Análise do Aberto dos Estados Unidos

6 de fevereiro de 2019
Assim como geralmente acontece com o restante dos esportes, certas regras só existem em solo norte-americano, como por exemplo o Tie-break no Aberto dos EUA.

O Aberto dos Estados Unidos, anteriormente conhecido como Campeonato Nacional dos Estados Unidos, é o quarto e último torneio de tênis Grand Slam da temporada.

Realiza-se anualmente entre agosto e setembro em cinco modalidades: individual para homens e mulheres, duplas masculinas e femininas e duplas mistas.

É um torneio muito barulhento porque é disputado em Nova York, também conhecida como Big Apple. O público quer participar do espetáculo, principalmente com gritos; razão pela qual os jogadores, muitas vezes, se veem obrigados a pedir silêncio para a plateia.

O Aberto dos Estados Unidos é o único campeonato no qual o último set é definido com um Tie-Break para desempatar; além disso, outra curiosidade deste torneio é a iluminação; já que jogos noturnos podem ser disputados devido ao grande sistema de luzes que suas quadras possuem.

Suas quadras e características

Sua quadra central, sob o nome de Arthur Ashe Stadium (localizada no Centro Nacional de Tênis Billie Jean King, sede do Aberto dos Estados Unidos), presta homenagem ao primeiro vencedor masculino do Aberto dos Estados Unidos na Era Open, em 1968.

Além disso é considerada a maior quadra do mundo para disputas de tênis, com uma capacidade total de 22.547 espectadores.

Quadra de tênis com platéia

Em 2005, a organização decidiu mudar a cor da quadra, passando de verde para azul; para que dessa forma fosse possível visualizar a bola mais facilmente pela televisão.

Devido à sua magnitude, foi muito caro cobrir esta quadra com um teto retrátil; isso, com a finalidade de evitar atrasar jogos devido à chuva ou mau tempo.

Assim como em outros torneios, o Aberto do Estados Unidos é jogado em uma superfície dura (que é feita de cimento e é considerada uma superfície rápida, onde as batidas baixas e rápidas tornam os pontos mais curtos).

As quadras duras são mais rápidas que as quadras de saibro e as quadras de grama. Essas condições são consideradas as mais justas para todos os tipos de jogadores.

Últimos vencedores do Aberto dos Estados Unidos

No tênis masculino atualmente podemos destacar Roger Federer, que venceu cinco finais consecutivas do Aberto dos Estados Unidos (2004, 2005, 2006, 2007 e 2008); o espanhol Rafael Nadal, que possui três títulos (2010, 2013 e 2017); ou ainda Novak Djockovic, que foi proclamado duas vezes campeão (2011 e 2015).

Últimos vencedores do Aberto dos Estados Unidos

Atualmente, no tênis feminino, destaca-se Serena Williams; ela ganhou seis Abertos dos Estados Unidos (1999, 2002, 2008, 2012, 2013 e 2014); sua irmã Venus Williams, que foi proclamada campeã em 2000 e 2001; Justine Henin (2003 e 2007); Kim Clijsters (2009 e 2010); e Angelique Kerber (2016).

Na categoria de duplas, temos do lado masculino os irmãos Bryan (Bob e Mike), que ganharam cinco vezes esse torneio (2005, 2008, 2010, 2012 e 2014).

Ademais Leander Paes, que conquistou o título três vezes, porém com parceiros diferentes: em 2006 com Martin Damm; em 2009 com Lukas Dlouhy e o último em 2013, com Radek Stepanek.

Nas duplas femininas, destacamos as irmãs Williams (Serena e Venus), que venceram em 1999 e novamente dez anos depois em 2009, a espanhola Virginia Ruano, juntamente com a argentina Paola Suárez, que venceram por três anos consecutivos (2002, 2003 e 2004).

Ou ainda Martina Hingis, que ganhou duas vezes com parceiras diferentes: em 2015 com Sania Mirza e em 2017 com Yung-Jan Chan.

Finalmente, nas duplas mistas, destacamos Martina Hingis, que tanto em 2015 quanto em 2017 venceu este torneio e, como dissemos antes, além disso tinha ganhado nas duplas femininas; ela venceu em 2015, com Leander Paes, e em 2017 com Jamie Murray.