6 razões para evitar dietas milagrosas

· 26 de novembro de 2018
O segredo das propostas milagrosas está na redução exagerada de calorias, o que gera perda de peso, mas não necessariamente de gordura e geralmente de forma prejudicial à saúde

Nenhum plano alimentar que ofereça perder 30 quilos em uma semana pode ser bom. A redução exagerada de peso é possível, mas tem consequências no organismo. Gastroenterite, estresse e mudanças inesperadas no nosso sistema digestivo são o lado sombrio das dietas milagrosas.

O resultado de regimes rigorosos é a degeneração e um desequilíbrio nutricional que pode ser contraproducente. A seguir, veremos algumas questões a serem consideradas sobre as dietas milagrosas.

Diminuem as calorias para níveis não saudáveis

Quando queremos perder peso, a primeira coisa que nos dizem é que devemos reduzir as calorias que ingerimos. No entanto, essa redução é mais um controle.

Além disso, devemos reduzi-las no máximo ao mínimo exigido pelo nosso corpo, e nunca abaixo disso. As quantidades e tipos de alimentos são calculados com base na nossa altura, peso e em outros fatores. Em nenhum caso, no entanto, é saudável perder muitos quilos em uma semana.

Mulher comendo uma fita métrica como se fosse um fio de macarrão

Com as dietas milagrosas, normalmente as calorias consumidas caem de forma drástica, e isso não é saudável. O ideal do planejamento alimentar não é ficar mal nutrido, mas sim bem alimentado. Algumas pessoas podem experimentar humor negativo e perder massa muscular.

Terminada a dieta, os quilos costumam voltar

O fato de cumprir um plano nutricional estrito temporariamente não implica que todo o trabalho esteja feito. A realidade dessas dietas de 7, 10 ou até 30 dias, é que elas não duram a longo prazo. Acontece o feito sanfona e acumulamos mais gordura do que tínhamos antes.

A consequência imediata é essa, que os desequilíbrios da alimentação não deixam resultados que perduram ao longo do tempo.

Obviamente, seria impossível manter esse tipo de hábito extremo por muito tempo. Provavelmente a saúde do praticante pioraria com o passar dos meses, ou mesmo semanas, até ele não aguentar mais.

Perda de massa muscular

Um corpo submetido a uma dieta muito extrema sofre de falta de nutrientes, o que não é saudável nem estético. Na prática, a maioria das pessoas que faz isso acaba perdendo massa muscular. É claro que muitas pessoas conseguem perder peso, mas ficam com flacidez.

Aqueles que vão para a academia também verão como se degrada seu progresso muscular. Além disso, o cabelo e a pele perdem seu brilho e a beleza natural. Isso também se deve à falta de nutrientes aos quais esses planos “mágicos” nos sujeitam.

Elas são muito rigorosas

As dietas milagrosas prometem reformar nosso corpo em poucos dias, mas sob uma exigência fora do comum. O problema não está no rigor, mas no exagerado rigor desnecessário. O pior é que, como mencionado acima, os resultados não tendem a durar muito tempo.

Mulher triste comendo um brócolis

Algumas dessas dietas envolvem a eliminação de todos os carboidratos e até mesmo algumas proteínas. Muito melhor do que isso é adotar hábitos alimentares corretos.

Os resultados da boa alimentação são progressivos, mas não lentos; embora possa não parecer, um corpo magro pode ser alcançado sem a necessidade de sacrifícios extremos.

A falta de exercício

A menos que tenhamos um tipo de corpo mesomórfico, é muito difícil ficar tonificado com este tipo de dieta rápida. Além disso, sabe-se que esse tipo de proposta quase nunca inclui a realização de um plano de treinamento para o condicionamento muscular.

A razão para isso é muito simples: uma dieta tão restrita e pobre em nutrientes não permite o treinamento. Um organismo desnutrido simplesmente não tolera atividade física e entraria em colapso. A realidade é que é perigoso treinar dessa maneira.

Dietas milagrosas são estressantes

Poucas coisas geram mais estresse no ser humano que a falta de nutrição. Os níveis de cortisol aumentam em meio à falta de calorias. Os efeitos da má alimentação também têm um alcance psicológico. Isso pode nos afetar em outras áreas da vida, como trabalho e emoções.

A boa notícia é que não precisamos recorrer a soluções desesperadas para nos aproximarmos do peso certo. O controle de calorias através da seleção de alimentos e quantidades nos permitirá ter uma melhor condição física.

Nem precisamos parar de gostar de comer, podemos comer com equilíbrio com acompanhamento nutricional e fugindo dos extremos. Moderação e atividade física são a base de um corpo saudável.