Como o Brexit afetará o mundo dos esportes?

30 de novembro de 2019
Não é difícil encontrar notícias sobre como o mundo dos esportes seria bastante afetado pela saída do Reino Unido da UE. Qual será o impacto do Brexit em todo o âmbito esportivo?

Quando ouvimos falar sobre o Brexit, não ouvimos falar em esportes. Geralmente o foco está em questões econômicas, sociais e, acima de tudo, políticas. No entanto, esse projeto polêmico também teria um forte impacto no âmbito esportivo da União Europeia.

Embora essas consequências não estejam no centro das atenções, elas também são importantes. Não é a primeira vez – e certamente não será a última – que as resoluções políticas se refletem na dinâmica e na estrutura dos esportes, especialmente no que diz respeito às questões administrativas.

Afinal, longe de se limitar às decisões tomadas em um parlamento, a política está totalmente integrada à realidade cotidiana da sociedade como um todo. Com as suas particularidades e excentricidades, o âmbito esportivo não está à margem da situação atual, mas sim ansioso pelas possíveis consequências do Brexit.

Em primeiro lugar: o que é o Brexit?

A questão central do Brexit é clara e simples: trata-se da saída do Reino Unido da União Europeia. De fato, o próprio nome ‘Brexit’ vem da união das palavras Grã-Bretanha – Great Britain – com o termo ‘exit’, que significa saída em inglês.

Para muitas pessoas, a ideia de que um dos países mais influentes deixasse o bloco mais poderoso do mundo pareceria impensável. No entanto, a iniciativa foi lançada após ser aprovada pela maioria da população britânica através de um referendo realizado em meados de 2016.

o Brexit no mundo dos esportes

Desde então, podemos verificar que o resultado desse ‘divórcio’ é muito mais complexo do que a ideia central do Brexit.

O Reino Unido é considerado, atualmente, a quinta maior economia do planeta. Quase metade das suas importações e exportações são feitas através da UE, além de ser um importante parceiro dos Estados Unidos.

Assim, qualquer movimento se reflete não apenas na UE, mas sim em todos os países. E mesmo que seja desativado, o Brexit já é uma realidade exigida por grande parte da sociedade britânica, incluindo muitos dos seus representantes políticos.

Com isso, o seu fracasso geraria tanta (ou ainda mais) incerteza do que a sua efetiva aplicação.

Então, como o Brexit afeta o mundo dos esportes?

Na prática, embora haja defensores do Brexit no campo esportivo, muitas pessoas se preocupam com as mudanças na política de imigração derivadas dessa separação.

Se olharmos para a Premier League, por exemplo, encontraremos mais de 50 jogadores espanhóis e franceses defendendo a camisa de clubes ingleses.

Sem mencionar os atletas e treinadores de outros países da UE e do continente americano ou africano, que claramente agregam valor àquele que é o campeonato mais lucrativo do futebol mundial.

Mais esportes além do futebol

Os possíveis obstáculos derivados do Brexit não teriam impacto apenas no mundo do futebol. Em um esporte como a Fórmula 1, no qual a mobilidade é a essência das suas competições realizadas em vários continentes, as mudanças na política de imigração do Reino Unido após a saída da UE podem se tornar um fator limitante.

Grandes equipes como McLaren, Renault e Williams, por exemplo, montaram os seus centros de operações no Reino Unido. No entanto, as suas equipes de trabalho são globais e empregam profissionais de diferentes nacionalidades, muitos deles dos mais de 20 países que compõem a UE.

Algo semelhante poderia acontecer no mundo do hipismo, com a dificuldade adicional envolvida no transporte animais de competição através das fronteiras. Ainda mais se considerarmos que o Reino Unido sempre foi um dos países mais pragmáticos e rígidos em matéria de migração e entrada de animais.

O Brexit no mundo dos esportes

Em resumo…

A confirmação do Brexit pode causar sérios obstáculos para os esportes, cujas equipes e estruturas estão cada vez mais globalizadas. O fim de acordos especiais sobre questões econômicas, mas principalmente em relação à política de imigração, tende a tornar alguns procedimentos mais complexos e mais caros.

Como exemplo dos procedimentos que seriam afetados pelo Brexit, é possível citar a contratação de atletas e treinadores estrangeiros. Isso também aconteceria com a transferência de materiais, equipamentos e até mesmo animais para competições.

Se o Reino Unido impuser condições mais rígidas de imigração, isso não apenas afetará os saldos orçamentários dos clubes, mas também poderá ser prejudicial ao próprio esporte. Assim, as suas consequências podem ter um impacto negativo para a competitividade e a diversidade das equipes.

  • Soledad Torrecuadrada. 2017. ¿Qué es el Brexit? Origen y posibles consecuencias. Extraído de: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1870465417300284
  • Instituto EL Cano. España ante el Brexit. 2018. Extraído de: http://www.realinstitutoelcano.org/wps/wcm/connect/79b903f5-a511-47d8-bbfe-1d99ad75ea80/Policy-Paper-2018-Espana-ante-Brexit.pdf?MOD=AJPERES&CACHEID=79b903f5-a511-47d8-bbfe-1d99ad75ea80