As partidas de tênis mais longas da história

· 8 de maio de 2019
Durante o século XX começaram a ocorrer partidas de tênis cada vez mais longas dada a habilidade dos jogadores. No século 21, esta tendência continua.

Normalmente as partidas de tênis duram entre duas e três horas, embora sempre haja exceções. Já houveram partidas de quase onze horas. Portanto, a seguir, falaremos sobre algumas das partidas de tênis mais longas da história.

Nos últimos anos o nível dos jogadores tem sido mais alto. Por isso, ficou menos raro ver partidas durarem seis horas. Além disso, há bastante equilíbrio em relação ao desempenho em quadra. Portanto não é tão estranho que as partidas estejam mais longas que a média.

As partidas de tênis mais longas do século XX

Uma dessas partidas emblemáticas foi disputada no Torneio de Wimbledon, em 1969, entre os americanos Pancho Gonzales e Charles Pasarel. Neste encontro chegou-se a um total de 112 games. Gonzales perdeu os dois primeiros sets, mas no final conseguiu derrotar seu rival.

Pouco depois foi introduzido o tie break (morte súbita). Esta regra impede o prolongamento dos sets quando ficam empatados em seis games.

Em 1982 John McEnroe venceu Mats Wilander, um jovem de 17 anos que acabara de ganhar Roland Garros, na final da Copa Davis em nada mais nada menos que 6 horas e 22 minutos. Com esta vitória ele conseguiu um recorde neste campeonato: jogou e venceu as 12 partidas disputadas.

As partidas de tênis mais longas do século XX

E do século XXI

Os franceses Arnaud Clement e Fabrice Santoro quebraram o recorde da partida de tênis mais longa de um Grand Slam na era Open (6 horas e 33 minutos) em 2004.

A partida, que terminou com a vitória de Santoro, começou em uma segunda-feira. No entanto, teve que ser suspensa por falta de luz no momento em que empatavam em cinco games no quinto set.

Em 2005, na final da Tennis Masters Cup, o argentino David Nalbandian e o suíço Roger Federer jogaram por quatro horas e meia. Finalmente, o argentino levou o título e com isso quebrou a sequência de 24 finais vencidas consecutivamente pelo suíço.

Um ano mais tarde, em 2006, aconteceu uma das partidas de tênis mais longas. Nesta ocasião, Knowles e Nestor enfrentaram Aspelin e Perry na disputa de duplas do Torneio de Wimbledon. A partida durou 6 horas e 9 minutos e foi disputada em dois dias devido à falta de luz. Terminou em 23-21 no set final.

Mais recentemente, em 2009, a equipe britânica decidiu que seus jogadores competiriam uns contra os outros para determinar quem jogaria a eliminatória contra a Ucrânia na Copa Davis.

Em 2005, na final da Tennis Masters Cup, o argentino David Nalbandian e o suíço Roger Federer jogaram por quatro horas e meia

Tudo deu errado porque Chris Eaton precisou de 6 horas e 40 minutos para bater seu companheiro de equipe, o que fez com que ele chegasse cansado à eliminatória. Assim, a Ucrânia venceu com um convincente quatro a um.

No mesmo ano, Radek Stepanek disputou a semifinal da Copa Davis contra Ivo Karlovic durante 5 horas e 59 minutos. Foram quatro tie breaks e a partida foi decidida por um 16-14 no último set a favor do tcheco Radek Stepanek.

O dado mais importante da partida foi os 78 aces de Karlovic que, no entanto, não o ajudaram a alcançar a vitória, mas pelo menos deram a ele um recorde mundial.

O recorde imbatível

Em 2010, John Isner quebrou o recorde das partidas de tênis mais longas da história quando derrotou Nicolas Mahut depois de 11 horas e 5 minutos no Torneio de Wimbledon.

Em 2010, John Isner quebrou o recorde das partidas de tênis mais longas da história

A partida teve que ser disputada em três dias. Foi, em média, a mais longa, já que jogaram sete horas sem descanso. set final foi decidido em 70-68 a favor do americano. Além do recorde de tempo, outros também foram quebrados, como:

  • Maior quantidade de aces em uma partida, 216.
  • Set mais longo, 8 horas e 11 minutos.
  • Maior número de pontos em uma partida, 980.
  • Mais pontos ganhos por um jogador em uma partida, 502 – e isso foi conseguido por Mahut, que perdeu o jogo.

Nos últimos anos uma das partidas de tênis mais longas foi em 2015, na Copa Davis, entre Leonardo Mayer e João Souza. Teve uma duração de 6 horas e 43 minutos, com um resultado no set final de 15-13.

Para os jogadores, jogar estes jogos significa muito esforço físico e mental. Isso porque os torneios geralmente são disputados em um curto período de tempo, fazendo com que os jogadores acumulem cansaço das partidas anteriores, jogadas com apenas dois ou três dias de diferença.

No entanto, para os amantes deste esporte, assistir à partidas mais longas tênis é um prazer. Assim, podem ver mais grandes pontos de seus ídolos.