O desenvolvimento da psicomotricidade na dança

19 de fevereiro de 2019
Uma bailarina dançando ao ritmo da música e transmitindo um sentimento através da dança é sempre harmonioso para os olhos. Os bailarinos, ao estar no palco, realizam movimentos com aparente simplicidade, mas eles exigem muito trabalho físico e mental. Saiba mais sobre a psicomotricidade na dança a seguir.

Por ser um fator que determina os processos mente e corpo, a psicomotricidade desempenha um papel vital na dança, já que o bailarino deve administrar a mente em função do corpo e, ao mesmo tempo, ter consciência de seu entorno e de como se desenvolve nele.

Os bailarinos devem desenvolver uma habilidade que mantenha os movimentos em conexão com a técnica, a música e os sentimentos; essa habilidade é a psicomotricidade.

O termo ‘psico’ se refere à atividade mental e ‘motricidade’ à capacidade motora. Então, a psicomotricidade pode ser  definida como a disciplina que gerencia a interação entre o conhecimento, o movimento e a emoção.

Movimento e emoção

Nossas reações e movimentos são produzidos por ordens do cérebro. Todo esse processo de impulso e resposta tem vários elementos. No entanto, queremos focar agora em como a psicomotricidade permite um melhor controle dos impulsos emocionais e dos movimentos. A psicomotricidade pode ser dividida em três partes:

  • Cognitiva: atenção, concentração, memória e criatividade.
  • Motora: dominar o movimento do corpo.
  • Social: relacionar-se com o ambiente e enfrentar situações.
Movimento e emoção

Esses fatores podem ser desenvolvidos separadamente, e a psicomotricidade é dada pela união de todos eles. Além disso, não há limite de idade para melhorar essa habilidade.

No entanto, a infância é o melhor período para aproveitar para estimular a psicomotricidade. É por isso que as pessoas que praticam esportes ou tocam instrumentos desde muito cedo geralmente têm um melhor controle psicomotor.

A psicomotricidade na dança

A dança é uma arte que consiste na criação de movimentos ao ritmo da música. É um meio de expressão onde histórias são contadas e emoções são transmitidas.

A ex-bailarina e coreógrafa Martha Graham disse uma vez que “a dança é a linguagem secreta da alma”; o que integra perfeitamente, em poucas palavras, o que é traduzido como psicomotricidade. Na dança, a psicomotricidade é absolutamente essencial, ainda que ambas se complementem.

Ou seja, para dançar você deve ter uma boa habilidade psicomotora e, para ter uma boa psicomotricidade também é igualmente necessário saber dançar. Então, ambas as partes vão, ao mesmo tempo, se desenvolvendo e se beneficiando uma da outra.

Por que a dança é ideal para a psicomotricidade?

Para uma pessoa comum, tentar fazer piruetas de balé ao ritmo da música pode se tornar algo muito complicado. Isso acontece porque essa pessoa não tem o mesmo nível de controle do corpo e senso do espaço que uma bailarina.

Certamente, os bailarinos devem trabalhar muito e por um longo tempo para refinar o controle de seus corpos e assim estabelecer conexão com a sua mente para dançar.

a dança é ideal para a psicomotricidade

Basicamente, o que a dança faz no desenvolvimento psicomotor é envolver todo o nosso corpo. Uma bailarina ao treinar deve estar consciente do seu corpo, e controlá-lo da cabeça aos pés, lembrar a coreografia, transmitir emoções e, além disso, se apresentar no palco com desenvoltura.

Por isso, a dança é a melhor opção para desenvolver habilidades psicomotoras:

  • Reflexos: reagir de forma rápida e inteligente a estímulos.
  • Equilíbrio: manter-se estável na posição na qual está.
  • Ritmo: fazer movimentos com a frequência e o tempo corretos.
  • Respiração e relaxamento: aprender a controlar a respiração nos momentos necessários e aprender a relaxar os músculos do corpo separadamente e voluntariamente.
  • Conhecimento do corpo: sendo o corpo a ferramenta para a arte da dança, ser consciente das partes que o compõem.
  • Motricidade: controle e coordenação do corpo.
  • Propriocepção: sentir a posição dos músculos e membros sem ter que olhar para eles.
  • Interocepção: receptores que enviam informações ao cérebro em relação ao interior do corpo.
  • Criatividade e expressividade: capacidade de criar e de se expressar de acordo com o que se sente e pensa.

Em resumo

A dança é uma modalidade muito bonita que traz muitos benefícios. Outras modalidades, tais como o esporte ou a música, também trabalham aspectos da psicomotricidade.

No entanto, a dança envolve um processo mais complexo que a torna muito mais eficiente, além de estimular o cérebro a desenvolver sua inteligência. Assim, como diria Pina Bausch: “Dancem, dancem, caso contrário estamos perdidos”.