Alimentação das crianças e adolescentes atletas: dicas e recomendações

· 8 de dezembro de 2018
É preciso lembrar que, no caso das crianças, o mais importante é cuidar do seu crescimento contínuo; a verdade é que o exercício físico implica na necessidade de um ajuste na dieta da criança atleta, mesmo que ela tenha muita energia.

O profissionalismo no campo esportivo não é coisa só de adulto.  Devemos nos lembrar que atualmente existem várias divisões infantis nas quais os atletas do futuro participam. E, assim como acontece no esporte de alta demanda, a alimentação das crianças e adolescentes atletas também deve ser monitorada.

As crianças precisam de uma proporção maior de alimentos energéticos

Em geral, a atividade física de uma criança é muito mais longa e intensa. Enquanto um adulto concentra suas energias em treinos limitados e dias de competição, as crianças gastam muita energia corporal todos os dias. Ou seja, suas horas regulares de brincadeiras devem ser somadas ao treinamento.

Além disso, também devemos adicionar a necessidade energética que uma criança precisa para continuar o seu processo de crescimento. Portanto, a quantidade de proteínas e carboidratos de que elas precisam é maior do que a de um adulto.

Crianças praticando atletismo

A prática de esportes desempenha um papel fundamental no desenvolvimento das crianças.

A proporção correta seria de 55% de carboidratos, 20% de proteína e até 25% de gorduras. Assim, como podemos ver, a proporção de carboidratos e gorduras deve ser maior para as crianças. Este tipo de dieta pode ter variações: por exemplo, se uma criança for muito magra, é possível aumentar a proporção de gordura.

Alimentação das crianças e adolescentes atletas: energia imediata e de reserva

A alimentação das crianças e adolescentes atletas deve atender a dois requisitos: energia imediata e de reserva. A primeira é gasta com a atividade diária e a segunda com os processos metabólicos de crescimento. Somado a isso, sabe-se que uma criança consome cinco calorias para cada grama adquirida.

Por exemplo, uma criança de 10 a 14 anos que joga futebol pode gastar até 540 calorias extras por dia. O problema é que nem todas as crianças têm um bom apetite e a maioria escolhe a comida de acordo com o seu sabor. Desta forma, o desafio sempre fica na mão dos pais.

Crianças jogando futebol

Além disso, também é necessário saber quais são os minerais e substâncias que geralmente apresentam um maior déficit nas crianças. As vitaminas B12, E, o zinco e o ácido fólico geralmente faltam com maior frequência. Por isso, é para nesses nutrientes que devemos voltar um pouco mais a nossa atenção.

Como deve ser a alimentação das crianças e adolescentes atletas?

Embora as proporções variem em relação aos adultos, a dieta diária pode ser semelhante. Primeiramente, a dieta diária de uma criança deve conter cinco refeições. A refeição do meio-dia deve ser a mais pesada e será complementada com uma espécie de lanche após o café da manhã.

O jantar pode ser realizado entre as 20:30 e as 21:00, no caso das crianças. No aspecto nutricional, os carboidratos complexos devem ser evitados, embora possa haver alguma flexibilidade com os atletas menores.

Muito além da idade, é aconselhável usar azeite de oliva para fritar e evitar o excesso de bebidas açucaradas. Os pratos devem ser acompanhados principalmente por água, embora o correto seja evitar grandes quantidades de líquidos durante a refeição. A primeira refeição da manhã pode incluir um suco de fruta natural.

Como a dieta do adolescente deve ser?

Na realidade, a dieta do adolescente é mais semelhante à dieta do adulto do que a das crianças. Depois dos 15 anos de idade e até os 18 anos, no entanto, um atleta gasta muito mais energia.

Seguindo o exemplo do futebol, estamos falando de 790 calorias por dia, no entanto, sua probabilidade de ter problemas de obesidade também aumenta.

Meninas jogando vôlei

Até 23% dos adolescentes podem sofrer de problemas com o excesso de peso. Portanto, a ingestão de carboidratos e gorduras deve ser um pouco moderada, e isso sem nos esquecermos de que, nessa idade, os jovens ainda estão em pleno desenvolvimento.

Para combinar os fatores acima, a distribuição diária dos alimentos será essencial. No caso dos jovens, é melhor planejar bons cafés da manhã e jantares mais leves. Além disso, tudo também vai depender da constituição física do atleta.

Em resumo, a alimentação das crianças e adolescentes atletas deve ser planejada e controlada. Caso contrário, poderíamos ter episódios de fraqueza durante a prática esportiva ou então um quadro de obesidade precoce.