Bebidas isotônicas para atletas: prós e contras

· 16 de março de 2019
O principal problema no que diz respeito a essas bebidas é o aumento do consumo indiscriminado do produto por pessoas que não entendem do que se trata. Além disso, nem todas as marcas têm a mesma carga energética. Sua popularidade parece representar uma má interpretação do propósito desta proposta energizante.

As bebidas isotônicas são úteis para os atletas recuperarem minerais e eletrólitos perdidos após realizar atividades físicas intensas. Elas são indicadas precisamente para treinamento, esportes e o mundo fitness. Mas o que há por trás desse recurso energético?

O que são e que contêm as bebidas isotônicas?

Duas garrafas de bebidas isotônicas para atletas

As bebidas isotônicas são projetadas para os atletas realizarem uma hidratação intensiva após a exaustão física que segue o exercício. Nesse sentido, seu efeito é repor os fluidos corporais e fornecer eletrólitos.

Para isso, a bebida tem água, sais minerais e açúcar, que também costumam ter baixo teor de sódio e alta quantidade de potássio. Isto é o que permite a rápida restituição de energia e oxigenação do corpo exausto.

O lado menos saudável desses produtos é precisamente em seu alto teor de açúcar e substâncias processadas de sacarose, semelhantes às da padaria industrial. Seu uso indiscriminado não é recomendado para aquelas pessoas que necessitam de uma condição física de excelência.

O problema das bebidas isotônicas para os atletas: açúcar

Açúcar engorda, é prejudicial para o desenvolvimento muscular e habilidades esportivas. O que está em risco é o desenvolvimento do atleta, mas isso apenas quando a ingestão se dá em quantidades excessivas. Isso leva a uma conclusão relevante: o problema não é a bebida, mas a maneira como ela é consumida.

Essas substâncias foram criadas para um consumo racional durante e após o exercício. Eles são necessárias nos esportes, porque os atletas não podem comer muito antes do treino ou da competição.

O problema é que os usuários desse tipo de bebida estão comprando-a para repor os refrigerantes, sucos ou, pior ainda, a água. Eles tomam antes do exercício, no trabalho, no lanche etc. Alguns até pensam que elas são mais saudáveis ​​do que qualquer refrigerante, quando o seu teor de açúcar também é bastante elevado.

Nem todas as bebidas esportivas são iguais

Mulher bebendo água

Outra desvantagem relevante desses produtos tem a ver com a concentração de seus ingredientes. Por exemplo, quando a ingestão de açúcar dessa bebida é muito alta, o intestino humano pode consumir líquidos corporais extras para dissolvê-lo. O resultado final é mais desidratação.

E quando a soma de seu conteúdo mineral é muito baixa, o efeito energizante do líquido perde sua eficácia. Neste caso, corremos o risco de tomar doses de açúcar que não cumprirão seu objetivo fundamental.

Como podemos ver, nem sempre existe um ponto de equilíbrio e tudo depende do conteúdo de cada produto e do nosso organismo. Isso não significa que consumir esses energizadores seja completamente ruim, mas sim que você precisa procurar um equilíbrio e tomá-los com moderação.

Vantagens: a dieta do atleta precisa do uso de bebidas esportivas

As dietas esportivas de todas as disciplinas e esportes têm algo em comum: são feitas para evitar a indigestão durante o treinamento. Especialmente pela manhã, o café da manhã do atleta deve ser extremamente leve. Obviamente, o desgaste da prática nos fará queimar a carga de energia consumida na primeira hora.

Mas com o estômago vazio ou um café da manhã insuficiente, nenhum atleta é capaz de dar 100%. A bebida esportiva resolve o problema energético sem ser um alimento pesado ou de difícil digestão. Oxigena, hidrata e restaura, o que não é completamente negativo durante ou após o esforço.

Para ser mais preciso, as dietas modernas dos atletas sugerem o uso deste tipo de produto. Mas seu uso será durante e após o exercício, não como uma bebida de acompanhamento para um jantar. O momento do consumo é só um: na atividade física, se houver fadiga, e preferencialmente de manhã.

Devemos lembrar que não é o mesmo treinar no começo do dia e durante a noite. Há também muitas pessoas que usam este tipo de preparações energizantes para se nutrirem em meio a doenças digestivas e intoxicações. Nestes casos, o médico sempre tem a última palavra.

Em conclusão, as bebidas isotônicas são recursos úteis para atletas no curso de seus programas de treinamento, mas não devem ser ingeridos em excesso.