O fisiculturismo é perigoso para a saúde?

23 de fevereiro de 2020
Se você se interessa pelo mundo do fisiculturismo, você deve definir se os seus objetivos são apenas estéticos ou se você quer competir. Neste último caso, existem certas precauções que você deve levar em consideração.

Embora esta seja uma modalidade esportiva muito popular, muitas vozes qualificadas da ciência e da medicina afirmam que o fisiculturismo é perigoso se não for praticado com responsabilidade. Quais fatores devem ser levados em consideração nessa modalidade?

Primeiramente, devemos diferenciar a musculação, a tendência de criar músculos grandes e definidos através do treinamento e da alimentação saudável, do fisiculturismo. Embora em muitos países o termo ‘fisiculturismo’ seja usado como sinônimo de musculação, aqui faremos essa distinção.  

O último envolve esforços muito maiores em todos os aspectos. Geralmente, também envolve o consumo de suplementos para alcançar os objetivos mais rapidamente. A musculação, no entanto, pode ser um estilo de vida positivo.

O que é o fisiculturismo?

Como método de competição, o fisiculturismo é uma modalidade que exige treinamento intenso, geralmente anaeróbico, com trabalho de força. O objetivo é alcançar a maior hipertrofia muscular possível para que os músculos cresçam e então sejam expostos a um júri.   

Os critérios que adquirem relevância nesse esporte são a definição dos músculos, o seu tamanho, simetria e as poses que os protagonistas adotam para exibi-los.

O fisiculturismo é uma atividade física que não exige um cenário para ser realizada, mas as apresentações geralmente são feitas em academias ou auditórios. Basta ter um local para os fisiculturistas, outro para o júri e, é claro, também uma área para o público.

Consequências positivas do fisiculturismo

Antes de falar sobre os seus perigos, devemos mencionar porque muitas pessoas praticam essa atividade física, seja para fins esportivos ou estéticos. Algumas dos seus principais benefícios para a saúde são:

  • Ganho de força, resistência e flexibilidade muscular.
  • Evita a atrofia muscular.
  • Ajuda a evitar dores nas articulações.
  • Reduz a possibilidade de sofrer lesões e quedas, pois melhora o equilíbrio.
  • Combate o sedentarismo.
O fisiculturismo para mulheres

Por que o fisiculturismo é perigoso?

Há duas razões fundamentais pelas quais os especialistas dizem que o fisiculturismo é perigoso quando não há consciência por parte do indivíduo que o pratica. São as seguintes:

Exigência física máxima

Um dos fundamentos daqueles que dizem que o fisiculturismo é perigoso é a enorme intensidade exigida pelos seus treinos. Eles levam muito tempo e requerem uma mudança total no estilo de vida. Portanto, é normal que o trabalho, o relacionamento com outras pessoas e outras obrigações sejam deixados de lado.

Da mesma forma, pode surgir um narcisismo excessivo ou um transtorno dismórfico, que faz com que o atleta se veja magro e adote uma postura ainda mais extrema em relação a seus exercíciose dieta. Esses excessos podem ser muito perigosos para a sua vida.

Se você não se cuidar, o fisiculturismo pode se tornar realmente perigoso para o seu corpo.

O uso de certas substâncias, como os agentes anabolizantes, é o principal alerta apontado pelos especialistas quanto a essa modalidade.

Embora os anabolizantes sejam positivos contra patologias como a osteoporose, algumas anemias e para recuperação após uma operação, o seu uso indiscriminado acarreta danos significativos à saúde.

A tal ponto que, nos Estados Unidos, há uma legislação para restringi-los e tratá-los, em certos aspectos, de forma semelhante à cocaína. Os principais efeitos negativos do seu consumo são os seguintes:

  • Retenção hidrossalina: o corpo retém água e sódio, o que pode ser muito prejudicial para as pessoas hipertensas.
  • Problemas no sistema endócrino: pode causar irregularidades hormonais, modificação da mucosa uterina nas mulheres e até mesmo hemorragias na área.
  • Virilização: as mulheres experimentam alterações no tom de voz, acne e hipertrofia, não apenas nos músculos, mas também nos seios e no clitóris.
  • Hepatotoxicidade: especialmente em doses superiores às ‘recomendadas’, os anabolizantes podem ser muito prejudiciais ao funcionamento do fígado.
  • Diminuição da produção de testosterona: pode causar problemas de vários tipos para os homens. Um dos mais graves é a esterilidade, pois os testículos param de funcionar normalmente.
  • Estado catabólico prolongado: quando os esteroides deixam de ser tomados, o organismo tem dificuldade para retomar o seu funcionamento normal. Assim, o indivíduo pode se sentir enfraquecido, deprimido e com baixa libido.

Além disso, cabe destacar que essas substâncias são totalmente contraindicadas em caso de gravidez, insuficiência renal, hepática ou cardíaca, carcinoma da próstata ou quando combinadas com anticoagulantes orais ou medicamentos antidiabéticos.

Competição de fisiculturismo

Outras práticas perigosas para o corpo

Além dos esteroides, foram  registrados e estudados casos de injeção de óleo de soja nos músculos, com o objetivo de causar crescimento muscular para o fisiculturismo.

Tradicionalmente, o synthol é o famoso óleo com o qual os atletas dão brilho aos seus corpos. Há algum tempo, no entanto, houve mudanças no seu uso, e não exatamente para o bem.   

Essa prática efetivamente faz com que os músculos aumentem, mas não exatamente por causa do crescimento da massa muscular. Isso leva a efeitos colaterais muito graves, tais como atrofia muscular, necrose das fibras musculares, aparecimento de pus e hemorragias e até mesmo paradas cardíacas.

Conclusão: o fisiculturismo é perigoso para a saúde?

Assim como em tantos outros estilos de vida, podemos afirmar que a chave está no equilíbrio. O fisiculturismo é perigoso quando existe uma obsessão excessiva em aumentar os músculos a todo custo, sem cuidar da própria saúde e de outros aspectos da vida.

No entanto, esta pode ser uma prática positiva para manter a forma, sentir-se bem consigo mesmo e impedir que o corpo se atrofie e perca a mobilidade com o passar do tempo. Em suma, tudo sempre depende do uso que o ser humano faz das ferramentas que estão à sua disposição.

  • Julián De Hoyos; Alfredo Embid. Efectos indeseables de los esteroides anabolizantes. http://www.amcmh.org/PagAMC/medicina/articulospdf/57Anabolizantes.pdf
  • Físico culturismo y fitness. Guía de diseño de instalaciones deportivas. https://waltervillavicencio.com/wp-content/uploads/2018/06/FISICO-CULTURISMO-Y-FITNESS.pdf
  • Roberto Fidel Porto Álvarez; Rudbeckia Álvarez Núñez; Mayra Pérez Quintero; Ricardo Hernández Yagudin. Consecuencias del seudofisiculturismo en adolescentes. Hospital Pediátrico Universitario “Eliseo ¨Noel¨ Caamaño”, de Matanzas. http://scielo.sld.cu/pdf/ort/v27n1/ort10113.pdf