Os 5 esportes menos seguros e seus perigos

· 28 de maio de 2019
Diferentes estatísticas nos dão uma ideia do perigo de praticar certos esportes. Entre os fatores que mais influenciam esse risco estão a velocidade, a altura e os movimentos rápidos.

A lista inesgotável de práticas esportivas criadas pelo homem abrange modalidades que podem ser mortais. Velocidades altas, movimentos perigosos e alturas pronunciadas são variáveis decisivas dos esportes menos seguros.

De fato, existem estatísticas que mostram o perigo de cada modalidade. É verdade que em esportes como o futebol e o basquete, por exemplo, o risco de lesões é quase inevitável, mas as práticas a seguir podem levar qualquer pessoa a um resultado muito mais inesperado.

Os esportes menos seguros que podem ser praticados

1. O base jumping pode ser o esporte mais perigoso de todos

O base jumping é uma forma de paraquedismo que requer apenas saltar para o vazio a partir de um determinado ponto.

Chama-se B.A.S.E, devido aos diversos locais a partir dos quais os praticantes podem saltar. Eles são os seguintes: edifícios (building, em inglês), antenas (antenna), pontes (span) e terrenos como colinas e rochedos (earth).

O salto é feito com uma roupa especial, que ajuda o praticante a planar com o vento, e um paraquedas. Parte do perigo tem a ver com a curta distância entre os pontos de lançamento e o solo. Estamos nos referindo, geralmente, a um máximo de 60 ou 70 metros, nos quais muitas eventualidades podem ocorrer.

Os paraquedistas têm pouco tempo para reagir e a sua queda depende de variáveis tão instáveis quanto um vento, por exemplo. Desde a sua criação, estima-se que pouco mais de 200 pessoas perderam a vida nos saltos. A probabilidade de morrer praticando base jumping parece ser de 1 em 560.

O base jumping pode ser um dos esportes menos seguros

2. O alpinismo custou a vida de seus maiores expoentes

O registro de especialistas em alpinismo mortos é realmente extenso e os casos são bem conhecidos. Diz-se que, de cada seis subidas ao Monte Everest, uma é mortal. O problema não é apenas a grande altura, mas também as altas exigências físicas e mentais dessa prática esportiva.

Os alpinistas dizem que os maiores riscos não são sentidos na escalada, mas sim na descida. As mortes no alpinismo ocorrem por vários motivos: quedas, hipotermia, falta de oxigênio, congelamento, entre outros.

Quase todos os grandes praticantes e inovadores deste esporte morreram nas montanhas. Segundo o National Center for Health Statistics, a probabilidade de morrer subindo uma montanha é de 1 em 1750.

Para aqueles que fazem isso no Nepal, esse índice seria de 1 em 167; no entanto, quanto mais alto estivermos no Himalaia, maiores são as probabilidades.

O alpinismo custou a vida de seus maiores expoentes

3. O heliski combina neve com esportes de altura

Na prática, os esportes na neve não são tão perigosos em comparação com os outros. No entanto, apenas um foge da média: o heliski. O problema dessa modalidade é combinar neve com alturas.

No heliski, você deve tentar pousar na neve e fazer manobras em grandes velocidades nas encostas. Desde o início da prática, os atletas correm grande risco de aterrissar mal ou se não forem capazes de manobrar devido à velocidade do vento.

Mesmo quando conseguem aterrissar, o próximo problema é fazer as manobras nas descidas em altas velocidades. Qualquer movimento em falso pode afetar a trajetória e gerar um acidente ou queda espetacular.

O heliski combina neve com esportes de altura e é um dos esportes menos seguros

O outro desafio tem a ver com o terreno irregular. Sem dúvida, este é um dos esportes menos seguros que existem.

4. As modalidades de velocidade: Fórmula 1 e motociclismo

Dirigir para o trabalho tem pouco risco, mas fazer isso em alta velocidade em uma corrida fechada é muito perigoso. Aqueles que disputam corridas de Fórmula 1 têm uma probabilidade de 1 em 100 de morrer em um acidente. Essa estatística é ainda mais assustadora do que no alpinismo.

Por sua vez, as corridas de motociclismo têm uma margem maior, mas igualmente perigosa. De acordo com as estatísticas americanas acima mencionadas, a probabilidade de mortalidade em competições de motocicletas é de 1 a 1000.

As modalidades de velocidade

5. Esportes menos seguros: o boxe e sua alta taxa de mortalidade

Embora não implique velocidade, vertigem ou altura, o boxe é uma modalidade exigente, que está entre os esportes menos seguros. Em 1976, um escritor espanhol escreveu para um jornal popular que mais de 500 pugilistas haviam morrido até então.

Na verdade, há certo sigilo e desconhecimento sobre o total de fatalidades que a modalidade causou. De acordo com alguns cálculos, estima-se que a probabilidade de morrer praticando boxe seja de uma em 2200. Isso não inclui as sequelas causadas por traumatismo cerebral nos pugilistas para o resto de suas vidas.

O boxe e sua alta taxa de mortalidade

Existem outras modalidades mais normalizadas que também têm dados a serem considerados. Por exemplo, as sequelas sofridas pelos jogadores de futebol americano e as do esporte de entretenimento da luta livre chamam a atenção.

No entanto, no fim das contas, sempre é uma decisão pessoal praticar um esporte, seja ele qual for.

  • Rafael Verdera Server. Riesgos del deporte. Facultad de Ciencias Jurídicas. Universidad de Las Palmas de Gran Canaria. Extraído de: http://www.indret.com/pdf/116_es.pdf
  • Joan Ruis Sant. Riesgo y peligro en el deporte. Extraído de: http://www.jriustrainer.com/sites/default/files/pdf/Riesgo%20y%20peligro%20%20en%20el%20deporte.pdf