Aditivos alimentares: tipos, vantagens e desvantagens

4 de janeiro de 2019
Existem muitos mitos sobre os aditivos alimentares. Eles são bons ou ruins? Examinaremos um a um.

Os aditivos alimentares são substâncias que são adicionadas aos alimentos para manter ou melhorar a sua segurança, frescura, sabor, textura ou aparência. É necessário, porém, verificar se estas substâncias podem causar efeitos prejudiciais à saúde humana antes de usá-las.

Nos alimentos comercializados internacionalmente só podem ser usados ​​aditivos que, depois de serem avaliados, foram considerados seguros pela Comissão Mista da OMS de especialistas em aditivos alimentares.

Trata-se do órgão internacional responsável pela avaliação da segurança dos aditivos alimentares. Nesse sentido, essa avaliação é baseada nos níveis máximos de uso estabelecidos por esse comitê.

Inclusive, há uma grande quantidade de aditivos que são usados ​​até mesmo diariamente na nossa cozinha; aqueles que são mais utilizados são os seguintes:

Potinho com sal

Tipos de aditivos

Os aditivos alimentares são muito diferentes uns dos outros, por isso a sua classificação é muito extensa. Alguns dos tipos mais importantes de aditivos são os apresentados abaixo:

  • Adoçantes: substância que, quando adicionada a um alimento, confere um sabor doce.
  • Corantes: substâncias adicionadas a um alimento para conferir cor.
  • Conservantes: substâncias que ajudam a aumentar o prazo de validade, já que protegem os alimentos de microrganismos patogênicos.
  • Antioxidantes: substâncias que ajudam a aumentar o prazo de validade protegendo os alimentos da oxidação.
  • Solventes: substâncias que são usadas para dissolver ou diluir fisicamente um aditivo.
  • Acidulantes: substâncias que dão gosto ácido ao alimento.
  • Antiespumantes: substâncias que reduzem a formação de espuma.
  • Agentes de carga: substâncias que aumentam o volume de um produto.
  • Emulsificante: substâncias que tornam possível a mistura entre duas fases imiscíveis – água e óleo, por exemplo.
Vários alimentos diferentes dispostos em pratos

  • Endurecedores: substâncias que mantêm as frutas ou legumes firmes ou crocantes.
  • Intensificadores de sabor: substâncias que aumentam o sabor do produto.
  • Endurecedores: substâncias que dão textura a um produto alimentício pela formação de um gel.
  • Umectantes: substâncias que previnem a desidratação dos alimentos ou que favoreçam a dissolução de um pó em meio aquoso.
  • Gaseificadores: substâncias que liberam gás e, assim, aumentam o volume de uma massa.
  • Sequestrantes: substâncias que formam complexos químicos com íons metálicos.
  • Estabilizadores: substâncias que possibilitam a manutenção do estado físico-químico de um alimento.
  • Espessantes: substâncias que aumentam a viscosidade de um alimento.

Vantagens dos aditivos alimentares

Assim, algumas das principais vantagens dos aditivos alimentares são as seguintes:

  • Antes de tudo, eles prolongam a vida útil dos alimentos e garantem sua segurança.
  • Nesse sentido o nitrito, no caso de carnes, impede o crescimento das bactérias que dão origem a uma toxina mortal.
  • Na mesma linha os propinatos, no pão, e os sorbatos, no queijo, desaceleram e inibem o crescimento de fungos.
  • Além disso, os corantes aromatizantes melhoram a aparência e o sabor dos alimentos aos quais são adicionados.
  • É importante salientar que alguns aditivos ajudam a manter o valor nutricional dos alimentos.
  • Ao reduzir a deterioração dos alimentos podemos ter este produto durante todas as estações do ano, independentemente de ser a época do alimento ou não.

Desvantagens dos aditivos

Por outro lado, algumas das principais desvantagens dos aditivos alimentares são as seguintes:

  • Os sulfitos podem causar asma, então eles são muito perigosos para asmáticos.
  • Além disso, alguns aditivos têm glúten, o que significa que as pessoas que sofrem de doença celíaca não podem comer esses alimentos.
  • Até mesmo os nitratos e nitritos podem ser tóxicos se se ligarem à hemoglobina, pois há o risco de formarem compostos carcinogênicos.
Um pote de cereal com tarjas de aditivos químicos

  • Alguns adoçantes de baixa caloria, como o aspartame, não são tolerados por pacientes com fenilcetonúria.
  • Os conservantes podem causar irritação da mucosa intestinal, diarreia, hemorragia interna ou aumento do fígado ou dos rins.
  • Aliás, alguns aditivos podem aumentar o risco de alergias.
  • Para finalizar, outro adoçante, como é o caso do sorbitol, não é recomendado para crianças, já que a ingestão excessiva pode causar diarreia e gases estomacais.