Máscaras de treinamento para melhorar o rendimento esportivo

15 de maio de 2019
Você já ouviu falar nas máscaras de treinamento? Trata-se de um novo elemento que muitos atletas de elite estão utilizando em seus treinos.

Talvez você já tenha visto algum atleta com uma máscara enquanto treina e se perguntou do que se trata. As máscaras de treinamento são um dos últimos elementos criados para melhorar o rendimento esportivo. Neste artigo contaremos mais sobre essa nova tecnologia.

O que são as máscaras de treinamento?

Também conhecidas como máscaras de elevação, seu objetivo é replicar o exercício de altitude que os atletas profissionais de elite realizam.

As máscaras de treinamento foram criadas nos Estados Unidos e são usadas em diversas modalidades. Não servem nem para perder peso nem para tonificar os músculos. Para que são usadas então? Para melhorar a capacidade respiratória e, com isso, a resistência aos exercícios.

Seu objetivo é simular os exercícios de altitude, para ampliar o diafragma e e a capacidade de se exercitar por períodos mais longos.

Há muitos atletas famosos que utilizam as máscaras de treinamento em diferentes modalidades: CrossFit, UFC, Ironman, futebol americano, ciclismo, futebol, etc.

É fato que, quanto maior a altitude, mais denso é o ar; portanto a resistência corporal deve ser superior. Como há menos oxigênio lá no alto, o corpo tem que se adaptar e ser mais eficiente. É isso que os atletas conseguem com as famosas máscaras.

A redução de oxigênio ativa um hormônio chamado eritropoietina (mais conhecido como EPO) para aumentar a quantidade de células vermelhas e hemoglobina. Desta maneira, mais oxigênio chega aos músculos.

Homem com máscara de treino

A respiração e as máscaras de treinamento

Os atletas devem passar várias semanas a certa altitude para obter uma adaptação positiva em seu corpo quando não há oxigênio. Um dos exemplos é o que acontece com os jogadores da seleção de futebol da Bolívia, que joga na cidade de La Paz que conta com 3.640 metros de altitude em relação ao nível do mar.

A equipe está acostumada com o ambiente, e tem uma ótima capacidade respiratória. Os demais jogadores devem viajar alguns dias antes do jogo contra os bolivianos para poderem se adaptar à falta de oxigênio e realizar exercícios ou treinamentos específicos para que não fiquem sem ar.

Mesmo com estas preparações, os jogadores afirmam que é quase impossível correr em um ambiente com estas características.

O grande “porém” das máscaras de treinamento é que elas não replicam as condições de altitude, nem produzem adaptações físicas. Então para que são usadas? Para que seja mais difícil respirar.

Em um lugar com muitos metros de altitude temos mais restrições na hora de respirar.

O assunto respiração é um dos principais tabus no mundo fitness. Alguns profissionais e treinadores são do time “respirar corretamente”, que inclui respirações profundas para poder diminuir os batimentos cardíacos e acalmar o sistema nervoso.

Outros preferem as respirações curtas ou cortadas com o objetivo – supostamente – de treinar mais e dar tudo de si sem dar ao corpo a capacidade de relaxar durante o exercício.

As máscaras de treinamento restringem a inalação e reforçam os padrões de respiração. E não apenas isso, mas também mudam os movimentos musculares que são exigidos para conseguir oxigênio e eliminar dióxido de carbono.

Como resultado, deve-se trabalhar muito para que o ar chegue aos pulmões. Todo este esforço faz com que seja necessário mais esforço e mais energia para treinar. A máscara te “obrigará” a se exercitar com menos intensidade e menor velocidade.

Mas então as máscaras de elevação funcionam?

Mesmo sendo “moda” no mundo fitness, alguns dizem que, ao invés de trazer benefícios, as máscaras prejudicam os atletas. É como se quiséssemos dirigir um carro de Fórmula 1 com pneus murchos. Não estamos utilizando todo potencial do nosso corpo quando falta oxigênio ou quando este chega em pequenas doses.

Mulher cansada

Até o momento, não existem estudos que avaliem o uso das máscaras de treinamento e se elas são benéficas ou não para aqueles que praticam exercícios.

Aparentemente, a máscara é apenas uma novidade e, por ser acessível, está ganhando mais adeptos no mundo fitness. Porém o consumo máximo de oxigênio ou as variantes hematológicas não são diferentes de um treinamento de cardio sem a máscara.

Um dos motivos pelo qual muitos estão se posicionando contra as máscaras de treinamento é que seu uso pode causar hipercapnia, um aumento de dióxido de carbono no corpo.

Essa condição causa taquicardia, perda da consciência e convulsões como efeitos principais. Por isso, para usá-la, você deve ser monitorado por um especialista.

  • Porcari, J. P., Probst, L., Forrester, K., Doberstein, S., Foster, C., Cress, M. L., & Schmidt, K. (2016). Effect of wearing the elevation training mask on aerobic capacity, lung function, and hematological variables. Journal of Sports Science and Medicine. https://doi.org/10.1519/JSC.0000000000001184