Os benefícios de praticar Yoga para seus ossos

· 18 de julho de 2018
Sem dúvidas, a prática da Yoga ajuda a manter a saúde do nosso sistema ósseo em dia. Além disso, devemos também manter a ingestão de cálcio nos níveis adequados.

Os benefícios de praticar Yoga variam do físico ao emocional, sem negligenciar o espiritual. No caso de ter problemas ósseos ou querer evitar qualquer doença óssea, recomendamos que você aproveite esta técnica milenar e suas vantagens.

Benefícios de praticar Yoga 

De modo geral, os benefícios de praticar Yoga estão ligados a uma melhora na saúde geral. No entanto, quando se trata de ossos e músculos, a prática é realmente maravilhosa. Isso porque ela também tira o estresse, ajuda a dormir melhor, desintoxica o corpo, ensina sobre a respiração consciente e aumenta a flexibilidade.

Há anos estamos convencidos de que o problema ósseo está relacionado apenas à falta de cálcio, mas não é verdade. Embora seja verdade que um organismo com carência desse nutriente esteja mais propenso a quebras ou fissuras, também é verdade que a flexibilidade dos ossos é tão importante quanto sua rigidez para evitar a quebra.

Mulher tomando um copo de leite para obter cálcilo

O que isso significa? Que você pode consumir todo o cálcio que você quiser, mas isso por si só não ajudará a evitar osteoporose. Ou seja, você precisa adicionar algum exercício, esporte ou disciplina que melhore a saúde dos ossos. Nesse sentido, uma das melhores opções é praticar Yoga.

Isso porque essa técnica milenar melhora a postura, alonga músculos e ossos, aumenta o equilíbrio e dá maior segurança ao caminhar em idosos. Todos esses aspectos são maravilhosos benefícios de praticar Yoga.Sem dúvidas isso contribui para reduzir quedas e acidentes que trazem como consequência as terríveis fraturas.

Posturas de Yoga para os ossos

Geralmente realizar uma aula todas as semanas já é o suficiente para aproveita desse e outros benefícios de praticar Yoga. Você poderá ter ossos saudáveis ​​e mais fortes, embora você deva sempre manter uma boa alimentação, vida saudável e atividades ao ar livre. As posições a seguir não devem faltar na aula se quisermos melhorar nossa saúde óssea:

1. Postura da árvore

Seu nome em sânscrito é Vrksasana e é uma das posturas mais básicas quando começamos no caminho da Yoga. É realizada em pé e permite um melhor equilíbrio. Para começar, flexione o joelho direito e apoie a sola do pé no lado interno da coxa esquerda. Sempre olhe para o mesmo ponto à frente.

Quando você tiver completado a posição, coloque as mãos acima da cabeça e faça com que as palmas das mãos se toquem. Respire devagar e depois de alguns segundos saia da postura com cuidado.

2. Postura do triângulo

Também chamada de Trikonasana, é perfeita para esticar completamente as extremidades inferiores e superiores. Nesse caso, levante-se e abra as pernas até a largura dos ombros. Em seguida, estique o braço direito e traga o tronco de lado até o joelho direito. Apoie a palma da sua mão o mais próximo possível do peito do pé.

Por fim, estique o braço esquerdo, como se estivesse tocando o teto e vire a cabeça naquela direção. O objetivo é olhar para as pontas dos dedos por alguns segundos antes de sair da postura.

3. Postura do gafanhoto

Outra posição -cujo nome original é Salabhasana – que nos permite melhorar o sistema ósseo praticando Yoga. Neste caso, você deve ficar de bruços no tapete e esticar as pernas. Retire lentamente o tronco do chão enquanto levanta as pernas e leva os braços para trás (até que toquem os glúteos).

Assim, o objetivo é apoiar o corpo do estômago até as coxas (acima dos joelhos) no chão. Para completar a postura, olha para cima, levando a cabeça para trás.

4. Postura do cachorro olhando para cima

Postura do cachorro olhando para cima

Finalmente, a posição chamada Urdhva Mukha Svanasana também é muito boa para melhorar a saúde de seus ossos. Comece como na anterior, de bruços no tapete. Mas neste caso, o que se eleva é a parte do torso, até a pélvis.

Depois, apoie as palmas das mãos nas laterais do corpo e estique bem os braços. Por último, a cabeça deve ser levada para trás para poder olhar para o teto.