A publicidade de junk food deveria ser controlada?

· 24 de abril de 2019
A publicidade deste tipo de alimento aparece constantemente nos meios de comunicação como a televisão, por exemplo, e por isso hoje vamos analisar esse fato como sendo uma parte responsável pelo aumento da obesidade

O controle da publicidade de junk food deveria ser obrigatório, já que toda essa propaganda de alimentos e bebidas pouco saudáveis, com alto teor de açúcar ou sal, tem um impacto imediato e significativo principalmente sobre as crianças e o desenvolvimento de dietas prejudiciais à saúde.

Nos últimos tempos, os dados sobre a obesidade infantil dispararam. Os anúncios nos incentivam a comer alimentos ricos em açúcares e gorduras que não são saudáveis. Claro que as empresas omitem essa parte das suas propagandas, e por isso seria importante controlar a publicidade de junk food.

Em 2013, foi proibido anunciar junk food durante o horário de programas infantis na televisão do México. Por que não aplicamos a mesma proibição em nosso país? Seria uma proteção um pouco maior com as crianças, que são o futuro da humanidade.

Obesidade Infantil

Essa ideia esbarra no dinheiro movimentado para transmitir esses anúncios nos meios de comunicação. Apenas nos Estados Unidos os anunciantes gastaram mais de 2 bilhões de dólares no ano passado promovendo comida e bebida para as crianças.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) tenta advogar pelas crianças, já que foram impostas restrições à propaganda de álcool e tabaco nos meios de comunicação dos países membros da União Europeia, mas muitos países ainda não estabeleceram limites na publicidade de alimentos para as crianças.

Na Espanha, o sobrepeso afeta um terço das crianças menores de 12 anos (enquanto o número dispara até os 46% nas crianças entre seis e nove anos, de acordo com dados da Agência Espanhola de Segurança Alimentar).

Os menores espanhóis entre os 3 e os 12 anos são os segundos a passar mais tempo em frente à televisão em toda a Europa, com uma média de duas horas e meia.

E durante esse tempo de tela, a maioria dos anúncios publicitários são de produtos alimentícios. Cada criança pode chegar a ver 54 comerciais de televisão ao longo do dia e a maioria (71,2%) é justamente de alimentos e bebidas ricas em calorias e açúcares.

Produtos junk food

A maioria desses produtos não saudáveis pode ser reunida em poucos grupos. São eles:

  1. Cereais açucarados: típicos no café da manhã das crianças; por exemplo, os típicos flocos de arroz com mel.
  2. Bebidas açucaradas: como por exemplo a Coca-Cola, Fanta laranja…
  3. Doces: chocolates, bolos…
  4. Salgadinhos: como por exemplo as batatas fritas de saquinho.
  5. Fast food: os típicos hambúrgueres, nuggets…
Estados Unidos e a obesidade

Seria uma boa opção trocar os lanches de chocolate no meio da manhã por um pouco de frutas. Além disso, também devemos sempre tentar comer com água e não deixar que nossos pequeninos consumam bebidas açucaradas continuamente.

Onde comprar junk food

Além de controlar a publicidade de junk food, outro problema é onde comprar esses alimentos, já que atualmente é muito fácil consegui-los.

  • Em supermercados ou lojas de conveniência: não só é possível comprar facilmente, mas também geralmente há promoções tentadoras, com embalagens atraentes e até mesmo com desenhos ou personagens que as crianças gostam.
  • Meios de transporte: muitos ônibus carregam publicidades afixadas; mas não estamos falando apenas disso, muitas vezes nas estações de metrô ou até mesmo dentro de alguns trens há máquinas de venda onde há muitos snacks e junk food.
  • Escolas: muitas escolas e colégios têm uma cantina, e muitas delas fornecem saquinhos de batatas fritas, chocolates ou produtos ricos em açúcar.

Em resumo, visto que é tão fácil consumir produtos pouco saudáveis, devemos tentar controlar a publicidade de junk food e mudá-la para frutas ou lanches saudáveis. Certamente isso reduziria o consumo desses alimentos pouco saudáveis.