5 maneiras de combater a obesidade infantil

· 17 de abril de 2019
A falta de tempo ou paciência muitas vezes faz parte do problema dos mais jovens, e por isso é que a obesidade infantil aumentou de forma visível nos últimos tempos. Junto com uma boa alimentação, será importante que nossos filhos pratiquem algum esporte não só para a saúde como também para a sociabilidade

A obesidade infantil é um distúrbio que afeta mais e mais crianças em todo o mundo. As razões são diversas, mas a dieta pobre e a baixa atividade física são uma combinação muito perigosa. Aqui estão algumas dicas para ensinar as crianças a combater a obesidade infantil.

As estatísticas são impressionantes: em todo o mundo, um terço das crianças está acima do peso. Em outras palavras, uma em cada três corre o risco de cair em uma situação de obesidade.

Isso não é tudo, outras publicações oferecem dados ainda mais preocupantes. Elas afirmam que a obesidade em crianças menores de cinco anos se multiplicou dez vezes em todo o mundo desde 1975. Isso significa que, atualmente, existem 124 milhões de crianças com esse problema.

5 maneiras de combater a obesidade infantil

Como forma de evitar o grande número de riscos que surgem da obesidade infantil, é necessário agir. Aqui deixamos cinco máximas que seus filhos devem cumprir – com sua ajuda e companhia.

1. O exercício físico não pode faltar

Entre todos os seus benefícios, o exercício físico tem a vantagem de queimar calorias e gorduras no corpo. Além disso, previne doenças cardiovasculares – também associadas à obesidade – e diminui o risco de sofrer de diabetes.

Da mesma forma, a atividade física permite regular o metabolismo, o peso corporal e estimular um melhor descanso. Todos esses fatores contribuem enormemente para o bem-estar geral de uma criança.

Finalmente, uma equação simples, mas verdadeira, deve ser sempre lembrada: duas horas jogando ao ar livre ou praticando esportes equivalem a duas horas a menos jogando videogames e comendo junk food.

Crianças jogando futebol

2. Ter uma alimentação saudável

É essencial ensinar desde cedo a importância de comer bem. É talvez o melhor ensino que os adultos podem transmitir às crianças para cuidar da sua saúde.

Portanto, o importante é o equilíbrio. A ingestão de frutas e legumes de vários tipos deve ser incentivada, incluindo cereais e carnes – especialmente os magros – e também massas.

Por outro lado, você tem que reduzir o consumo de açúcares artificiais e alimentos não saudáveis ​​que contenham gorduras trans, como os salgadinhos ou lanches rápidos.

Cuidado: restringir não é sinônimo de eliminar. Se uma determinada criança é proibida de comer algo, só aumentaremos sua frustração e ansiedade para obtê-lo.

3. Evitar dietas

Embora pareça contraditório, dietas rigorosas não são aconselháveis ​​em crianças. A questão principal é que a criança se sentirá pressionada e preocupada com sua saúde.

Isso vai gerar ansiedade, nervosismo e, o que poderia ser pior, constrangimento. Ela poderia ter vergonha de comer em público ou comentar sobre sua situação. Além disso, a possibilidade do efeito rebote ao sair do regime será sempre latente.

O melhor, então, é ter uma dieta saudável como um modo de vida e não como uma medida temporária. Dessa forma, hábitos positivos são gerados e momentos traumáticos e de sofrimento são evitados.

4. Prestar atenção aos hábitos não saudáveis

Videogames, telefones celulares e televisão são ótimas ferramentas de entretenimento. No entanto, usados em excesso podem ser altamente nocivos.

É extremamente importante que os pais se envolvam e limitem essas atividades na vida dos seus filhos. Que os incentivems a sair, caminhar, explorar, reunir-se com amigos e encontrar coisas novas para fazer.

Além disso, também é positivo que eles colaborem com as tarefas domésticas ou que façam pequenos trabalhos em troca de dinheiro, para adicionar um incentivo extra.

Como adulto, muitas vezes você tem que recorrer à criatividade para combater a obesidade infantil, mesmo sem eles perceberem que estão se exercitando.

5. Dar o exemplo

As crianças olham para seus pais como modelos. Portanto, eles não farão o que seus pais não fazem. E, além disso, ainda copiam as atitudes daqueles que servem de exemplo

Geladeira com alimentos saudáveis

Se somos pais sedentários, não podemos pedir que nossos filhos sejam atletas magníficos. Pode acontecer, é claro, mas será um caso isolado.

A melhor ideia, portanto, é o incentivo mútuo para compartilhar tempo fazendo exercícios juntos. Vocês podem praticar um esporte, ir de bicicleta para a escola, para uma corrida ou apenas fazer uma pequena caminhada com o cão.

Qualquer atividade, por menor que seja, ajudará a despertar uma atitude positiva em relação à atividade física.

Como você pode ver, combater a obesidade infantil é tarefa das crianças, mas também de seus pais. De fato, grande parte da responsabilidade recai sobre os últimos, como guias e responsáveis ​​pelos menores.

Portanto, é essencial assumir uma atitude proativa e, sobretudo, preventiva em relação ao problema. Combater a obesidade infantil é muito mais viável antes dela aparecer. Além disso, isso evitará danos à autoestima e ao bem-estar emocional e social da criança.