7 mitos que já ouvimos pelo menos uma vez sobre o nosso corpo

· 11 de abril de 2019
Sempre existiram mitos sobre o nosso corpo, sem qualquer comprovação científica, que são transmitidos como mantra de geração para geração. Hoje iremos desvendar alguns deles e explicar por que não são verdadeiros.

Assim como já aconteceu em outras áreas, o estudo do corpo humano permitiu desmentir uma grande quantidade de crenças equivocadas. Neste artigo, iremos falar sobre os sete principais mitos sobre o nosso corpo que, na realidade não condizem com a verdade.

A globalização e as redes sociais potencializaram nas últimas décadas o aparecimento de notícias e de informação falsas com pouca ou nenhuma credibilidade.

Assim, popularizaram-se os mitos sobre o nosso corpo que, na verdade, não têm qualquer base científica. Eles foram transmitidos de geração para geração durante séculos, embora nem sempre com teorias que os respaldem.

7 mitos sobre o nosso corpo e as suas refutações

Em alguns casos, a verdade chega a ser algo decepcionante. Não obstante, é necessário conhecê-la, de qualquer maneira. A seguir daremos algumas explicações de muitos mitos sobre o nosso corpo que, infelizmente, não são verdadeiros.

“O cérebro usa apenas 10% da sua capacidade”

Quantas vezes você já ouviu essa frase como uma verdade irrefutável? Bem, infelizmente, para a infelicidade de todos nós, isso não é verdade. Exceto naquelas ocasiões em que, devido a alguma patologia, a capacidade cerebral total não pode ser usada, usamos todo o nosso cérebro.

Os seres humanos usam praticamente todos os recursos do cérebro ao longo de cada dia. 

“Se você raspar o cabelo, ele cresce mais grosso”

O nosso cabelo está em constante crescimento. O fato de cortarmos ou barbearmos o cabelo não altera essa qualidade, que, a propósito, ela é delimitada pela genética.

A explicação para esse mito é que, quando começa a crescer, o cabelo parece mais grossos. Com o passar do tempo, o desgaste provocado pelo sol e pelo ar o descolorem. Dessa forma, ele parece mais fino.

“O açúcar gera hiperatividade”

Essa é uma reivindicação que surpreende a todos. Por anos fomos testemunhas de pais que proíbem os seus filhos de consumir determinados produtos para evitar os seus efeitos estimulantes sobre o comportamento.

Açúcar

Bem, parece que isso não tem base científica. Pelo contrário, o açúcar – cujos inegáveis riscos e danos também existem – potencializa a produção de serotonina, uma substância de neurotransmissora com propriedade calmantes.

“Os seres humanos têm cinco sentidos”

Você ficará surpreso de saber, mas muitas pesquisas científicas sugerem que temos mais dois sentidos. Trata-se da nocicepção e da termocepção, que nos permite sentir dor e detectar temperaturas, respectivamente.

“O café combate a ressaca”

Com certeza você já ouviu alguma vez que tomar uma xícara de café atenua os efeitos da ressaca. No entanto, lamentamos dizer que essa prática não tem o resultado que você pensa.

mitos sobre o corpo: chás

Além disso, o café poderia até mesmo ter o efeito oposto ao que você está procurando. Isso se deve, na verdade, ao fato de que ele desenvolve no corpo o estado de alerta que o álcool reduz. No entanto, isso não contribui para aliviar os efeitos negativos gerados por bebidas alcoólicas sobre os processos cognitivos.

Em conclusão: o café vai fazer com que você se senta mais acordado, mas não menos bêbado. Para expelir o álcool mais rapidamente do seu corpo, você deve beber muita água.

“Se você ler com pouca luz, a sua visão ficará danificada”

Essa ameaça típica das mães e das avós não encontra fundamentação no campo empírico. Ler com pouca luz pode levar à fadiga em um indivíduo, mas as capacidades relacionadas à visão não serão perdidas. Com um intervalo de algumas horas, ela irá retornar ao normal.

“Precisamos beber dois litros de água por dia”

Esse mito pode ser negado devido a uma série de fatores. Em primeiro lugar, é necessário salientar que nem todos os corpos são iguais. Dessa maneira, nem todos nós temos as mesmas necessidades.

Bebendo água

Em segundo lugar, nós não devemos beber só água. O ideal é beber todos os tipos de líquidos. Eles estão presentes em chás, na carne, no peixe, no ovo, em vegetais e nas frutas…

Finalmente, também é necessário considerar que a quantidade de líquidos a serem consumidos não é necessariamente dois litros. Não há nenhuma quantidade universal nem foi comprovado os benefícios da super-hidratação. O mais recomendável é escutar o seu corpo. Ele possui sensores quase infalíveis para impedir a desidratação.

Então, se você sentir sede ou se você perdeu ou perderá muita água durante um treino, beba água. Se não, não vai acontecer nada. O seu corpo vai deixar você saber quando é necessário se hidratar.

Muitas dessas falácias estão enraizadas no imaginário popular. No entanto, basta um pouco de dados científicos para refutá-las. A partir de agora, você já sabe que certos mitos sobre o nosso corpo não são verdadeiros.