Saiba quais são os efeitos negativos do tabaco no esporte

· 12 de janeiro de 2019
O tabaco é um inimigo da saúde de qualquer pessoa, mas é ainda mais perigoso para o esportista porque diminui as suas capacidades físicas.

A dependência do tabaco é um dos hábitos mais nocivos das sociedades modernas. Nem os esportistas estão livre dele, pois muitas vezes pessoas que se dedicam à pratica de atividades físicas ainda possuem esse vício. Descubra os efeitos negativos do tabaco no esporte a seguir.

O tabaco é considerado um problema de saúde pública, com uma média de cinco milhões de mortes causadas diretamente por ele a cada ano. Muitos fumantes optam por praticar alguma atividade física, em um esforço de atenuar os efeitos negativos desta ação.

Os efeitos negativos do tabaco no esporte

Avaliação de danos

Há décadas especialistas discutem sobre os devastadores efeitos negativos que traz o tabagismo. Inclusive, aparecem eventualmente alguns “estudos” de uma procedência muito duvidosa que falam sobre os supostos benefícios do tabaco e de um dos principais compostos dessa planta: a nicotina.

Mas, além das propagandas publicitárias de moral questionável, ninguém mais duvida que fumar é ruim. Mas quais são os principais danos causados pelo tabaco?

O hábito de fumar prejudica todo o sistema cardiovascular, limita a capacidade dos pulmões e do aparelho urinário e aumenta a chance de desenvolver muitas doenças.

Fumantes passivos: os envolvidos silenciosos

O tabaco não só tem efeitos negativos para os dependentes. Isso porque os que convivem com o fumante também são severamente afetados. Afinal, as estatísticas mostram que um fumante inala apenas 15% do fumo que aspira; deixando no ar os 85% restantes que gera com a sua ação.

Os que são mais vulneráveis são as crianças. Foi comprovado a influência do tabaco em casos de otite, bem como na asma e outras doenças respiratórias. As probabilidades de que os pequenos terminem como fumantes em sua vida adulta são igualmente muito altas.

Aqueles que correm mais riscos são os chamados “fumantes herdeiros”. Ou seja, os bebês concebidos por fumantes. São casos ainda mais dramáticos envolvendo mães viciadas em nicotina durante a gravidez ou no período de amamentação.

O tabaco no esporte: uma combinação extremamente perigosa

O vício do cigarro não tem nenhum efeito positivo para a saúde, principalmente para as pessoas que praticam regularmente alguma atividade física. A combinação do tabaco com o esporte não é capaz de aliviar os danos causados por esse terrível hábito.

pulmões preenchidos por cigarros

A mistura de cigarros e exercício pode mesmo vir a ser mais perigosa do que fumar e levar uma vida sedentária. O coração de um fumante deve fazer um esforço maior para cumprir com a sua função vital.

O número de batidas por minuto em estado de repouso também é mais elevado entre os fumantes. Isso dificulta a respiração normal depois de um período de atividade intensa.

Os pulmões: o órgão mais afetado

O cigarro é o principal gatilho do câncer de pulmão. Não podemos deixar de mencionar que também afeta diretamente o resto de órgãos das vias respiratórias, desde a boca até os brônquios.

Ao limitar drasticamente a capacidade dos pulmões, o nível de oxigênio que chega ao sangue diminui também substancialmente. Essa situação produz uma deficiência de oxigênio nos tecidos, gerando sérios riscos de uma elevada fadiga e posterior colapso de todo o sistema muscular.

Músculos envolvidos

Além do cansaço chegar muito mais rápido e de dificultar os processos de recuperação, a ação negativa do cigarro sobre os músculos vai muito mais além. Por um lado, impede o crescimento da massa muscular, fazendo com que longas jornadas de exercício com pesos ou equipamentos em academias se tornem inúteis.

Mas, ao mesmo tempo, pode provocar a redução no tamanho dos tecidos e na sua capacidade de aplicar força. Isso acontece porque porque gera um aumento da enzima que degrada o glicogênio; que por sua vez é responsável pela reserva de energia dos músculos.

Mulher recusando um maço de cigarros

O tabaco no esporte: existe alguma forma de superar esse vício?

A nicotina tem efeitos estimulantes e antidepressivos. Essas características são citadas como uma das causas que geram tanta dependência. É o segundo vício mais forte depois do vício produzido pela heroína.

Outra razão que geralmente tenta justificar o ato de fumar é que ele ajuda a controlar os níveis de ansiedade. Será que realmente o fumo nos ajuda contra o estresse diário? Não podemos nos esquecer que o que é eficaz contra o nosso estresse é o exercício físico.

Recomenda-se que os fumantes (principalmente os de longa duração) que queiram aderir ao esporte o façam com prudência. É necessário adaptar progressivamente o corpo.

Depois de vencer o vício, deve-se ter consciência de que os efeitos negativos de levar fumaça para os pulmões durante anos não se revertem em apenas alguns dias.