8 erros que cometemos ao fazer cardio

7 de junho de 2019
O objetivo de alcançar resultados com o exercício, principalmente de forma rápida, às vezes nos leva a cometer alguns erros. Isso acontece com os treinos de cardio. Como evitar esses problemas?

A academia e as atividades físicas não são apenas uma questão de estética. Os objetivos de emagrecer e tonificar os músculos são muito importantes, mas também existem razões ligadas à saúde. Seja qual for o esporte que escolhemos, muitas vezes cometemos erros, e hoje vamos falar dos erros mais frequentes ao fazer cardio.

Fazer cardio frequentemente e de forma adequada melhora o desempenho físico e as boas condições gerais do organismo. No entanto, é comum não prestar muita atenção à técnica nessa parte do treinamento.

Há pessoas que se importam mais com os seus músculos do que com os seus corações. Elas se esquecem de que o equilíbrio entre eles é importante, porque o corpo é um só e funciona como um sistema.

Os exercícios de cardio são muito benéficos, mas é necessário ter em mente algumas considerações que garantam a eficácia desses treinos. Em particular, é importante evitar erros que possam prejudicar a saúde, seja durante o treino de cardio ou qualquer outro exercício.

Erros mais frequentes ao fazer cardio

Estes seriam os principais erros que devem ser evitados quando estamos fazendo cardio:

1. Falta de aquecimento

Como todo exercício, fazer cardio requer um aquecimento progressivo. Um erro comum é exigir tudo do corpo de uma vez só, sem a progressão prévia necessária. Passamos de zero a cem, e esse erro pode causar lesões.

2. Excesso de velocidade

Há pessoas que pensam que praticar cardio implica velocidade. Então, elas fazem o exercício rapidamente, com o único desejo de terminá-lo. No entanto, para ser eficaz, o exercício requer tempo.

Se você agir rápido demais, nem os músculos nem o sistema cardiovascular funcionarão bem. É necessário sentir a ação de cada músculo e cada batida do coração; em suma, não podemos economizar tempo ao fazer cardio.

Os treinos e o ritmo ao fazer cardio

3. A repetição do treino

Fazer sempre o mesmo exercício é outro erro frequente. Este é o caso das pessoas que planejam um treino e sempre o repetem. Certamente as preferências pessoais afetam essa escolha, mas o ideal é variar.

Os treinos e o ritmo ao fazer cardio

Para fazer cardio e conseguir bons resultados, é necessário incluir ações diversificadas. Por exemplo, correr na esteira, o elíptico e outras opções devem ser alternadas durante o decorrer das sessões.

4. Sempre o mesmo ritmo

Os treinos de cardio devem exigir diferentes reações do corpo. Quando mantemos sempre a mesma velocidade, o organismo se acostuma. Dessa forma, o exercício não é mais um desafio e assim a eficácia do treino diminui.

À medida que os exercícios forem superados, é necessário variar as velocidades. Os exercícios cardiovasculares funcionam bem quando alternamos momentos de aceleração com momentos de ritmo mais calmo.

Um bom café da manhã e a hidratação necessária

5. Jejum

Existe uma crença generalizada de que fazer cardio em jejum produz melhores resultados. Na verdade, acontece exatamente o contrário: os exercícios em jejum prejudicam o corpo.

O corpo precisa de glicose para a atividade física e, se ela não estiver disponível, ele usará a massa muscular. Portanto, fazer cardio em jejum é equivalente a perder músculos. Essa observação é especialmente válida para as pessoas que fazem exercícios de alta intensidade.

6. Falta de água

Sabe-se que o corpo precisa de muita água para funcionar. De fato, o treino causa a transpiração e, desse modo, o corpo perde líquidos. É necessário repor essa perda e por isso beber muita água durante os treinos é fundamental.

Alguns bons goles de líquido antes, durante e após os exercícios manterão o corpo adequadamente hidratado. Porém, não é conveniente beber uma garrafa de água inteira de uma vez só; hidratar-se a cada meia hora é a maneira correta de ingerir líquidos.

Atenção à dor e aos excessos

7. Surgimento de dores no corpo

A dor é um mecanismo de defesa do corpo. Se qualquer dor for experimentada, os treinos devem ser interrompidos.

A dor pode ser temporária e passar rapidamente, então nesse caso a atividade pode ser retomada. No entanto, também é possível que ela esteja indicando uma lesão mais importante; quando isso acontece, se o exercício continuar, o problema vai piorar. Assim, é necessário estar atento e ouvir os sinais do corpo.

Síndrome do piramidal: o que a provoca?

8. O excesso não é bom

Cada pessoa tem o seu próprio ritmo, nível e resistência. O que favorece uma pessoa nem sempre é igualmente benéfico para outra; então, é importante se ajustar à própria realidade ao invés de se espelhar nas outras pessoas.

Às vezes, por orgulho e para não ficarmos abaixo dos outros, cometemos excessos que podem, eventualmente, prejudicar o corpo. O overtraining é um problema que causa danos à saúde.

Em suma, as atividades físicas devem ser integradas na vida de cada pessoa. Porém, é necessário planejá-las de forma personalizada, para que elas realmente tenham bons efeitos. Caso contrário, elas podem prejudicar a saúde.

  • Artiem Madrid. Rutinas de entrenamiento cardio. Extraído de: https://www.artiemhotels.com/uploads/media/defaul/0001/03/f71ad2c76220eba1e49828a01e3fd6468df4d455.pdf
  • Coordinadora Nacional de Artritis. 2014. Ejercicios de capacidad cardiovascular. Extraído de: http://www.conartritis.org/wp-content/uploads/2014/lograr_ejercicios_cardio.pdf