Uma análise das qualidades e do jogo de Pau Gasol

23 de março de 2019
Pau Gasol foi escolhido como o jogador mais valioso do campeonato na XXXVI edição do Campeonato Europeu de Basquete Masculino.

Pau Gasol é considerado o melhor jogador da história do basquete espanhol. Sem dúvida, este é um excelente atleta que, graças ao treinamento árduo e ao aprimoramento de sua técnica ao jogar, conseguiu impressionar muitas pessoas dentro e fora de quadra.

Desde que ele disputou o seu primeiro jogo na Espanha, como jogador do FC Barcelona e com apenas 16 anos de idade, o potencial e a qualidade que Pau Gasol tinha nas suas mãos eram visíveis. Não à toa, ele demorou pouco tempo para dar o salto para a NBA, obtendo o número 3 do Draft do ano de 2001.

Nas temporadas de 2002 e 2003, Pau não ficou de fora de nenhum jogo. De fato, foi o único Grizzlie que esteve em todos e cada um dos jogos. E apesar de estes não terem sido os melhores ano da franquia, tudo melhorou a partir do ano seguinte.

Desde então, ele foi seis vezes All-Star, jogador da franquia em Memphis até 2008, duas vezes campeão da NBA com os Los Angeles Lakers e, como se isso não fosse o suficiente, também foi um jogador chave para os Bulls.

Made in Barcelona

a carreira de Pau Gasol

Foto cortesia de: El País.

Atualmente, ele está sob o comando de Greg Popovich no San Antonio no seu – provável – último serviço ao basquete da NBA. Vale a pena ressaltar que, após tantos anos de carreira, não é nenhuma surpresa que tenha existido uma evolução no seu jogo mas, ao contrário de outros jogadores, a sua foi excepcional.

E por que ela é considerada excepcional? Porque depois de um tempo, devido à idade e à altura, os jogadores tendem a experimentar uma decadência física que prejudica o seu jogo. No entanto, no caso de Gasol não foi assim.

Arremesso de qualidade

Paralelamente à passagem das temporadas, Pau vem aprimorando seus números como arremessador para se tornar uma figura respeitável além do garrafão. Isto é o que o próprio Aito García Reneses disse:

“[…] sem ser um arremessador extraordinário, o que ele tem é a inteligência para saber quando arremessar […]”.

Além da leitura de espaços – que sempre foi uma das suas principais qualidades – a sua melhoria no arremesso de média distância, e até mesmo no de longa distância, fez dele um jogador completo.

Já em Chicago, Pau teve muita importância nesses dois quesitos, colhendo porcentagens de 46,2% e 34,8% durante as duas temporadas que passou por lá.

Seu papel como organizador de jogo

Essa nova habilidade de criar perigo a partir de qualquer lugar da quadra foi complementada pela inteligência que Pau já mostrava e graças à qual ele é capaz de gerar boas situações de arremesso para os seus companheiros de equipe; tal como demonstrado pela média de 3,2 assistências por jogo que teve ao longo de sua carreira.

Essa habilidade de criar jogadas parece ser de família, já que seu irmão Marc também pode se orgulhar dessa qualidade, chegando a igualar – e às vezes até mesmo a superar – essa habilidade de Pau.

Sacrifício na defesa

O compromisso de defender a cesta é algo que não é negociável nas equipes treinadas por Popovich, que parece incutir esta ideia nos seus jogadores de forma natural e sem discussões: se você joga nos Spurs, você defende.

Esta filosofia defensiva combina muito bem com o pivô espanhol, que teve um crescimento exponencial na sua qualidade defensiva desde a sua chegada à liga.

Essa melhora atingiu o seu auge durante a sua primeira temporada em Chicago, na qual ele ofereceu a sua melhor versão em relação aos rebotes – com 11,8 rebotes por jogo – e bloqueios – 2 bloqueios por jogo.

Pau Gasol: um vencedor incansável

São inúmeras as conquistas obtidas por Pau Gasol ao longo de sua carreira, tanto em nível nacional quanto internacional: o segundo espanhol da NBA, o primeiro a jogar um All-Star Game (2006), a se classificar para os playoffs (Memphis 2004 ) e a conquistar o campeonato da NBA (Lakers 2009 e 2010).

Ele também detém os recordes da franquia de Memphis em: total de pontos marcados, jogos disputados, minutos jogados, arremessos convertidos e tentativas, lances livres convertidos e tentativas, rebotes defensivos, rebotes ofensivos, rebotes totais, bloqueios e perdas de bola.

Isso tudo além de ter conquistado duas vezes o terceiro Quinteto da NBA (2009 e 2010) e duas vezes o segundo melhor quinteto (2011 e 2015).

Pau Gasol: um vencedor incansável

Foto cortesia de: RTVE.

Além disso, ele também é um dos únicos quatro jogadores na história da NBA com pelo menos 20.000 pontos, 10.000 rebotes, 3.500 assistências e 1.800 bloqueios acumulados durante a temporada regular, juntamente com Kareem Abdul-Jabbar, Tim Duncan e Kevin Garnet (novamente , quase nada).

Apesar de tudo o que conquistou, Pau parece não ter perdido o desejo de vencer e continua melhorando o seu jogo a cada dia.

Nunca mais o veremos no mesmo nível que ele tinha nos Lakers; nem marcando 40 pontos contra a França nas semifinais do Eurobasket. Mas ainda falta muito até chegar o dia de nos levantarmos e dizermos adeus ao grande Pau Gasol. Então, vamos aproveitar antes desse dia chegar.