Flexibilidade e alimentação das bailarinas

29 de janeiro de 2019
Além da estética e da aparência física, o cuidado com as articulações é essencial para as bailarinas. Isto é conseguido não apenas com o treinamento preciso, mas também com uma seleção específica de nutrientes.

A flexibilidade e a alimentação balanceada são elementos essenciais na vida das bailarinas. Além da aparência física, o cuidado das articulações e da musculatura é uma chave essencial. Esse tipo de cuidado é realizado não apenas com o treinamento preciso, mas também com uma alimentação cuidadosa e planejada.

Sabe-se que uma alimentação equilibrada é essencial para a saúde integral do corpo. No caso daqueles que se dedicam à dança, eles vão encontrar maiores benefícios na alimentação com foco nos micronutrientes que proporcionam flexibilidade e força, já que os movimentos da dança supõem uma demanda específica.

Flexibilidade e alimentação para amplitude de movimento

Elasticidade, abertura ideal de pernas e coluna resistente são algumas das qualidades das bailarinas profissionais. Dominar a própria força é outro elemento que elas conseguem dançando.

Por outro lado, as bailarinas se preocupam em manter a massa muscular tonificada. Além da constituição física própria de cada corpo, manter a gordura corporal sob controle é uma das prioridades para os movimentos de dança.

Pensar em flexibilidade e alimentação significa fornecer ao corpo vitaminas e minerais suficientes para conseguir um corpo saudável. Não se trata de reduzir o consumo de gorduras, mas sim de selecionar os alimentos que fortalecem os tecidos.

Quando as proteínas que chegam ao corpo não são suficientes, os tecidos conjuntivos ficam enfraquecidos e surgem lesões ao fazer certos movimentos.

A alimentação de uma bailarina deve estar de acordo com as necessidades específicas de seu organismo. Consumir as refeições em relação às exigências de proteínas e nutrientes essenciais realmente vai favorecer o sucesso da dupla flexibilidade e alimentação.

Em contraste, ‘passar fome’ só enfraquece o corpo; dessa forma, há uma esforço excessivo que pode resultar em lesões ou ferimentos.

Pessoa lavando legumes e verduras na pia

O segredo das bailarinas na hora de treinar

Ao dançar qualquer coreografia da dança, percebe-se imediatamente que as bailarinas colocam o corpo inteiro em ação. Como elas fazem para ser tão flexíveis?

Para conseguir essa flexibilidade, o segredo – se é que pode ser chamado dessa forma – são os treinos de musculação e os exercícios para as articulações.

O treinamento diário de uma bailarina deve incluir desde treinos de todo tipo, até de Yoga, passando pelo pilates e diferentes modalidades de trabalho corporal. A força muscular é essencial para obter resistência e uma boa postura.

Tipos de exercício

Por um lado, existem os exercícios isométricos, que se referem ao trabalho muscular estático. São aqueles em que uma perna ou um braço é mantido no alto, exercendo um esforço diretamente com a musculatura.

É por isso que o alongamento depois de executá-los é essencial; durante o exercício, o músculo se contrai com intensidade.

Por outro lado, existem os exercícios de calistenia, que envolvem vários grupos musculares que são trabalhados através do movimento. Podemos associar os agachamentos a eles. No entanto, a diferença é que as bailarinas devem se exercitar em busca dos passos de cada dança.

Alimentos e nutrientes

Tanto para uma quanto para a outra fase de treinamento, os alimentos ricos em nutrientes são indispensáveis. O equilíbrio, a flexibilidade e a resistência precisam de corpos saudáveis para funcionar, tanto dentro quanto fora do palco. Uma dieta que tonifica as fibras musculares é a melhor maneira de alcançá-lo.

Yogurte com frutas e amêndoas

O ditado ‘somos o que comemos’ se encaixa perfeitamente no caso das bailarinas. A alimentação para a dança não se concentra apenas nos músculos do tronco, pernas e braços. Certas posturas de equilíbrio requerem a ingestão de alimentos que favoreçam o desenvolvimento neurológico, tais como oleaginosas e cereais.

A hidratação adequada é outra condição para obter músculos tonificados e flexibilidade articular; na direção oposta, o consumo de bebidas alcoólicas ou de tabaco deve ser restrito.

Além disso, o exercício cardiovascular como parte do treinamento não seria bem-sucedido sem a ingestão adequada de vegetais, frutas e bebidas saudáveis. Da mesma forma, qualquer rotina de treinos deve incluir lanches saudáveis e nutritivos.

Em suma, a flexibilidade e a alimentação são uma combinação inevitável. A manutenção dos níveis de massa muscular facilita a regeneração dos tecidos e a ação ideal das articulações.

Em caso de dúvida em relação a quais alimentos ingerir para se dedicar à dança, é sempre preferível consultar especialistas. Se possível, é conveniente sempre consultar aqueles ligados às diferentes áreas esportivas.