Envelhecimento e exercício: como se relacionam?

24 de fevereiro de 2020
Você já percebeu que algumas pessoas aparentam ser mais novas do que realmente são? Praticar exercícios físicos traz melhorias fisiológicas e benefícios para a saúde que são visíveis na estética de quem tem esse hábito.

Toda atividade física que realizamos traz consequências que podem ser positivas ou negativas. Por exemplo, prática regular de exercício físico leva à uma série de mudanças notáveis ​​nos níveis biológico, genético e fisiológico que influenciam o envelhecimento.

Essas mudanças se manifestam não apenas internamente, mas também externamente, seja nos globos oculares, na pele, nas unhas ou até no humor.

Por outro lado, as mudanças internas envolvem os aspectos osteomusculares, cardio-circulatórios, respiratórios, a saúde mental, entre outros. Saiba mais sobre a relação entre envelhecimento e exercício a seguir.

Exercício, hábitos e juventude eterna

Como explicamos, a prática de exercícios produz variações no corpo humano. No entanto, outras indicações também devem ser seguidas para se ter uma boa saúde.

O exercício físico deve ser acompanhado de outros hábitos fundamentais para retardar o processo de envelhecimento, que são:

  • Horas de sono suficientes.
  • Nutrição adequada que siga as recomendações de um nutricionista.
  • Treino otimizado.

Horas de sono

Por que o sono é tão importante? É simples: em certas fases do ciclo do sono, o corpo humano realiza vários processos para se recuperar do dia ativo. Estamos falando da fase REM ou Rapid Eye Movement (movimento rápido dos olhos).

Exercício, hábitos e juventude eterna

Durante o sono REM, o corpo repara o sistema nervoso e guarda energia, que utiliza sem parar durante o dia. O corpo também libera hormônios anabólicos e aumenta a síntese protéica, que favorece a reparação de danos musculares.

Uma nutrição adequada desempenha um papel fundamental no envelhecimento e no exercício

Para que haja um equilíbrio nutricional correto para as suas atividades diárias e uma intensidade extra em seu treino, você precisa fornecer ao corpo o “combustível” que ele precisa na forma de alimento.

Seguir uma alimentação saudável também implica evitar o consumo de substâncias tóxicas que provocam envelhecimento prematuro. Se você se exercita ou não, elas te afetam com seu alto teor de substâncias nocivas, como o monóxido de carbono, no caso do tabaco.

Da mesma forma, você precisa prestar muita atenção aos radicais livres. Os radicais livre prejudicam o corpo, causando problemas como:

  • Envelhecimento.
  • Alterações no DNA.
  • Doenças cardiovasculares.
  • Arteriosclerose.
  • Diabetes.
  • Níveis aumentados de colesterol ruim.
  • Câncer.

Treino otimizado

A intensidade, a duração, os períodos de descanso, as cargas e as repetições também são um aspecto muito importante. Esses fatores, quando você os executa de maneira otimizada, possibilitam não apenas melhorar seu desempenho, mas também retardar o envelhecimento.

É por isso que muitos atletas apresentam uma idade biológica menor que a idade cronológica em exames de bioimpedância. Ou seja, eles parecem mais jovens do que realmente são.

Envelhecimento e exercício: uma faca de dois gumes

Existem estudos bem interessantes que abordam o envelhecimento ativo em idosos através de esportes e atividades diárias. Em idades avançadas, é comum que eles “desliguem os motores” e caiam no sedentarismo total. Como resultado, a pessoa sofre limitações em suas habilidades físicas.

Envelhecimento e exercício: uma faca de dois gumes

Já falamos sobre práticas benéficas para retardar o envelhecimento, mas o que acontece quando uma pessoa se exercita de maneira inadequada? Vejamos alguns exemplos de como algo tão saudável quanto o exercício físico pode se tornar prejudicial:

  • Esportes de duração excessiva: por exemplo, maratonas ou triatlos. Pesquisadores descobriram que eles causam uma redução na massa cerebral, grande diminuição na testosterona, oxidação excessiva e até danos nos rins. Essas consequências não afetam apenas a aparência da pessoa, mas também sua saúde interna.
  • Exercícios de alta intensidade e curta duração aliados à dependência de substâncias ilegais: é o que conhecemos como musculação não saudável. O treino com cargas médias-altas geralmente traz enormes benefícios, mas não se estiver associado a uma dependência de esteróides anabolizantes. Essa combinação pode levar a problemas sérios e até causar morte prematura.

O poder está dentro de cada um

A decisão é de cada pessoa. É preferível ter hábitos saudáveis de exercício e estilo de vida com uma certa limitação de intensidade ou é melhor se arriscar e ultrapassar a linha tênue que separa a saúde da deterioração e mortalidade?

Você só tem um corpo, cuide dele! Este vídeo da ONG canadense The Heart and Stroke Foundation sobre envelhecimento e exercício reflete uma realidade que todos nós devemos ter em mente. Cuidar da saúde todos os dias deve ser a missão de todos.

  • Pardo, G. Consideraciones generales sobre algunas de las teorías del envejecimiento. Universidad de Camagüey.
  • Ruiz L. Tollonosa P. Fisiología del envejecimiento muscular. Medicine, 1999, 7 (128).
  • Mazzeo R. y colaboradores. 1998. El ejercicio y la actividad física en adultos mayores. Medicine & Science in Sports & Excercise. Vol 30 (6) 1998.
  • Kane. R. (1999) Geriatrica Clínica. Nueva York. Mcgraw Hill. Inc.