Como tomar glutamina e por que: tudo o que você precisa saber

· 22 de agosto de 2018
Vamos falar sobre um dos suplementos alimentares mais comuns no mundo dos atletas: a glutamina. Descubra para quais casos ela é indicada a seguir.

Você sabe para que serve e como tomar glutamina? Muitas sabem que ela é um dos 20 aminoácidos responsáveis pela composição das proteínas. Mas além de saber o que é, devemos saber por que a glutamina é uma substância amplamente utilizada no mundo fitness. Saiba mais neste artigo.

O papel da glutamina

Antes de saber como tomar glutamina, devemos saber para que ela serve. Ela é uma das poucas moléculas de aminoácidos que possui dois átomos de nitrogênio e, portanto, é considerada muito importante em termos de funções metabólicas. Quando a glutamina é sintetizada, o corpo é ‘purificado’ da amônia presente nos tecidos e no cérebro.

Além disso, é o aminoácido com maior presença nos músculos e no sangue e que neutraliza o excesso de ácido lático, que é gerado com a prática de exercícios aeróbicos intensos. Este ácido é um dos causadores da fadiga muscular, bem como do catabolismo.

Mulher cansada fazendo exercícios

Outro dos benefícios da glutamina é que ela previne a perda de massa muscular quando estamos em repouso ou então após o treino de cardio.

O déficit de glutamina

A glutamina está naturalmente presente em nosso corpo, mas, em certos momentos, seus níveis podem diminuir. Uma das principais causas de deficiência desse aminoácido é o estresse, que enfraquece o sistema imunológico.

Também pode aparecer por causa da intensidade do exercício. Se, por exemplo, aumentamos a frequência (dias que treinamos) ou então mudamos o treino para um mais ‘forte’, sua quantidade no corpo pode cair. Quando o corpo não é capaz de produzir a quantidade adequada de glutamina de que necessita temos certos sintomas ou sinais, incluindo:

  • Cansaço excessivo
  • Demora na recuperação
  • Diminuição do apetite
  • Letargia o dia todo
  • Mal humor
  • Suscetibilidade a infecções

Como tomar glutamina: a glutamina como suplemento

Devido às suas virtudes para nossa massa muscular, a glutamina se tornou um suplemento alimentar amplamente utilizado pelos atletas. Tomando-a, evitamos que os músculos exercitados percam volume.

Também é usada por atletas que deixaram o treinamento devido a uma lesão ou doença para evitar uma consequente redução dos músculos. Devido ao seu poder de ‘construção’, a glutamina também é prescrita para pacientes com HIV e câncer em estágios avançados.

Medicas tratando de um paciente em um hospital

Além disso, pode ser benéfica para pacientes com artrite, úlceras pépticas ou doenças imunodeficientes.

Embora seja comercializada na forma de cápsulas ou em pó (que são consumidos com o estômago vazio), a verdade é que a glutamina também está presente nos alimentos – tanto de origem vegetal quanto animal – que contenham um bom teor de proteína.

O problema com esta opção natural é que o aminoácido é destruído pela ação do calor. Portanto, ao cozinhar os alimentos, suas propriedades são perdidas. As fontes de glutamina são: os laticínios, a carne (crua ou defumada), os ovos, a  carne de porco, o peru, o salmão, o espinafre, a salsinha, o repolho e também as frutas secas e alimentos fermentados, como o missô, por exemplo.

Glutamina para atletas

Embora esse aminoácido seja importante para todas as pessoas, ele se torna essencial para aquelas que praticam esportes, pois permite uma maior recuperação muscular e uma redução da dor após o treinamento. É valorizado também porque impede a disseminação de resfriados ou doenças virais comuns nas academias.

Para saber quanta glutamina consumir, é muito importante consultar o treinador ou o médico encarregado da dieta. Os dois aspectos que interferem na dose são o peso corporal e também o tipo e a quantidade de exercício realizado.

O normal é consumir entre 2 e 30 gramas por dia com o fim de aumentar os níveis do aminoácido no sangue. A quantidade mínima é recomendada para pessoas inativas e a máxima para as pessoas que treinam em nível profissional ou de competição.

No caso de ingerir mais de 10 gramas por dia, a dose deve ser dividida ao meio. Além disso, os momentos mais apropriados para a ingestão são quando nos levantamos, antes ou depois do treino e antes de ir dormir. Recomenda-se não misturar com alimentos ou bebidas quentes, pois eles podem diminuir os efeitos. Também não é bom acompanhá-la com sucos cítricos.

Se você tiver mais dúvidas sobre como tomar glutamina, não hesite em consultar o seu médico de confiança. Dessa forma ele vai te informar sobre os possíveis efeitos colaterais e, sobretudo, quanto à dose adequada.