênica

17 de julho de 2019
A cetose é um processo pelo qual o corpo transforma a gordura acumulada no corpo em corpos cetônicos que podem ser usados como combustível.

A dieta cetogênica se baseia no consumo de uma quantidade muito baixa de carboidratos, obrigando o fígado a produzir cetonas para serem usadas como fonte de energia. É claro que isso tem consequências. Saiba os efeitos colaterais da dieta cetogênica a seguir.

Essa dieta não é uma dieta rica em proteínas, mas sim em gordura. Há também uma restrição no consumo de carboidratos. A dieta consiste na ingestão de gorduras naturais e da quantidade de proteínas adequada para alcançar o estado de cetose.

Efeitos colaterais da dieta cetogênica

O consumo de carboidratos deve representar entre 2% a 5% do total de calorias, ao contrário da alimentação ocidental em que as pessoas obtêm entre 45% e 65% de suas calorias a partir da ingestão de carboidratos.

É muito importante ter sob controle o processo de cetose e nunca passar muito tempo seguindo essa dieta, pois as cetonas produzidas podem ser tão problemáticas para o músculo quanto benéficas para a queima de gordura.

Eficácia da dieta cetogênica

Como funciona o nosso corpo

Os carboidratos são a principal fonte de energia para o nosso corpo. Ao serem digeridos são transformados em glicose e, em seguida, a glicose é transportada pelo sangue para posteriormente ser transformada em glicogênio, que é armazenado no fígado e músculos e constituem energia instantânea para nossos movimentos.

Apesar de falarmos superficialmente a respeito da glicogênese, deve-se salientar que, para combater a glicose no sangue, o pâncreas produz a insulina que ativa a processo de transformação da glicose em glicogênio.

Quanto maior o consumo de carboidratos simples, maior a quantidade de insulina produzida e, consequentemente, maior a produção de glicose. Chega um momento em que não é mais possível para o corpo armazenar a glicose, que se transforma em gordura.

Qual é a definição de cetose

Quando reduzimos a quantidade de carboidratos consumidos, a quantidade de glicogênio se reduz consideravelmente. Assim, o corpo tem que usar as reservas de gordura para produzir energia.

Para transformar gordura em corpos cetônicos, o pâncreas sintetiza um hormônio chamado glucagon e dá início a um processo conhecido como cetogênese. Esse processo libera os corpos cetônicos. Se esta situação se mantiver por vários dias, os corpos cetônicos se acumulam no sangue e isso é o que se conhece por cetose.

Está claro com a cetose conseguimos queimar gordura para usá-la como combustível, e então é claro que existem dietas que se baseiam nesse princípio.

Assim sendo, essas dietas tem como primeira regra a pequena a ingestão de carboidratos. No entanto, é preciso levar em consideração as consequências ou efeitos colaterais que a cetose pode gerar.

Efeitos colaterais

  • Enjoos e dores de cabeça: esse efeito pode acontecer a partir do terceiro dia e é o pior, uma vez que o corpo fica sem energia. Se uma pessoa se levantar rapidamente pode se sentir enjoada. O cérebro precisa de glicogênio para funcionar.
  • Urina com odor muito forte: corpos cetônicos também são excretados pela urina. Dessa forma, o odor se torna mais forte, assim como acontece com o hálito.
  • Mau hálito: quando nosso corpo tem um excesso de corpos cetônicos, eles são liberados através do hálito. Então, é aconselhável beber muita água, uma vez que algumas pessoas chegam a sentir um gosto metálico na boca.
  • Suor forte: corpos cetônicos também são eliminados pelo suor, por isso é normal o odor se tornar desagradável como nos casos anteriores.
  • Suor em excesso.
Garota suada nas axilas

  • Falta de apetite: as proteínas e gorduras saciam o corpo, além de levarem muito mais tempo para serem digeridas se comparadas aos carboidratos. Assim sendo, reduzem o apetite consideravelmente.
  • Náusea, vômito, dor abdominal e desconforto respiratório.
  • Possíveis arritmias: é possível acontecer arritmias e problemas no sistema de condução elétrica cardíaca.
  • Perda de cálcio: proteínas em excesso favorecem a perda de cálcio pelos rins (que é anteriormente extraído dos ossos) e isso pode favorecer a osteoporose.
  • Perda de músculo: durante o processo de cetose, a gordura é queimada primeiro. Contudo, quando ela se reduz, o corpo começa a degradar o músculo para usar seus aminoácidos como combustível.
  • Problemas no funcionamento do cérebro, já que seu alimento principal é a glicose e com essas dietas ela desaparece, tendo que se alimentar de corpos cetônicos. Por não alimentar o cérebro como deveria, você pode sofrer alguns problemas cognitivos temporários.