Como as alergias podem afetar o seu desempenho esportivo

· 26 de abril de 2019
Existem muitas alergias e, para determinar a sua influência na nossa vida esportiva regular, é necessário conhecer cada uma delas individualmente para ver que medidas e conselhos precisamos tomar e seguir.

Há poucas coisas mais desagradáveis ​​e inoportunas do que as alergias quando queremos alcançar nosso melhor desempenho durante uma atividade.  Alguns tipos de alergia estão mais relacionados ao esporte do que outros. Saiba mais a seguir.

O chamado choque anafilático, por exemplo, é extremamente grave. Por ser sistêmico, compromete a pessoa para a vida toda.

É importante conhecer as causas e as reações de um processo alérgico, a relação com a prática esportiva e as medidas a serem tomadas. A seguir, nós analisaremos como as alergias afetam o seu desempenho no esporte.

Quais são as causas das alergias e as suas reações adversas

As alergias são originadas quando o organismo reage ao contato com uma substância que é identificada como agressora, ainda que não seja necessariamente. Essas substâncias são conhecidas como alérgenos.

alergia ao pólen

Em um primeiro estágio, chamado de sensibilização, o corpo gera anticorpos para proteger-se da substância que considera uma ameaça. Com isso, ele ativa a imoglobina E (IgE), aquela que emite a ordem para secretar as histaminas que produzem as reações.

Continuando com o processo, inicia-se o mal-estar e a alteração de algumas funções. A alergia pode se tornar sistêmica, colocando em risco a sua vida se não tiver um atendimento rápido.

Entre os alérgenos mais conhecidos estão vários alimentos. Esse é o caso das proteínas do leite, dos produtos de soja, dos ovos, dos cereais e do amendoim. Outros elementos que podem nos afetar são o pólen ou a grama, certos metais, pelos de animais, medicamentos e produtos químicos de insetos.

Embora a alergia seja considerada uma anomalia imunológica, sabe-se também que a genética afeta sua aparição. Outros gatilhos são: a alteração industrial de alimentos (os chamados transgênicos), os pesticidas e a poluição ambiental.

Relação entre as alergias e o desempenho físico

O esporte é capaz de desencadear e intensificar algumas alergias nas pessoas que o praticam. Esse é o caso da urticária, da asma e do choque anafilático.

Apenas em alguns casos é necessário interromper o treinamento. O importante é conhecer a sua própria condição física, como as alergias afetam seu desempenho e o protocolo a ser seguido.

Medidas e precauções de esportistas diante de alergias

Quando os sintomas das alergias estão presentes, um especialista deve ser consultado para prescrever o tratamento apropriado. Mas o mais importante é a prevenção.

Urticária do esportista

Manifesta-se com lesões cutâneas avermelhadas que produzem coceira. Existem fatores associados aos exercícios que estimulam o surgimento dessa alergia, como estresse, esforço ou exigência, as altas temperaturas e a sudorese.

urticária reação alérgica

A urticária é uma reação alérgica muito comum.

Para evitar essa patologia, devemos evitar o exercício em temperaturas extremas, usar roupas esportivas especiais, fazer intervalos adequados e tomar anti-histamínicos – apenas com uma receita médica.

Asma alérgica do esportista

  • A broncoconstrição, característica da asma, aparece em esportistas geralmente devido à perda de líquido bronquial por esforço. Isso é normal, mas tende a piorar quando se treina em temperaturas muito baixas.
  • Outras causas dessa alergia são a aspiração de pólen nas épocas em que ele é abundante e quando sofremos de gripe ou resfriado. Os dois casos devem ser evitados por quem treina. O esportista deve estar preparado para possíveis ataques de asma, tendo sempre os medicamentos à mão.
  • O aquecimento respiratório é uma medida profilática útil naquelas pessoas propensas a sofrer de asma. Isso é feito inalando através do nariz e expirando pela boca, lenta e profundamente, várias vezes.
  • Diante de uma crise asmática, a pessoa deve parar de fazer exercício físico imediatamente. É necessário avaliar se com isso e com a medicação o episódio é interrompido ou se é necessário procurar ajuda hospitalar.

Anafilaxia induzida por atividade física

Essa é uma reação adversa que é caracterizada por ser sistêmica, ou seja, impacta vários órgãos ao mesmo tempo. Afeta a pele e os sistemas respiratório e cardiovascular. A alergia inicial geralmente é desencadeada por um alimento, mas com exercícios pesados ​​ela piora e origina um estágio de choque anafilático.

É tipicamente uma emergência médica, que exigirá a administração de corticosteroides, anti-histamínicos e adrenalina por agentes de saúde.

Em qualquer caso, sofrer de alergias não deve ser sinônimo de não fazer atividades físicas. Se o esportista conhecer as suas reações e de que forma deve agir, sabendo as precauções e medidas referidas acima, não é necessário interromper o seu programa de treinamento diário.