Você conhece a Síndrome de Hoffa?

29 de novembro de 2019
Uma das muitas causas de dor no joelho é a inflamação da área de gordura localizada abaixo da patela. Essa condição é chamada de síndrome de Hoffa.

A síndrome de Hoffa é uma condição incomum, que afeta principalmente pessoas jovens. A sua prevalência limitada faz com que a condição seja pouco conhecida entre a população.

No entanto, para aqueles que têm o problema, isso pode ser realmente incômodo e até mesmo incapacitante para a prática esportiva. Vejamos as suas causas, sintomas e tratamentos.

O que é a síndrome de Hoffa?

A síndrome de Hoffa ocorre quando há uma inflamação da área de gordura localizada atrás do tendão patelar. Assim, a área problemática está localizada no joelho, logo abaixo da patela.

Ela afeta principalmente jovens adultos e atletas, em grande parte devido a movimentos incorretos ou cargas excessivas que podem causar o problema, conforme veremos a seguir.

As causas desta doença podem ser diversas e, geralmente, ela não será causada por apenas uma delas, mas sim por várias causas. Entre as mais comuns, destacam-se:

  • Carga excessiva na área por causa de movimentos prejudiciais durante a prática esportiva. Já foi descrito que, para bailarinos, por exemplo, os movimentos contínuos de torção e hiperextensão do joelho podem ser desencadeadores da doença.
  • Novamente em relação ao esporte, um trauma ou um movimento esportivo incorreto relacionado à patela também podem gerar a condição.
  • Alterações estruturais. Um mau alinhamento dos ossos da perna pode criar tensão anormal na área. Essa tensão ao longo do tempo pode acabar causando inflamação.

Sintomas

Uma vez que se trata de uma inflamação, os sintomas incluem aqueles que são típicos desse tipo de problema: vermelhidão, inchaço e dor. O aumento da quantidade de sangue na área faz com que ela inche e outras estruturas sejam comprimidas, causando assim um desconforto.

Síndrome de Hoffa

A síndrome de Hoffa também envolve uma limitação da mobilidade, uma sensação de instabilidade ao caminhar e ruídos ao mover a perna, que podem estar acompanhados pela sensação de que a articulação está bloqueada.

Para evitar o aparecimento da doença, primeiramente devemos manter um bom tônus ​​muscular do quadríceps. O tônus ​​muscular da perna ajuda a absorver as forças que queremos aplicar e, portanto, não haverá estresse sobre outras estruturas como forma de compensar impactos ou cargas.

Por outro lado, manter uma boa flexibilidade será igualmente essencial. Isso ocorre porque uma musculatura rígida fará com que os músculos sejam incapazes de executar certos movimentos, de tal forma que, novamente, teremos que compensar impactos e cargas.

Para os atletas, é importante garantir que o movimento esportivo apropriado esteja sendo executado. Além disso, também é vital respeitar os ciclos de exercício e descanso. Isso fará com que possamos melhorar na nossa atividade sem comprometer as estruturas que mais usamos – nesse caso, o joelho.

Finalmente, se o joelho nos causar problemas, é sempre aconselhável fazer exames para observar o alinhamento do membro inferior.

Talvez seja necessário trocar de sapato, usar palmilhas ou fortalecer certas partes dos músculos das pernas para alinhar um desajuste. Em casos graves, o mais lógico é já estarmos cientes disso, podendo ser necessária uma cirurgia para corrigir um desvio significativo.

Tratamento para a síndrome de Hoffa

Foram descritas duas fases da doença, uma aguda e uma crônica. Para a fase aguda, o tratamento será conservador e semelhante ao de outros processos inflamatórios. Portanto, estamos falando de medicamentos anti-inflamatórios e analgésicos, repouso e aplicação de frio local.

Síndrome de Hoffa

Se o desconforto não desaparecer e entrarmos na fase crônica, temos várias opções. Por um lado, o tratamento fisioterapêutico será muito útil: calor, massagem, mobilização, ultrassom… Existem muitas técnicas disponíveis e profissionais que podem ser úteis para nós.

Também temos a opção de fazer uma artroscopia para limpar a área ou a aplicação de infiltrações de corticosteroides. Esses métodos são mais invasivos. No entanto, eles podem se tornar necessários se não houver melhora com os tratamentos mais conservadores ou se precisarmos de uma melhora rápida.

  • Hoffa’s Disease in a Modern Dancer Case Report and Literature Review. Wang T., Costin C. Journal of Dance Medicine & Science, Volume 22, Number 3, September 2018
  • Hoffa disease. Magi M., Branca A., Bucca C., Langerame V. Italian Journal of Orthopaedics and Traumatology [01 Jun 1991, 17(2):211-216]
  • MR imaging of the infrapatellar fat pad of Hoffa. Jacobson J., Lenchik L., Ruhoy M., Schweitzer M., Resnick D. Radio Graphics Vol. 17, No. 3 (1997)