Audiência ACB vs NBA: as duas maiores ligas de basquete

· 12 de fevereiro de 2019
É fácil encontrar deficiências na organização da ACB que sem dúvida influenciam negativamente na audiência, porém a tradição e a cultura do basquete também têm seu peso.

Parece claro que, atualmente, não é possível comparar a NBA com a ACB. A principal razão para isso é o diferencial econômico entre os dois, que se reflete na audiência.

Como dissemos, esse fator econômico tem uma influência substancial no acompanhamento dessa incrível competição (tanto no próprio ginásio como na TV).

Uma coisa é evidente, é difícil encher os ginásios da Liga Endesa; certamente devido à falta de estrelas, algo que encontramos na NBA.

Apesar disso, existem ginásios nos quais podemos ver uma grande participação do público, mas, como sempre, falamos de maneira generalizada.

ACB e NBA: as comparações são detestáveis

Os pequenos detalhes que são deixados de lado – tanto por parte da equipe de marketing dos times como pela ACB – fazem a diferença entre estes que são considerados os dois melhores campeonatos nacionais de basquete do mundo.

Jogador de basquete

Como ponto de partida, um ingresso da ACB é extremamente caro se considerarmos o espetáculo oferecido. Para atrair o público, você tem que oferecer algo além do próprio jogo de basquete.

Algo ainda mais importante, é fazer a emoção chegar às pessoas que estão em suas casas acompanhando o jogo na televisão, mostrando todas as experiências que elas estão perdendo por não ir para a quadra.

Você tem que fazer as pessoas desejarem ir ao ginásio para que comprem seu ingresso. Isso começando com as apresentações das equipes.

Nenhuma equipe da ACB deveria deixar de organizar um bom espetáculo na apresentação de sua equipe. No entanto, apenas algumas equipes – o Benbai, a Unicaja Málaga ou o Obradoiro – organizaram uma boa apresentação durante os preparativos para cada jogo na temporada passada.

Isso depende do dinheiro dos clubes? Parece evidente que não; depende do desejo demonstrado pelas equipes em fazer as coisas bem feitas e dar à própria liga uma imagem verdadeira de seriedade e competitividade.

As apresentações feitas pelas equipes da liga são muito ruins, sem fazer o menor esforço para montar um show de luzes ou fazer vídeos emotivos que despertem o interesse do público.

Esse tipo de coisa é o que faz a NBA ter o salto de qualidade que tanto faz falta na ACB.

O maior show do mundo

Como exemplo, durante as apresentações de equipes como o Chicago Bulls, um vídeo espetacular é transmitido, as luzes são apagadas e os jogadores saem um a um, iluminados por um holofote.

Enquanto isso, as líderes de torcida fazem seu trabalho e o mascote da equipe corre pela pista carregando uma bandeira gigante da equipe.

Esta ferramenta que parece tão simples não está relacionada de forma alguma com o dinheiro que as franquias da NBA têm quando comparado aos clubes da ACB.

Nem a logística parece ser um fator relevante; já vimos infraestruturas como o Palácio dos Esportes, que tem disponível a tecnologia necessária para realizar este tipo de espetáculos, durante o Mundial da Espanha de 2014.

Anteriormente mencionamos o Chicago Bulls, mas todas as equipes da NBA têm esse tipo de apresentações francamente espetaculares.

Em 1997, os Bulls já realizavam este tipo de apresentação. Como você pode ver, eles dão de mil em 90% das equipes da ACB.

Stephen Cury

A importância da transmissão

Depois de tudo o que dissemos até agora, parece claro que o mais importante é que todas essas apresentações sejam transmitidas pela televisão. Desta forma, o público pode ver a importância que é dada à competição em si e fica ansioso para ir no ginásio para apreciar o show ao vivo.

Por outro lado, o que se faz na ACB, realizada na Espanha? Com sorte, 10 minutos antes do jogo, durante as apresentações se aproveita para passar a publicidade e só começam a transmissão do jogo segundos antes do salto inicial (quando não começam a transmitir com o jogo já iniciado).

Conclusões

Não parece correto dizer que a ACB e a NBA estão a anos-luz de distância pelo simples fato de os americanos terem mais dinheiro e que, na Espanha, o futebol ter maior importância.

É mais uma questão de desejo quando se trata de vender o produto e agregar valor à competição diante do espectador.

Como modelo a seguir, temos a Copa del Rey, que é muito bem sucedida. Na verdade, na NBA eles tentam há anos fazer algo semelhante e, até o momento, não conseguiram.