Os efeitos adversos da maconha para a saúde

30 de agosto de 2019
A gravidade dos efeitos da maconha no corpo depende em grande parte de como a droga é utilizada: da frequência, da quantidade e da idade de início. De qualquer forma, o consumo afeta a saúde e o desempenho físico.

A maconha é uma das substâncias psicotrópicas mais consumidas no mundo. Nos últimos anos, surgiu um debate sobre os efeitos positivos e negativos da mesma. A verdade é que os efeitos da maconha no corpo não são somente imediatos, mas aparecem também a longo prazo.

 Quais são os efeitos da maconha no corpo?

A maconha vem da planta conhecida como cannabis. Trata-se de uma das substâncias psicotrópicas mais consumidas ao redor do mundo. Nos últimos anos, os efeitos de seu consumo têm sido banalizados, em parte, devido ao seu uso medicinal e também pela demanda pela droga.

Não obstante, os efeitos dessa substância no organismo não afetam o corpo somente a curto prazo, mas também a longo prazo. Na maioria das vezes, as consequências são muito negativas para a saúde.

Pessoa fumando maconha

Quando uma pessoa inala a fumaça da maconha, um efeito quase que imediato ocorre no cérebro. O senso de percepção é afetado e a frequência cardíaca aumenta consideravelmente.

Diz-se que os efeitos da maconha são quase que imediatos porque apenas alguns minutos depois de inalada a frequência cardíaca da pessoa se acelera visivelmente.

De fato, a frequência cardíaca que no estado normal é geralmente entre 70 e 80 palpitações por segundo, depois de consumir maconha, pode aumentar para entre 20 e 50 palpitações. Em alguns casos, o ritmo do coração pode duplicar.

Por essas razões, vários estudos científicos mostram que uma pessoa é cinco vezes mais propensa a sofrer de um ataque cardíaco na hora seguinte de ter usado maconha.

Outros efeitos evidentes e imediatos após o consumo dessa substância são a dilatação e expansão dos vasos sanguíneos dos olhos e o relaxamento do sistema respiratório. Em alguns casos, especificamente quando consumida em excesso, pode causar alucinações.

Os efeitos adversos da maconha

Problemas respiratórios

A fumaça de maconha é um irritante natural, razão pela qual as vias respiratórias constituem uma das áreas mais afetadas no organismo, tanto a curto quanto a longo prazo.

O consumo dessa droga está associado a uma inflamação dos pulmões e das vias respiratórias em geral. Portanto, os fumantes de maconha, assim como os de cigarros, são mais propensos a sofrer de bronquite crônica, infecções respiratórias, pneumonia e outras patologias.

Capacidade sexual

Apesar de um dos efeitos da maconha ser a desinibição e a pessoa poder se sentir mais propensa a manter relações sexuais, os efeitos da droga vão na direção oposta.

O consumo da maconha afeta não somente a qualidade do esperma, mas acelera também a sua secreção, razão pela qual o tempo das relações é reduzida. Como consequência, não se obtém o prazer desejado. No caso das mulheres, o consumo frequente dessa substância afeta o número dos óvulos.

Câncer

Um cigarro de maconha tem diversas substâncias tóxicas e cancerígenas. Pesquisadores acreditam que há maior chance de se sofrer de câncer de pulmão após o consumo da mesma. Não obstante, ainda não há muita evidência científica a esse respeito.

Médico segurando raio x do pulmão

O que está comprovado é que o consumo da maconha em adolescentes está associado ao aparecimento e o desenvolvimento de um tumor agressivo de testículo nos seguintes anos.

Sistema imunológico

Algumas pesquisas científicas mostraram a correlação entre o uso de maconha e uma diminuição no sistema imunológico.

Embora sejam necessárias mais pesquisas, a verdade é que os estudos feitos até agora em animais mostram que essa substância danifica ou afeta profundamente o sistema imunológico. Por essa razão, o organismo fica mais propenso a desenvolver várias doenças.

Os efeitos da maconha no organismo são múltiplos. Eles podem aparecer de imediato e a longo prazo. Esses efeitos serão mais ou menos severos de acordo com a quantidade e a frequência do consumo.