O alongamento não deve doer, deve gerar apenas uma tensão

· 2 de maio de 2019
Cada vez mais pessoas se preocupam com sua saúde e praticam algum esporte regularmente. No entanto, nem todos estão conscientes da importância de realizar exercícios de alongamento ou de como realizá-los.

O alongamento não deve doer. Seja prévio ou posterior à atividade física, tem suas regras e deve ser realizado corretamente. Não é apropriado que os alongamentos doam; devemos apenas sentir uma tensão nos músculos envolvidos.

Na realidade, muitos atletas conhecem os benefícios de realizar uma série de alongamento, que não leva mais que dez minutos; apesar disso, eles não o fazem. Esta é a causa de muitas lesões.

No entanto, além de alongar, é preciso procurar fazê-lo corretamente. Esses exercícios têm suas regras: é importante saber quando e como alongar.

Um dos princípios mais importantes é que os exercícios de alongamento não devem doer, deve ser sentida apenas uma tensão. Pois, caso contrário, o efeito, longe de ser benéfico, pode ser prejudicial aos músculos. A seguir, veremos alguns aspectos para saber como realizar a série de alongamento.

A importância do alongamento

Para realizar um treino completo, é indispensável dedicar um tempo aos exercícios de alongamento. Dez minutos, ou mesmo cinco segundo alguns especialistas, são suficientes para atingir o objetivo: prevenir lesões e evitar a rigidez muscular.

Ao alongar após uma atividade física intensa, como correr, os músculos se recuperarão melhor e mais rápido. Além disso, possíveis dores decorrentes do esforço serão evitadas.

Junto com o exposto acima, o alongamento também contribui para que os músculos tenham uma aparência mais estilizada, desde que seja feito de forma suave, exercendo apenas uma tensão no músculo.

Por outro lado, este tipo de trabalho muscular proporciona uma maior flexibilidade. Isso reduz a probabilidade de sofrer lesões, porque quando um músculo está rígido e contraído, tem maior tendência a se romper. No entanto, quando um músculo é mais flexível, é mais difícil que isso aconteça.

A importância do alongamento

Quando devemos alongar?

Existe uma grande controvérsia sobre se devemos ou não alongar antes de iniciar um treino. Há até mesmo aqueles que advertem sobre o risco de os músculos estarem mais fracos na hora de colocá-los à prova caso realizemos alongamentos previamente; inclusive já foi dito que o risco de lesão poderia ser maior.

O consenso parece ser em torno do tipo de alongamento que pode ser realizado antes de iniciar a atividade física. Não é aconselhável realizar alongamentos estáticos antes de um exercício intenso.

O ideal é realizar alongamentos dinâmicos, ativos e combinados com o trabalho de mobilidade articular. Alguns exemplos são andar com os joelhos elevados ou fazer círculos com os braços.

Quanto ao alongamento após o exercício físico, todos parecem concordar: é necessário e muito benéfico alongar ao final da atividade física. No entanto, é importante lembrar que o alongamento sempre deve consistir em uma tensão que não envolva um esforço excessivo ou qualquer tipo de dor.

Com relação ao momento em que se deve alongar, é essencial fazê-lo sempre logo após o treino, quando os músculos ainda estão quentes. Desta forma, vamos ajudá-los a recuperar sua elasticidade, já que após uma sessão de atividade física intensa são produzidas microrrupturas nos músculos.

Ao alongar, realizamos um trabalho sobre as fibras que permitirá regenerar e recuperar os músculos, os tendões e as articulações. Este é, portanto, o principal argumento para explicar como esses exercícios são imprescindíveis.

Quando devemos alongar?

O alongamento não deve doer, deve apenas gerar tensão

Os exercícios de alongamento devem envolver todos os grupos musculares, e não apenas as pernas, como se costuma acreditar. Além disso, é muito importante alongar com cuidado, para evitar lesões. Para isso, é necessário fazê-lo com muita concentração e suavidade.

Ao alongar, deve-se sentir a tensão, mas sem forçá-la. Não deve haver dor; se houver, é porque o alongamento não está sendo de maneira correta e isso pode acabar prejudicando o músculo. Além disso, para que o alongamento seja realmente efetivo, a tensão deve ser mantida por pelo menos 25 ou 30 segundos.

Os exercícios de alongamento devem ser estáticos, deve-se manter a posição e não devem ser feitos movimentos bruscos ou repentinos.

Além disso, para ajudar os músculos no alongamento é importante respirar profundamente ao realizar os exercícios. É preciso alongar o músculo até sentir, ligeiramente, a pressão, e mantê-lo nessa posição.

Em suma, um bom alongamento ajudará a reduzir a tensão dos músculos e a relaxar todo o corpo. A amplitude de movimento e a flexibilidade aumentarão pouco a pouco, de forma progressiva e sempre sem necessidade de forçar.

  • Ayala, F., De Baranda, P. S., & Cejudo, A. (2012). El entrenamiento de la flexibilidad: Técnicas de estiramiento. Revista Andaluza de Medicina Del Deporte. Elsevier Doyma. https://doi.org/10.1016/S1888-7546(12)70016-3
  • Arajol, L. P., José, J., & Tirado, G. (2010). Sobre la aplicación de estiramientos en el deportista sano y lesionado. Apunts Med Esport45(166), 109–125. https://doi.org/10.1593/neo.81384