Pregorexia: o que é e o que fazer diante dela?

· 4 de maio de 2019
Muitas mulheres experimentam uma preocupação excessiva com o peso e tomam medidas inconvenientes a esse respeito. Se isso acontecer durante a gravidez, os riscos são muito altos tanto para a mãe quanto para o bebê.

A pregorexia aparece durante a gravidez e inclui uma certa obsessão com o aumento de peso durante a gestação. Neste artigo, vamos falar mais sobre esse transtorno e como agir caso ele nos afete.

O que é a pregorexia?

Quando uma mulher engravida, ela sabe – pelo menos inconscientemente – que ela vai engordar, mesmo se alimentando de forma saudável. Durante os nove meses de gravidez muitas mudanças acontecem no aspecto físico, e o ganho de peso é uma delas.

Enquanto a maioria das futuras mamães aceita isso como parte do processo, outras se recusam a engordar um quilo sequer em relação ao que pesavam antes de engravidar.

Este transtorno é conhecido como pregorexia; uma palavra que vem da combinação das palavras ‘pregnancy’ (gravidez, em inglês) e anorexia. O termo foi usado pela primeira vez em 2008, nos Estados Unidos, mas este é um problema que também afeta mulheres em outras partes do mundo.

Se uma gestante sofre de pregorexia, o seu principal objetivo será o de não ganhar peso e permanecer o mais magra possível durante toda a gravidez. Para conseguir fazer isso, ela vai comer menos do que é necessário, fazer jejuns prolongados ou passar dias ‘de dieta’, até mesmo ingerindo apenas líquidos.

A preocupação excessiva pela sua aparência física pode levá-la a forçar o vômito, ao consumo de laxantes ou à prática de exercícios que não estão de acordo com a sua condição. Tudo isso, certamente, com consequências mais do que perigosas tanto para a sua saúde quanto para a do bebê.

Como esse transtorno surge?

A principal causa da pregorexia é a pressão social; isto é, os padrões estéticos que são estipulados para a mulher atualmente. Da mesma forma, também há a influência do consumo de notícias sobre celebridades que mantiveram a forma física durante a gravidez e após o parto.

Talvez seja um pouco difícil entender que uma mulher deixe de lado o bem-estar do seu filho para cuidar da própria aparência física, no entanto, esse transtorno não é intencional.

Provavelmente a mãe já teve algum problema de excesso de peso ou certas patologias alimentares no passado, e estas podem reaparecer nesta fase tão sensível da sua vida.

Sintomas da pregorexia

Sintomatologia

Os principais sintomas da pregorexia são:

  • Pouco ganho de peso ou até mesmo emagrecimento durante a gravidez.
  • Medo excessivo de engordar; também falar continuamente sobre peso e balanças.
  • Restrições na dieta (eliminar o consumo de muitos alimentos).
  • Prática de exercícios que não são adequados para mulheres grávidas.
  • Indução do vômito.
  • Fadiga excessiva, tontura, dores de cabeça.
  • Não dar atenção aos famosos ‘desejos’ e rejeitar refeições apetitosas.

Possíveis consequências

Assim como afirmado anteriormente, esse tipo de transtorno pode acarretar muitas consequências negativas tanto para a mãe quanto para o feto. Na primeira, os efeitos são hipertensão, desnutrição, anemia, arritmias, descalcificação dos ossos, diabetes gestacional, aborto espontâneo, depressão e baixa autoestima.

Em relação ao bebê, as principais consequências do comportamento da mulher são: parto prematuro, baixo peso ao nascer, alterações neurológicas, aumento das chances de sofrer de problemas cognitivos na infância; e nos casos mais graves, morte nos primeiros meses de vida ou antes do nascimento.

Como ajudar uma mulher com pregorexia?

Certamente uma mulher grávida que sofre desse transtorno não vai perceber o que está acontecendo; ela vai pensar que está agindo corretamente.

Os primeiros a perceber que algo não está bem com ela são o seu parceiro, as suas amigas e os seus parentes diretos. Assim, quando tentam falar sobre isso, a futura mãe desconsidera a questão e indica que essas suposições não são verdadeiras.

Como ajudar uma mulher com pregorexia

Então, a primeira coisa que devemos fazer quando uma pessoa próxima de nós tiver sinais de pregorexia é conversar com o seu médico. O profissional vai fazer alguns exames e perguntas para a gestante, se considerar apropriado, também vai encaminhá-la para um psicólogo ou psiquiatra.

A terapia pode ser individual, mas é recomendável que ela frequente um grupo de apoio terapêutico para conhecer os casos de outras mulheres grávidas com o mesmo problema.

Ao mesmo tempo, o apoio da família em todos os momentos é fundamental, sem demonizá-la nem acusá-la de ser negligente em relação à sua vida e à vida do seu bebê. Deve haver compreensão, empatia e ajuda.

Se a sua parceira ou uma pessoa muito próxima estiver grávida e mostrar algum dos sinais de pregorexia, não deixe o tempo passar. Procure a ajuda de um profissional e trate o problema o mais rápido possível a fim de reduzir os riscos, tanto para ela quanto para o feto.