O que é a vigorexia ou vício em exercícios físicos?

4 de março de 2020
A vigorexia é um problema sério, que afeta jovens de todas as idades. Neste artigo, você descobrirá como detectar se uma pessoa sofre desse distúrbio.

A vigorexia é uma doença que afeta cada vez mais atletas. É conhecida como um vício em exercícios, mas também é acompanhada por outras peculiaridades que vamos detalhar a seguir.

Essa condição é um exemplo perfeito de que distúrbios alimentares ou problemas de imagem corporal podem afetar até mesmo os atletas. A vigorexia gera uma forma de obsessão e vício na prática de exercícios físicos.

Geralmente se considera que os atletas que treinam diariamente e excedem 10 horas de exercício por semana podem ser afetados por essa doença. Na maioria dos casos, são pessoas com baixa autoestima e dificuldade para interagir com os outros.

A vigorexia é uma distorção mental em relação às proporções do corpo que pode causar problemas nos ossos e articulações. Da mesma forma, também pode gerar problemas musculares e o esgotamento do corpo. Esse vício também causa problemas no trabalho e na vida familiar das pessoas afetadas.  

De um modo geral, as pessoas que sofrem do vício em exercícios executam treinos continuamente, sem se preocupar com os possíveis danos que isso pode causar.

A condição afeta principalmente pessoas de 17 a 26 anos. É possível reconhecê-las, entre outras coisas, porque elas não podem faltar um único dia na academia e geralmente praticam esportes ao ar livre em condições extremas.  

Como reconhecer uma pessoa que está viciada em exercícios?

Nem todo mundo que ama se exercitar ou levantar pesos regularmente luta contra a vigorexia. Para que a obsessão de um indivíduo em relação ao levantamento de peso e a massa muscular seja diagnosticada como uma doença, ela deve causar grande sofrimento e afetar a sua vida cotidiana de uma forma negativa.

No entanto, existem alguns aspectos que ajudam a reconhecer uma pessoa que sofre de vigorexia:

  • Obsessão desproporcional por ter um corpo tonificado.
  • Narcisismo excessivo, que leva os atletas a se olharem no espelho constantemente e a se pesarem várias vezes ao dia.
  • Percepção alterada da realidade.
vigorexia

  • Passar várias horas por dia em academias e praticando esportes, negligenciando as tarefas diárias de uma pessoa normal.
  • Manter uma dieta rica em proteínas e carboidratos para aumentar a massa muscular.
  • Priorizar os comportamentos e atividades de construção muscular em detrimento do trabalho, da escola e das relações pessoais.
  • Esses indivíduos nunca estão satisfeitos com a massa muscular atual.
  • Consumir uma quantidade excessiva de suplementos e produtos para construir músculos ou abusar de esteroides e outras substâncias.
  • Comparar compulsivamente o tamanho do corpo e dos músculos com os de outros atletas.
  • Imposição de regras muito rígidas: as sessões de treinamento ocupam um lugar maior no dia e na semana, bem como a ingestão de suplementos alimentares.
  • Treinamento incessante, apesar das lesões por causa da falta de recuperação.
  • Vida pessoal e profissional é sacrificada.

Conclusões sobre a vigorexia

A atividade física regular é essencial para se manter saudável. Por outro lado, fazer exercício demais pode ser prejudicial à saúde. Como você pôde perceber neste artigo, a vigorexia é definida como um distúrbio emocional que distorce a percepção que uma pessoa tem do seu próprio corpo.

O mais normal é que um maior aumento da massa muscular tenha um efeito positivo sobre a confiança dessas pessoas.

No entanto, quando a mente não permite que elas vejam esse progresso, surgem obsessões e padrões de pensamento negativos que se tornam um vício. Da mesma forma que qualquer outro vício, a vigorexia não é saudável para o corpo.

vigorexia

O vício em exercícios pode até mesmo levar alguns atletas a situações muito prejudiciais, tais como tomar medicamentos ou substâncias para melhorar o desempenho ou, pior ainda, doenças e problemas de saúde.

Embora seja verdade que todos os esportes podem ser uma porta de entrada para a vigorexia, acredita-se que principalmente a musculação possa causar esse cuidado excessivo com o corpo. Elao pode levar a excessos durante o treinamento ou ao uso de substâncias para aumentar a massa muscular.

De qualquer forma, assim como ocorre com todos os outros problemas psicológicos, o primeiro passo para tratá-la é falar sobre ela. A cura é totalmente possível desde que o atleta admita e reconheça o seu vício.

Para concluir, recomendamos que, se você detectar que uma pessoa ao seu redor sofre de vigorexia, o melhor a fazer é falar com a pessoa ou procurar um psicólogo imediatamente junto com ela.

  • Mosley, P. E. (2009). Bigorexia: Bodybuilding and muscle dysmorphia. European Eating Disorders Review, 17(3), 191–198. https://doi.org/10.1002/erv.897
  • Molina, J. M. R., & Alcón, M. F. R. (2011). Vigorexia: de la adicción al ejercicio a entidad nosológica independiente. Health and Addictions / Salud y Drogas. Instituto de Investigacion de Drogodependencias.
  • Lorán Meler, M. E., & Sánchez Planell, L. (2005). Bigorexia. FMC Formacion Medica Continuada En Atencion Primaria, 12(8), 522–526. https://doi.org/10.1016/S1134-2072(05)71240-8