Tudo o que você precisa saber sobre a vitamina B5

11 de janeiro de 2020
Alimentos como carnes, leite e brócolis têm em comum a contribuição significativa da vitamina B5. Você conhece as funções desse micronutriente para o corpo?

Antes de focarmos na vitamina B5, é uma prioridade falar sobre o que são as vitaminas e onde podemos encontrá-las. A seguir, vamos nos aprofundar nas principais características do ácido pantotênico ou vitamina B5, que é muito importante para o nosso corpo.

As vitaminas são compostos orgânicos, diferentes de gorduras, carboidratos e proteínas, que exercem ações diferentes em nosso organismo. Elas geralmente são encontradas nos alimentos e, exceto em situações de deficiência, podemos obter a quantidade suficiente de cada uma delas através da nossa dieta.

Classificação das vitaminas

Existem dois grandes grupos com base em sua solubilidade: vitaminas lipossolúveis (A, D, E, K) e vitaminas hidrossolúveis (vitaminas C e B). Essa classificação determina o seu mecanismo de absorção, transporte, armazenamento no corpo e excreção.

Cada vitamina tem uma função específica, dependendo da sua estrutura química, sua distribuição nas células e tecidos e a sua atividade química. A seguir, detalharemos um pouco mais as funções de cada uma:

Vitaminas lipossolúveis

As vitaminas lipossolúveis são caracterizadas pela dissolução em gorduras. Essas vitaminas são armazenadas nos tecidos gordurosos do corpo, como no fígado ou no tecido adiposo).

Além disso, é mais difícil eliminá-las, portanto, você deve prestar atenção para cobrir as recomendações sem excedê-las. Quatro vitaminas pertencem a esse grupo: A, D, E e K.

  • A vitamina A, também conhecida como retinol, está presente nos carotenoides. Encontramos esse elemento em vegetais vermelhos, amarelos, laranja ou verdes, como cenoura, tomate, abóbora, espinafre, damasco ou melão. Também está presente nas partes verdes dos vegetais.
  • O caso da vitamina D é mais controverso, pois existe um déficit generalizado em todo o mundo. Nós a produzimos de forma andrógena graças à exposição à luz solar e, em menor grau, a obtemos de forma exógena através dos alimentos. Os peixes gordurosos, como a sardinha, são a melhor fonte alimentar.
Classificação das vitaminas

  • O tocoferol, ou vitamina E, está presente nos óleos vegetais, nas folhas verdes das plantas e no gérmen ou farelo de cereais.
  • Em relação à vitamina K, o seu conteúdo nos alimentos não é conhecido com precisão. Como a população em geral possui a quantidade necessária desse micronutriente, entende-se que quantidades adequadas dessa vitamina são normalmente obtidas principalmente a partir da flora intestinal.

Vitaminas hidrossolúveis

O grupo de vitaminas hidrossolúveis é muito mais amplo e mais diversificado. São compostos solúveis em elementos aquosos, por isso é relativamente fácil remover o seu excesso através da urina.

No entanto, justamente por isso, é importante manter a ingestão, pois elas não se acumulam no corpo. Pertencem a esse grupo:

  • vitamina C ou ácido ascórbico.
  • As oito vitaminas do complexo B.
  • Tiamina ou B1.
  • Riboflavina ou B2.
  • Niacina ou B3.
  • Ácido pantotênico ou B5.
  • Piridoxina ou B6.
  • Biotina ou B8.
  • Ácido fólico ou B9.
  • Cobalamina ou B12.

Vitamina B5: características e funções

A vitamina B5, ou o ácido pantotênico, pertence ao grupo de vitaminas hidrossolúveis porque pode se dissolver na água. Seu nome vem do termo ‘pantos‘, que significa ‘todo lugar’, porque sim, está presente em todos os tecidos de plantas e animais.

É um componente da coenzima A, uma molécula fundamental na obtenção de energia a partir de gorduras, proteínas e carboidratos. Além disso, participa da produção de acetilcolina (neurotransmissor), hormônios esteroides, colesterol e outras gorduras essenciais.

Fontes de vitamina B5

Nosso corpo é incapaz de sintetizar o ácido pantotênico. Nós precisamos obtê-lo a partir da alimentação. As fontes mais importantes são as carnes, embora também haja uma quantidade significativa no abacate, brócolis, gema de ovo e leite. Existem alimentos enriquecidos em ácido pantotênico e até suplementos.

Vitamina B5: características e funções

Quantidade recomendada

Muito pouco se sabe sobre a quantidade que devemos ingerir desta vitamina. No entanto, em 2014, a Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA) estabeleceu a ingestão adequada (IA) de B5 para adultos e mulheres grávidas em 5 mg/dia.

Para as mulheres que amamentam, foi proposta uma IA de 7 mg/dia para compensar as perdas que a pessoa tem através do leite materno. Para bebês acima de seis meses, foi recomendada uma IA de 3 mg/dia, enquanto que para crianças e adolescentes é recomendado 4 e 5 mg/dia, respectivamente.

Deficiência e toxicidade da vitamina B5

Por outro lado, para aqueles familiarizados com a leitura de rótulospodemos encontrar a sua forma comercial em alguns produtos enriquecidos com vitaminas, como o pantotenato de cálcio. A suplementação não faz muita diferença, pois a sua falta é considerada excepcional.

De fato, os sinais e sintomas clínicos da sua deficiência foram percebidos apenas em indivíduos (voluntários) tratados com antagonistas das vitaminas. Também não foi observada toxicidade pelo excesso de consumo, embora em doses maciças (>10 g/dia) tenham sido descritos leve desconforto intestinal e sintomas de diarreia.

Em resumo, se você basear a sua dieta em alimentos reais (frutas, verduras, cereais, ovos, legumes, carne e peixe), não sofrerá deficiência da vitamina B5. Como mencionamos, é um micronutriente importante, mas também é fácil de obtê-lo.

  • Vitamina B5. Nutrifacts. Recuperado de: https://www.nutri-facts.org/content/dam/nutrifacts/pdf/nutrients-pdf-es/Vitamina_B5.pdf
  • Moreschi, E. C. P., & Almeida-Muradian, L. B. de. (2007). Comparação de métodos de análise para o ácido pantotênico em alimentos. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas43(2). https://doi.org/10.1590/s1516-93322007000200011
  • Datos sobre el ácido pantoténico. National Institutes of Health. https://ods.od.nih.gov/pdf/factsheets/PantothenicAcid-DatosEnEspanol.pdf